Vote no mico da semana

Escolha o seu King Kong favorito e justifique a preferência…

1) Flamel acerta tudo com a diretoria do Remo, recebe uma parte do valor prometido pela assinatura do acordo e, horas depois, aparece ao lado do proprietário do Santa Cruz de Cuiarana renovando contrato. Não se sabe se vai devolver o dinheiro aos remistas.

2) Ainda sob o clima do acesso à Série B, o Paissandu realiza dois amistosos caça-níqueis no Amapá e dá vexame: foi derrotado duas vezes, por 1 a 0. Apesar dos improvisos na escalação, time contou com titulares como Pikachu e Ricardo Capanema.

3) Velhas arengas entre brasileiros e argentinos vieram à tona vergonhosamente na final da Copa Sul-Americana. O S. Paulo levantou a taça, mas jogo só teve um tempo porque o Tigre abandonou o campo, alegando ter sido agredido pela segurança do Morumbi.

16 comentários em “Vote no mico da semana

  1. Número 2. E os vexames tem tudo para continuar, uma vez que o Paysandu desmanchou o time e nem sequer esboçou um novo para a próxima temporada. Se o presidente anterior era açodado demais, Vandick está se mostrando o oposto. Vai deixar para montar o time somente em janeiro, quando não existirem mais bons jogadores disponíveis e os adversários já estiverem montados e na ponta dos cascos…

  2. Levar peia em jogo caça-níquel de fim de temporada não me parece um mico insuperável. Quanto ao comportamento dos argentinos, mico seria se os seguranças sampaulinos apanhassem dos “tigres”, como a PM paulista apanhou da torcida do River Plate, diante das câmeras de televisão, diante dos telespectadores de todo o mundo. Enfim, como quase sempre nestes últimos dois anos, o mico vencedor vai para as “cabeçadas” da diretoria do Clube do Remo.

  3. número 3, eles queriam o quê?
    que a PM pedisse liçença pra “conduzilos” ora, ora……

  4. Não houve ‘mico’ na excursão bicolor, esta serviu para arrecadar algum dinheiro a ser usado no custeio da viagem dos atletas que disputarão a taça São Paulo de juniores. Como a cota foi paga, então, o objetivo foi alcançado.
    Quanto ao Remo, fez sua parte. Já o atleta não. Enquanto isso, o dinheiro continua chegando de paraisos fiscais e sendo ‘lavado’ em tenebrosas transações como a citada, sem que a receita, tão rígida com vendedores de cds piratas nas ruas, faz que não vê essas traquinagens.
    Mico mesmo foi essa decisão da Copa Sul-Americana, marcada por porradal dentro e fora do campo sob o olhar conivente de uma Confederação que mais parece uma “famiglia”.

  5. Ótima pergunta, a do Fernandes Filho !! Até se duvida desses dirigentes, mas, por outro lado, sabe-se que é bem provável que
    o fato seja real. Sinceramente, essas transações são coisas de amadores, mas, no fundo, no fundo, eles atuam como dirigentes
    amadores justamente para poder fazer suas negociações ilícitas. Esses dirigentes querem, mesmo, é roubar o $$$, e ficam dando
    essas desculpas. Fabio Oliveira e Ávalos foram à justiça e o CR irá pagar-lhes, mas quanto será que os “cabeças” irão levar para suas
    contas particulares ?! Vejam a coerência da bandidagem: em entrevista ao Bola na Torre, o Ronaldo Passarinho, que era o diretor
    jurídico do CR, disse que NENHUM CONTRATO PASSAVA POR SUA AVALIAÇÃO !!! Ora, ora, qual seria o porquê ?! É obviamente proposital, para manobrarem e roubarem o clube.

  6. Cara a nº. é o mico pra mim, mas não pelo cabeça ou pelo REMO. e sim pela falta de honradez para com a palavra empenhada pelo jogador Flamel.

    O REMO estava na dele tentando contratar um bom jogador. O atual chefe inflacionou seu salário, então que seja feliz e que devolva os valores que recebeu.

Deixe uma resposta