O adeus de um grande ator

Morreu nesta segunda-feira, aos 89 anos, o ator americano Charles Durning, indicado duas vezes ao Oscar e astro de filmes como Golpe de Mestre Tootsie. A informação foi publicada nesta terça-feira no site da revista People. Durning, que atuou em mais de 100 filmes e dezenas de programas de televisão, morreu de causas naturais em sua casa. Nascido em uma família irlandesa de 10 filhos em 1923, Durning steve entre os soldados americanos que desembarcaram na Normandia no chamado ‘Dia D’ da II Guerra Mundial. Antes da fama, teve muitos outros trabalhos, como motorista de táxi, pintor e guia turístico. No cinema, seu primeiro grande papel foi o de um policial corrupto em Golpe de Mestre (1973), junto com Robert Redford. Ficou famoso pelo talento para papéis de coadjuvantes que ganhavam grandeza em sua interpretação.

Foi candidato ao Oscar duas vezes, em 1983 por dar vida a um governador em A Melhor Casa Suspeita do Texas e ao ano seguinte por sua interpretação de um nazista na comédia de Mel Brooks Sou ou Não Sou?. Entre seus trabalhos mais lembrados está o do pretendente de Dustin Hoffman em Tootsie. Durning participou também de Um Dia de CãoDick TracyMuppets – O FilmeA Primeira Página e Feriados em Família, entre outros muitos filmes. Ele ganhou um Globo de Ouro como melhor ator em 1991 por sua interpretação de John ‘Honey Fitz’ Fitzgerald no filme para televisão The Kennedys of Massachusetts, assim como um prêmio Tony em 1990 por seu papel de Big Daddy na Broadway em Gata em Teto de Zinco Quente. Foi indicado a vários prêmios Emmy por seus trabalhos na televisão e tem uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood. O ator se casou duas vezes e teve três filhos. (Com agência EFE) 

3 comentários em “O adeus de um grande ator

    1. É verdade, amigo Edson. Dona Canô era uma referência, pela forma bonita como educou tantos filhos. Uma vida riquíssima, sem dúvida.

  1. Tenho dois amigos e que também são irmãos, e os mesmos também são baianos, exatamente vizinhos da família Veloso, mais precisamente da casa da agora finada Dona Canô. Lembro-me, que eles sempre falavam bem desta senhora, falavam que a mesma era muito simples, humilde, participativa e muito boa de coração, falavam que ela ajudava a todo mundo do bairro onde morava, sempre com ótimos conselhos, dentro do possível ajudava também de outras formas, enfim, creio que a mesma deva ter um lugar no céu ao lado de Deus….Pessoas assim, devem, merecem viver para sempre, lembro de minha finada avó, a mesma se assemelhava muito com as estórias faladas sobre a dona Canô, espero que ambas estejam ao lado do senhor Jesus Cristo…Que Deus a tenham em um bom lugar e descansem em paz.

Deixe uma resposta