Remo sai na frente, mas sofre virada do Ypiranga

O Remo jogou por 20 minutos. Tempo suficiente para abrir o marcador e iludir seu torcedor. Neto Norchang fez o único gol do Leão logo aos 14 minutos de jogo, após cruzamento perfeito de Vanilson. Depois disso, o Ypiranga tomou o controle e virou a partida, fazendo 2 a 1, gols de Hugo Almeida e Kevem. O zagueiro do Remo marcou um gol contra.

O fato é que, depois de abrir o placar, o time paraense se desorganizou, recuou e foi muito pressionado pelos donos da casa. O Canarinho avançava muito pelos lados. Foi assim que saíram os gols. Hugo Almeida participou das jogadas dos dois gols, conseguiu fazer um (38 minutos) e disputava a bola com o zagueiro Kevem, e o defensor acabou desviando a bola para o gol no 2º gol (43′). T

Na segunda etapa, mesmo pouco efetivo, o Remo até conseguiu sair mais de seu campo, porém criou poucas chances. A perda de Everton Sena e Leonan, por contusões, ainda no 1º tempo comprometeram muito o desempenho do time. Substituições feitas pelo técnico Paulo Bonamigo pouco contribuíram para que o time conseguisse reagir na reta final.

8 comentários em “Remo sai na frente, mas sofre virada do Ypiranga

  1. Gerson, infelizmente o Bonamigo não tem um patrão de jogo, não sei se por deficiência técnica dos jogadores que não acertam nenhum passe, ou, se o Bonamigo chegou no seu limite de conhecimento, técnico e tático, o time não tem posicionamento em campo, não ganha uma segunda bola, o tempo todo é chutão pra frente, não segura a bola no meio, erra muitos passes, vive de lampejos durante o jogo, e não tem mais jogadas ensaiadas, o time do Ypiranga é apenas razoável, e o Remo mais uma vez fica atrás se acovardando, acho que o Bonamigo deveria fazer igual ano passo, sair numa boa, entregar o lugar por não conseguir mais extrair nada desse grupo, ter a hombridade de reconhecer que desde o ano passado na série B, no campeonato paraense desse ano e agora na série C, ele não conseguiu dar um esquema tático definido, o time do Remo parece que se reúne na véspera pata jogar. Diretoria precisa também, reunir com os jogadores, cartões amarelos infantis e expulsão no banco de reserva, aí não dá, esses caras deveriam ver como os jogadores da europa se comportam, são profisionais na essência da palavra.

  2. Gerson, pouco a acrescentar na lúcida análise do Jaime.
    Inacreditável que jogando fora de casa, o Remo use só um volante de marcação, o Uchoa. O melhor lateral direto que temos é o improvisado atacante, Neto.
    Colocar o Fernadinho é uma heresia.
    O Ronald e o Curuá, nem no segundo tempo são lembrados.
    Vanilson e Brenner, juntos, não!
    Falar dos fracassos em geral das contratações é repetir sempre os mesmos erros.
    Deus nos salva de um vexame maior.
    Abração

  3. O time está perdido, o Sena saiu a pouco tempo do NASP, já está voltando. O Patrick saiu do NASP e já foi expulso na estreia. O Keven entra faz gol contra e o Bonamigo insiste em preterir o Ronald. Onde vamos chegar?

  4. E isso mesmo torcida. Lembro apenas que ninguem esta acima do Remo. Ronald e Curua nao jogam pq sao locais. Temos 2 jgs em casa mas nao vemos de que forma conquistar esses pontos. Diretoria e boa pra administrar mas ruim de futebol pra caramba.

  5. Já joguei a toalha em relação a Bonamigo faz tempo. O Remo segue tropeçando nas próprias pernas nessa Série C, sem plano de voo, digo, de jogo, específico pra cada partida, local e adversário. Dizer que não tem padrão de jogo é faltar com a verdade. Tem sim, com passes laterais, jogo horizontal e estado letárgico no primeiro tempo. Bonamigo é o típico treinador brasileiro. Fica impassível a beira do gramado, vê a vaca se atolando no brejo sem esboçar reação alguma, esperando o intervalo para fazer as substituições e modificações táticas que acha necessárias, mas as mesmas de sempre. Discordo dos analistas que ficam exigindo, clamando, implorado pela entrada de Ronald quando a casa já está caindo ou já desabou. É dar muita responsabilidade para um jovem jogador que ainda apresenta muitas deficiências técnicas apesar de seu extremo voluntarismo e boa habilidade. Ao fazer isso, chancela-se os erros do técnico que tem a obrigação de montar o time e fazê-lo jogar com harmonia, sem depender da boa atuação de um ou dois jogadores apenas. Aliás, o Remo tem um elenco de razoável pra bom, mas necessitando de um técnico que o faça jogar como um time. Erick Flores, teoricamente a referência técnica do elenco, vem se notabilizando por ser um chinelinho e, agora com a sua prisão, parece que vai consolidar de vez essa condição.

Deixe uma resposta