MMA faz outra vítima fatal nos Estados Unidos

Do Portal Terra

Lutador amador de artes marciais mistas (MMA), Dustin Jenson, 26 anos, morreu em um evento não regulamentado do gênero em Dakota do Sul, nos Estados Unidos. Segundo informa o Rapid City Journal, a tragédia ocorreu depois de um combate realizado em 18 de maio no qual ele levou uma chave de perna de Hayden Hensrud. Conforme relatou Violet Schieman, sogra de Jenson, o lutador passava bem e estava “normal” logo após a luta, tendo inclusive permanecido no Rushmore Plaza Civic Center, local das competições, para assistir a outros dois confrontos do card. No entanto, a situação mudou na sequência: quando ele retornou aos vestiários para se alongar, começou a se queixar de algo e de repente sofreu um ataque.

Imediatamente, o serviço de ambulância foi chamado ao local, e o atleta amador, levado ao Hospital Regional de Rapid City. Segundo Schieman, Jenson foi hospitalizado em coma induzido para aliviar a pressão em seu cérebro. Uma cirurgia para diminuir o inchaço foi realizada, mas o lutador não mais acordou até sua morte cerebral ser decretada, em 24 de maio. De acordo com o jornal, Jenson participava de sua quinta luta em menos de um ano. O estado de Dakota do Sul não tem uma comissão atlética para regular o que é profissional e o que é amador no que toca o MMA.

Os amigos do lutador ainda se organizaram e criaram um site na Internet que aceita doações para ajudar nos custos médicos e do funeral de Dustin, cujos órgãos foram doados. Segundo o site MMA Fighting, a morte de Jenson é a terceira de um lutador da modalidade nos EUA depois de uma competição. Antes, Michael Kirkham morreu aos 30 anos após a sua estreia como profissional, na Carolina do Sul, em 2010; já Sam Vazquez morreu aos 35 sofrendo uma hemorragia subdural em seu terceiro combate profissional, no Texas.

6 comentários em “MMA faz outra vítima fatal nos Estados Unidos

  1. Com a palavra os defensores “disso”, cujo o qual me recuso a chamar de esporte.

  2. Não adianta, apesar do incidente o “esporte” ou modalidade jamais deixará de existir! Acidentes existem em todas as modalidades esportivas, já vitimaram inúmeros ídolos de cada nação e nem por isso, acabaram e/ou deixaram de existir.

    – A ignorância existe para ambos os lados, para os lados de quem luta e para os lados de quem não entende como se luta.

  3. Gerson e pessoal, eu não me julgo um defensor, apenas não gosto de entrar em brigas onde a minha voz, a minha escrita e as minhas ideias nunca serão vistas. Apenas isso! Se eu achar errado também, não fará diferença nenhuma, serei apenas mais um a ser contra algo que jamais irá deixar de existir, porque sempre existiu, desde os tempos dos antigos coliseus de Roma, é depois as lutas passaram a existir apenas no sub-mundo de forma clandestina.
    Eu já vejo com outros olhos, pelo fato de um dia já ter feito artes-marciais, mais não me veria fazendo parte desse circo, se eu ainda pode-se lutar.

  4. Olha se formos pegar as estatísticas de morte, corte de supercilios, nariz quebrado e fraturas, o futebol fica muito na frente do MMA em violência.

    Imagina se acontece uma cena de fratura exposta. como vemos corriqueiramente no futebol? pernas de jogador fazendo um verdadeiro L, rotulas de joelho pulando fora, cotovelos pulando pra fora do lugar, braços pendurados, jogadores tendo convulsões e ataques cardíacos e outras cositas mais.

  5. Uma notícia desta é de todo lastimável! Mas, bem se vê pelo conteúdo da matéria que dito acontecimento não pode ser levado em conta como agente depreciador do esporte. Afinal, de contas fica claro que o vitimado não praticava a modalidade de maneira responsável. Aliás, não se tratava nem de prática amadorista, e, sim, desenganadamente irresponsável e criminosa. Certamente alguém estava explorando a necessidade financeira deste cidadão. Ora, cinco lutas em menos de um ano num esporte de extremo contato… Isso aí não é MMA.

Deixe uma resposta