30 comentários em “Lula e a nossa “grande” imprensa

  1. Mas, também há quem não prefira nem um, nem outro.

    A propósito, segundo a Folha, que foi quem divulgou a notícia da qual o lulla fala no vídeo postado, o gasto total em propaganda nos dois mandatos lullistas foi de R$ 9,325 bilhões, valor considerado semelhante ao gasto pelo fhc nos seus dois mandatos. Além da maior transparência sob o lullismo, a diferença entre os dois governantes é que sob o tucano só 499 veículos de comunicação recebiam verbas de publicidade, enquanto sob o lulla o número subiu para 8.094 veículos, num incremento de 1.522%%.

    Pois bem, sem embargo da maior transparência e socialização da verba, minha opinião é que R$ 9,325 bilhões é uma quantia elevada demais para ser gasta apenas em publicidade, quando é cediço que existiram outros setores que passaram quase à míngua nos dois governos.

    Curtir

    1. Concordo, a pendência favorável a peruquenta nas eleições partiu deste fator. Serra não era o mais indicado para enfrentar a popularidade de LULA Lá já que a Dilma má por si só não representava maiores precupações. A qualidade do concorrente foi a cartada na vitória do partido dos trapalhões.

      Curtir

      1. A falta de adversário político ao Lula, não se resume só na esfera nacional, mas mundial !
        O Serra não consegue vencer nem a própria personalidade nebulosa, imagina, se conseguiria derrotar o melhor presidente do Brasil, o LULA.
        Hoje, se você faz, tem que assinar ! Porque do contrário, corre o risco de apropriação indevida e sai como o: Não faz nada.

        Curtir

      2. O Serra não conseguiu lidar nem com a bolinha de papel, caro Cezar. E o Efeagá deve estar dando socos na parede com o sucesso do metalúrgico.

        Curtir

  2. Ler ou não ler, eis a questão. A mim não incomodam as alergias do Luis Ignácio nem as manias do F. Henrique , em relação a leitura.
    Se a falta de leitura não desmerece, o prazer da leitura também não. A leitura é um prazer que embriaga, não deixa ressaca e só faz bem. Outros preferem prazeres diferentes com os quais se deleitam.. E assim todos exercem o livre arbitrio.

    Curtir

  3. Bom dia Tavernard. Tenho o hábito de procurar saber o que rola nas cabeças dos outros sobre assuntos polêmicos, logo não posso me omitir se faço questão que o outro lado seja questionado. Qualquer texto para a leitura e prática do soletrando é oportuna e creio que 87% do povão brasileiro pratica, afinal qual a diferença do mé da cabra para a do bode? Pra mim parece identicas, mas sei que há diferenças.

    Curtir

  4. Como dizia John Kennedy “Presidente que reclama da imprensa é o mesmo que um comandante de navio que reclama do mar”. Esse presidente fez em oito anos o dobro do que criticou quando era oposição. Daqui pra frente, que Deus nos proteja.

    Curtir

  5. Se 500 ou 1.500 veículos foram usados como midia ouca importadesde que não tenha havido MOEDA DE TROCA. MIDIA é MIDIA e não pode haver contemplação. Na area privada um midia só anuncia em veiculo que garanta retorno ao anunciante. É duro dizer mas tem que ser dito :a imprensa é dividida em GRANDE, NANICA e MARROM. Estou inventando moda ?

    Curtir

    1. A propósito, de registrar que uma das restrições feitas pela Folha aos gastos com a mídia sob o lulla foi a de que a transparência não foi completa, eis que não constou o nome dos beneficiários e tampouco o valor com que cada um deles foi aquinhoado.

      Curtir

  6. C. Berlli, mé de cabra ou mé de bode deve ser tudio igual. Se me perguntares pelo leite-deonça sou capaz de distinguir entre o bom e o batizado. Quanto ao pirulito sabemos que todo menino do buchao chora e chora muito quando lhe é tirado o gostoso rebuçado.

    Curtir

    1. Em se tratando de “leite-de-onça”, já que estamos diante de um expert, me permita uma indagação: lá pelos lado da “Cachopa”, no Marajó, os admiradores sustentam que o autêntico é aquele feito de leite búfala, misturado com o puro alcool, é o chamado “arquito”. Será que procede? Mas, que é bom, lá isso é!

      Curtir

  7. O que me assusta não o presidente não ser poliglota esse é o menor dos problemas, o que me assusta e entristece é o cara não saber o português, tudo bem que vão dizer que tem poliglota que não fez nada pelo povo etc…mas peraí… poxa!! pelo menos empregar o plural deveria ser obrigatório. e não adiante vir dizer que ele não emprega o plural mas empregou tantos x’s de brasileiros.

    Outra coisa que me deixa preocupado e o GN vir reclamar da imprensa e esquecer do meio de comunicação que ele ganha o pão, totalmente tedencioso no que tange as coisas da família Barbalho. Com todo respeito que tenho a figura via democrácia e o gosto pela boa música, mas Gerson de política você vai muito mal, peicipalmente no aspecto regional ( e olha que não defendo o grupo ORM, pois ataca com a mesma imparcialidade que o grupo RBA defende os velhacos ).

    Curtir

    1. Caro Sérgio, respeito todas as posições políticas e ideológicas – desde que não nazi-fascistas. Sou tolerante por princípio. Aceito a sua crítica à defesa que faço de Lula, com a compreensão de que nem todos têm (nem precisam ter) o mesmo ideal de país que eu tenho. Quanto à questão específica do DIÁRIO DO PARÁ, cuja redação dirijo, lamento que você não leia nosso jornal, disparadamente o melhor (em termos técnicos) e mais plural deste Estado. Digo isso porque se fosse nosso leitor saberia ser injusto afirmar que o DIÁRIO de hoje é um veículo tendencioso. Quem o lê sabe o que estou dizendo.

      Curtir

      1. Menos Gérson, menos…

        Dizer que o Diário não é tendencioso, que não defende com unhas e dentes a família Barbalho desde os da árvore genealógica mais rasteira é um certo exagero.

        Vou dar um exemplo, como leitor, porque acompanhei: às vésperas do julgamento do recurso em que o quase senador Jáder pleiteava liberação de sua candidatura junto ao STF, as páginas do jornal foram recheadas de artigos, fotos, tudo o que se possa imaginar para defender o ponto de vista do quase senador. Se isso não é ser tendencioso, não sei mais o que significa.

        Interessante é que o grande argumento era a liberdade de expressão que está intrinsicamente ligada à liberdade de bem informar. Contraponto de ideias, nem pensar.

        O grande problema é que o concorrente é useiro e vezeiro em praticar a tendenciosidade. E aí quem sofre com isso é o leitor que precisa usar de estratégia para entender a mensagem subliminar que os jornais sempre despejam.

        Curtir

  8. Gerson, te confesso que já fui assíduo leitor dos jornais paraenses, entretanto, como eu tenho, sem querer parecer vaidoso, um pouco da inteligência que o nosso “querido” Lula tanto pede e nisso ele tem razão, que precisamos deste discenirmento pra crivar as “informações” que recebemos eu deixei de ser leitor dos jornais, pois todas as vezes que os lia, ei tinha a certeza de nosso provícianismo.

    O que eu realmente me surpreendi foi quando você postou aqui neste espaço uma crítica sobre a lei do ficha limpa, isso pra mim foi o fim da picada. Porém, não falo só do diário do Pará, falo de toda a mídia do grupo, inclusive a radio clube ( o programa do Nonato cavalcante é brincadeira cara).

    Mas de futebol e pricipalmente de música você vai bem. quanto ao Lula…bem… dá pra levar, principalmente por que não temos referências tupiniquins mesmo.

    Curtir

  9. Li os comentarios, li as replicas e treplicas e vi que todos estaum com a razaum…rsrsrs….viva a democracia, a ditadura da maioria…Feliz 2011 para todos que fazem deste blog, o maior e mais comentado blog da cidade….

    Curtir

  10. Último Segundo Informa:

    Em viagem de despedida a Salvador, Lula entrega obra inacabada. Os apartamentos, entretanto, ainda estão em construção e a obra só deve ser inteiramente concluída em dezembro de 2011, de acordo com a Caixa Econômica Federal. O empreendimento, com cinco condomínios populares de 20 blocos cada, contou com um investimento de R$ 31 milhões e está sob a responsabilidade da incorporadora Odebrecht.

    Cabra bom de papo.

    Curtir

  11. CONSTA que, durante a República Velha, nomearam o letrado e hábil orador RUI BARBOSA para ministro de estado e sua administração foi um fiasco total.
    LULA foi eleito para administrar o Brasil e não para dar aulas de gramática. Aliás, constatou-se que entre FHC e LULA, este último foi considerado muito melhor comunicador que aquele. FALA e seu interlocutor (o povo brasileiro) entende.

    Curtir

  12. VALENTIN: Você disse tudo. O que a gente vê de dou
    tores e até professores ignorando plurais, não está no gibi. Imagine concordâncias verbais e nominais. Conhecer a língua é ótimo, mas a cominicação é muito mais importante. A linguagem do Lula é pobre, às vezes sem nexo, mas o povo entende.

    Curtir

  13. Já começou mesmo antes da Nova Aurora de 2001 o efeito cascata do aumento salarial dos parlamentares. Em Alagoas ontem a noite os deputados federais tomaram as providências cabíveis e hoje a tarde os vereadores.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s