A pergunta do dia

Até quando o futebol paraense continuará a conviver com ingressos falsos, alguns vendidos até mesmo nas bilheterias dos estádios e pontos de venda oficiais? (Para o jogo Paissandu x São Francisco, torcedores foram enganados com bilhetes falsificados adquiridos nas farmácias Big Ben)

12 comentários em “A pergunta do dia

  1. Não vamos longe Gerson, meu primo que é PSC foi ao jogo e comprou ingresso na BigBen e chegou na hora o rapaz disse que o mesmo era falso, não querendo perder o jogo teve que comprar outro pra assistir o jogo, não sei Gerson mas acho que isso deve ter jogado de gente grande no meio ?

  2. Alguma coisa prrecisa ser feita na Big Ben. Essa notícia dos ingressos falsos pode ser acrescida de outras que soube e eu mesmo fui quase vítima de problemas seríssimos nos caixas dessa rede. Em reclamação que cheguei a fazer com a gerência de uma das farmácias da rede, o gerente concluiu com a clássica, “errar é humano”. Eu ia sendo surrupiado em 50 reais, mas outros que conheço quase chegam a perder 100 reais. Acho que os proprietários, em nome do bom nome que constituíram em nossa terra, deveriam começar a investigar com rigor esssa e outras situações gravíssimas nis caixas da rede, sob pena de começar a perder a credibilidade.

    1. O pior é que a Diretoria do Paissandu acaba de se manifestar oficialmente, desmentindo que tenham sido vendidos ingressos falsos. Não é o que dizem dezenas de torcedores nas redes sociais e à porta do estádio, ontem.

  3. Se vero, caso de polícia! Mas tem gente querendo tumultuar a atual diretoria do PSC levantando falsos, temos provas? De onde partiu a notícia?

  4. É, mas já vi muita gente comprar ingresso de cambista e que ao ser barrado na catraca, na tentativa de não perder o dinheiro que pagou ao esperto, alegar que comprou na farmácia e fazer a maior confusão para entrar, e, às vezes, até conseguir, dado o engarrafamento que se forma na entrada, com o tumulto decorrente da exigência de entrar dos demais torcedores que estão na fila. Agora, se a diretoria afirma que não haviam ingressos falsos nas farmácias e os torcedores sustentam que os ingressos dados como falsos foram adquiridos nas farmácias, forma-se o impasse cuja resolução impõe rigorosa investigação. E o Vandick tá merecendo um crédito, eis que segundo informes das emissoras a prestação de contas das bilheterias foi a mais transparente possível. Inclusive, não vi, nem ouvi, ninguém reclamando de discrepância entre a impressão visual da quantidade de torcedores no estádio e o número divulgado pela diretoria.

    Quero ver hoje lá no Baenão… Será que vai ser a mesma prática de sempre?

  5. Entendo que quem foi lesado deve imediatamente procurar seus direitos, inclusive a citada rede de farmácias tem monitoramento em todas as suas lojas, basta acionar a polícia e pedir investigação solicitando comprovação de imagens.

    RRamos

  6. Melhor registrar queixa na policia. Se bem que… Essa industria que alimenta muitos a custa dos torcedores nao iniciou hoje, vem de décadas.
    Ou alguém no passado nunca viu ingresso de jogo anterior ,levar um simples carimbo com os nomes do time e serem livremente vendidos nas bilheterias .

  7. Caso de investigação policial,mas,creio eu,que Vandick e diretoria não se sujariam por tão pouco,ademais,propõe uma mentalidade idônea e transparente.

  8. A solução é simples, basta o torcedor parar de comprar ingreso na mão de cambista, os clubes hoje colocam ingressos a venda com antecedência, portanto com um pouco de esforço, todos comprariam seus ingressos sem precisar de na hora do jogo, estar comprando ingressos na mão de cambista,correndo o risco de swer engannado. E um outro detalhe que precisa ser investigado e tomado providência, e a venda de gratuidades por parte de aposentados e de deficientes, que pegam ingressos e vendem para cambistas pelo preço mais barato, e ai os cambistas revendem esses ingressos na porta dos estádios. E o impressionante que isso está cvirando um comércio, pois tem deficiente que já é aposentado, e pega ingresso de deficiente e de aposentado respectivamente, e mais pega ingresso de Remo e de Paysadu, portanto no final de semana esses senhores, pegaram nada mais nada menos do que 4 ingressos para revenderem. Do aposentado eu não sei como solucionar o problema, mais do deficiente, basta se exigir a carteira da APPD na hora da entrada do mesmo no estádio, que se resolve o problema, pois a ambição desses senhores, pode contribuir um dia, para que se tenha negado um direito conquistado,tanto pelos aposentados como pelos deficientes.

Deixe uma resposta