Coluna: Rafael é a salvação

É de conhecimento até do reino mineral que, quando Tiago Potiguar não joga, o Paissandu perde grande parte de sua força ofensiva. Vira uma espécie de Sansão sem cabeleira. Essa sentença, repetida exaustivamente desde que o arisco meia-atacante chegou de Currais Novos (RN), será outra vez posta em xeque hoje à tarde, na estréia do time na Copa do Brasil contra o Penarol amazonense, em Itacoatiara.
Sem seu principal homem de ligação com o ataque e também mais ativo extrema, Sérgio Cosme terá que recorrer à experiência e bom passe de Sandro para abastecer o ataque, onde Rafael Oliveira fica a esperar a produção dos armadores para pôr seu oportunismo em ação. Isso só ressalta a ausência de Alex Oliveira, novamente afastado por contusão.
No Parazão, contra adversários modestos, nem sempre Rafael e o Paissandu dependeram tanto de Potiguar. Mas é fato que, quando ele se ausentou, as dificuldades foram imensas. Até porque não há outro jogador de ataque com sua velocidade e capacidade de chegar à linha de fundo.
O problema aumenta de tamanho quando se observa que Mendes não assumiu ainda o papel de centroavante, capaz de prender zagueiros para facilitar a vida de Rafael Oliveira e demais jogadores que se aproximam da área. Apesar da promissora estréia contra o Independente, quando fez gol e deu passe para Sandro marcar, Mendes acomodou-se ao papel de atacante recuado. Recua tanto que, por vezes, aparece atrás da linha do meio-de-campo, como se fosse um meia-armador.
No Re-Pa, essa dificuldade de Mendes em acompanhar as ações de ataque e permanecer na área ficaram tão expostas e motivaram a imediata cobrança dos torcedores. Hoje, longe dos olhos dos corneteiros da Curuzu, o centroavante baiano tem nova chance de remissão. 
Diante do exposto, mesmo levando em conta as poucas referências sobre o Penarol, arrisco dizer que o Paissandu terá que apostar todas as suas fichas em seu artilheiro. Rafael Oliveira, que anda fazendo até gol espírita, é a principal esperança de Cosme e a única certeza de regularidade numa equipe que quase sempre muda de atitude a cada jogo.
 
 
Ao Águia, cujas chances no 1º turno do Parazão são remotas, o confronto com o Brasiliense é de grande risco, mesmo acontecendo em Marabá. Ainda sem render o que João Galvão espera, o time não pode se arriscar a uma eliminação prematura na Copa do Brasil.
 
 
Poucas coisas são mais ridículas, e com abordagem mais chata, que essa velha polêmica da Taça das Bolinhas. Por obra e graça de conchavos de bastidores, que abrangem interesses maiores (acordo para transmissão de jogos pela Rede Globo), a CBF decidiu reconhecer o título nacional de 1987 do Flamengo. Os rubro-negros festejam o hexa e o S. Paulo bate o pezinho e não larga o troféu de bolinhas de jeito nenhum. Sei não, lá em Baião isso quer dizer outra coisa, mas é melhor deixar pra lá. 

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 23)

30 comentários em “Coluna: Rafael é a salvação

  1. O que o Pontiguar está precisando é tomar muito Biotônico Fontura. Todo jogo é essa espectativa. Mendes tem mais uma oportunidade de mostrar serviço, já que não ouvirá apupos da fiel e, ainda, acredito que possa render mais. Agora sem dúvida que a esperança de gols ficou maior para o Rafael Oliveira. Esse Alex Oliveira, sei não.

    Curtir

  2. Acredito no time do Paysandu. Gostei da escalação com 3 volantes, até porque o Sidny entra. O time do Papão ataca com; Sidny, Sandro, Billy, A. Carioca, Bryan, R. Oliveira e Mendes. 7 jogadores que atacam e apenas 3 marcam(Billy, Alexandre e Bryan), logo, precisaria de mais um zagueiro ou um terceiro volante. Perfeito. Resta saber se o time está bem treinado e estudou o adversário. É a minha opinião.

    Curtir

  3. A parada é mais indigesta para o Águia de Marabá, mas o Brasiliense já não é o mesmo. Tem que fazer bem o dever de casa que tudo dará certo.

    Curtir

  4. Sobre a taça das bolinhas, tudo por culpa do trapalhão RT. Fosse eu tomaria a decisão de não considerar aquela competição válida para esse fim e morram como disse o tratante prefeito de Má naus.

    Curtir

  5. O paysandu jogar com tres volantes pra enfrentar o um time do interior do amazonas é sacanagem.
    E o pior é que vai depender unicamente do sandro pra armação das jogadas. Um jogador com 38 anos.

    Mas não é possivel uma coisa dessas.

    Curtir

  6. Bom dia Gerson Nogueira e Amigos do Blog;
    O Sérgio Cosme anda meio perdidão, e não olha o que tem disponível no plantel, por exemplo não está aproveitando o Djalma nem mesmo o Vaninho, prá substituir o Potyguar, além de não aproveitar também o Hélinton; reconheço que é muita dor de cabeça, devido à tanta opção porém, o mque me deixa inquieto é a falta de ousadia e de demonsttração de lançar mão dos recursos disponíveis, por exemplo, na impossibilidade de utilizar o Potyguar, por qual motivo não recuar o RAFAGOL pro meio, que é a real dêle, e colocar o Hélintom junto com o Mendes, talvez dessa forma o Mendes faça alguma coisa, já que de goleador, cantado em prosa e verso, ele virou meia? ou ainda, se não quer abrir mão de dois atacantes(tentando contrariar a lei da física “dois corpos não ocupam o mesmo lugar ao mesmo tempo”)colocar o Vaninho o moleque é habilidoso, vibrante, parte prá cima e está sendo sub aproveitado.
    Caras, é por isso que sou torcedor, prá dar pitaco na seara de técnico medroso.

    Curtir

  7. Hoje, pouca ou nenhuma diferença faz, se o time é do interior ou de Manaus, o futebol amazonense não amedronta para tanto, teoricamente. Mas, sou testemunha de muitos frontes entre nossos times e os times amazonense e, naquele momento os nossos eram tidos como os melhores (por ter elencos muito superior aos atuais, tanto Paysandu como o Remo) e acabaram sucumbindo diante de times amadores, arrumadinhos de peladeiros, dentro do Vivaldão.

    Mas, se o Paysandu jogar como um time grande, com responsabilidade, vencerá com uma goleada sonora! Os caras de lá quando enfrentam um time paraense, eles, fazem desse jogo, o jogo de suas vidas e os nossos jogadores quando pisam no gramado, parecem que estão pisando em ovos, daí os resultados quase sempre adversos aos nosso times.

    Porém, nada como uma pitada de responsabilidade e compromisso para colocar o time amazonense em seu devido lugar.

    Curtir

  8. E verdade Silas! O Cosme, ainda não colocou o Vaninho para jogar nenhuma partida sequer. O cara, pode ate não ter o mesmo futebol que o Thiago, porem e impressindivel ter uma meia de ligação e, não um monte de volantes no meio de campo, contra um adversário teoricamente inferior….

    Curtir

  9. André ele pode não ter as mesmas caracteristicas, mas futebol eu acredito que tenha o tanto quanto Tiago, mas como falei com caracteristicas diferentes e com o mesmo estilo que o Tiago habilidade, velocidade e vai para cima do adversário

    Curtir

  10. Vale só ressaltar que, por estar se recuperando de contusão, o Vaninho está fora desse jogo e nem foi com a delegação.

    Curtir

  11. Tenha certeza disso, amigo Berlli. Vale dizer, também, que para colocar o Helinton, teria que tirar o Sidny. Jogar com os dois, só se não mexer nos 3 volantes, ou numa situação de jogo. Temos que atentar para essas coisas. Penso que há muita coerência nessa escalação. É a minha opinião.

    Curtir

  12. Me veio uma coisa a cabeça?
    será que o pessoal do paysandu não falou pro técnico que quer o segundo jogo em casa, pra pegar uma graninha com a arrecadação?
    Lembremos que os jogos da copa do brasil não vão ser transmitidos pela cultura e quem quiser ver o jogo vai ter que ir a campo, promessa de uma ótima renda.

    Daí o motivo de sergio cosme estar jogando com 4 volantes no meio campo.

    Será?

    Curtir

  13. Ele entra na ligação, amigo Silas. Quanto ao Helinton que vc tanto quer na equipe e, quanto ao Sandro que os comentaristas tanto falam que é só ele na ligação, penso que: no 1º caso, o Sidny substitui e bem o Thiago Potyguar, como substituiria o Helinton, se fosse o escalado. Perceba, que hoje seu treinador diz que o Sidny é um ponta que entra em diagonal para surpreender o adversário. Sempre pensei assim, mas é uma pena que ele não pensou assim contra o Remo, onde poderia ter entrado com o Helinton. Quanto ao 2º caso, penso que, dizer que o Sandro está sozinho na ligação, é estar analisando futebol, quando ainda se jogava no 4-3-3, onde os 3 da frente eram o Ponta direita o Centro avante e o ponta esquerda e, os 3 do meio, eram: 2 volantes e um na ligação, com 2 laterais fixos e 2 zagueiros. Um absurdo. Volto a dizer o Papão ataca com 7 e, desses, apenas 1 é fixo, logo os outros 6, tem essa capacidade de ligar. Sou a favor da troca do Sérgio Cosme, mas não posso dizer que ele está fazendo besteira, quando está totalmente sendo coerente. Se o Paysandu perder ou empatar, vai recair naquilo que sempre falo que o problema é técnico, aí, é outra coisa.Melhor não misturar, pois assim, perde o Paysandu. É assim que penso.

    Curtir

  14. Amigo o meu pensamento e o seguinte, em relação ao teu post. Seria interessante, existir o outro jogo, para agente ter o jogo de vola! Mais tem o outro lado da moeda, lembre bem da serie C, em que perdemos o jogo dentro de nossos dominios, pelo simples fato de menosprezar o adversário depois de ter conseguido um bom resultado fora de casa e, de esta vencendo o jogo dentro de casa, por 2 gols de diferença, tomamos a virada sem dó nem piedade, da modesta equipe do Salgueiro – PE.
    Acho que esse exemplo, tem de ser posto em prática para os jogadores do atual elenco. Por isso, penso que o tem de matar o adversário na primeira partida e, claro desde que tenham chance reais para definir a partida.
    Mais não podemos esquecer também, que o nosso Paysandu que, o papão não tem um bom retrospecto recente fora de casa em competições nacionais, com exceção no campeonato paraense, mais em se tratando a nivel nacional o Paysandu se tornou um time caseiro, onde no máximo que consegue e um empate, vitória jamais! Acho que hoje pode ser o dia da rendenção e, sair com uma boa vitória de Manaus e, de quebra despachando o time genérico do Penharol e, deixando uma resposta contra o safado do prefeito de Manaús.

    Da-lhe Papão!!!!

    Curtir

  15. Egua Silas, o Cláudio se supera a cada comentário! Depois de ter várias peças de reposição dentro do elenco bicolor, ele quer improvisar o Sidny, no lugar do Tiago e, ainda diz que o mesmo pode corresponder a altura, te dizer em! Acho que o Cláudio calado e um poeta!

    Curtir

  16. E verdade meu caro! Futebol e coletivo e, sem invencionices como o nosso glórioso colega de blogue, Claúdio Santos escreve em sua postagem. E um absurdo dizer que o Sidny, conseguirá fazer o mesmo papel do Tiago Potiguar.

    Curtir

  17. Não foi isso que quis dizer, amigo André. Thiago, hoje no futebol do Pará, é insubstituível. Quis dizer, apenas, que ele pode funcionar taticamente, na ligação, como faz o Potyguar.

    Curtir

  18. Escutei na clube, agora a pouco, amigo Otávio. Lembra quando ele, percebendo a vulnerabilidade do lado esquerdo do Castanhal colocou no 2º tempo o Sidny e o Helinton e, ganhou o jogo? Penso que, ao chegar lá e conferir alguns dados de como joga o Penarol, deve ter percebido isso, também. Se foi isso, lógico, penso ser o correto.

    Curtir

  19. Não ouvi a partida ,mas já li aqui que o PAPÃO venceu por 3×2…Portanto O TIME VAI CRESCER E DESENVOLVER UM MELHOR FUTEBOL A PARTIR DE AGORA,PRINCIPALMENTE COM O PSEUDO-TECNICO CRIANDO VÁRIAS OPÇÕES PARA O TIME…(SIC)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s