A crônica alugada

CÓDIGO DE BOM-TOM DOS TEMPOS MODERNOS 

Xico Sá

CAP. I -§ 1º

Se beber não passe email. As chances de dar merda, ora, são enormes. Pedir alguém que você mal viu em casamento, desmanchar o namoro dos sonhos, sabotar os projetos em andamento, escrever pornografia para a madre superiora do Colégio das Damas, xingar o amigo, zoar o freguês, desonrar o(a) parceiro (a), desmerecer os carinhos, atordoar os sentidos, desmascarar os ímpios, passar óleo de peroba na cara dos eventuais incorruptíveis, desmoralizar o ombudsman, entregar as Bovarys e os dons Juans com farta distribuição na rede de fotinhas digitais…

Ao sair para beber, deixe o computador desligado, travado, imploda as tomadas, faça uma barreira na porta do escritório, ponha um rastro de cascas de bananas para que você desabe no chão antes de alcançar a máquina de alta periculosidade. Faça tudo, amigo(a), que dificulte a volta [do boteco] direito para o outlook da insensatez, o gmail das perdições,  a pororoca de um spam cardíaco, a irrecuperável ressaca moral dos itens enviados.

(Do blog O Carapuceiro)

Sempre quis postar aqui um comentário de Xico Sá, nordestino de estirpe, escriba da pesada, torcedor do Sport-PE. Aproveitemos essa prosa sempre inspirada. 

Um comentário em “A crônica alugada

  1. Xico Sá é sensacional.

    A propósito, tem uma inovação no Gmail em que você pode configurar para que dentro de um período pré-estabelecido só seja permitido o envio de e-mail após o preenchimento de um formulário com alguns cálculos matemáticos dentro de um tempo limitado.

    São cálculos bestinhas, mas que fazem diferença quando o teor alcoólico está em demasia. Pelo que me consta isso já evitou muitos apuros.

Deixe uma resposta