Boa atuação credencia Leão

Felipe Gedoz recebe a marcação de Pedro Bambu e Tiago Real

POR GERSON NOGUEIRA

Em jogo equilibrado, o Remo arrancou um bom empate diante do Vila Nova, ontem à noite, em Goiânia. Poderia ser até melhor. Neto Pessoa e Lucas Tocantins tiveram oportunidades claras de marcar, mas o goleiro adversário impediu o gol. De maneira geral, os donos da casa foram superiores na primeira meia hora, mas o Remo equilibrou ainda no primeiro tempo e depois controlou bem o jogo.

O início foi todo do Vila, que pressionou a saída de bola e criou situações complicadas para a defesa do Remo, embora sem conseguir lances agudos na área. A melhor chance foi aos 14 minutos, quando Clayton fez o gol, mas foi flagrado em situação de impedimento.

Por volta dos 30 minutos, o Remo conseguiu desafogar e sair mais para o ataque, principalmente pelo lado esquerdo da defesa. Igor Fernandes, apoiado por Erick Flores, passou a avançar até a área goiana e as oportunidades começaram a aparecer. Primeiro, com Felipe Gedoz chutando rasteiro, mas em cima do goleiro.

Com Tiago Mafra forçando pela direita, o Remo começou a incomodar mais. Aos 42’, em troca de passes na entrada da área, Gedoz colocou Neto Pessoa na cara do gol. O centroavante bateu rasteiro e o goleiro Georgemy salvou com o pé, mandando para escanteio.  

No segundo tempo, Eduardo Baptista trocou Erick Flores por Ronald e Tiago Mafra por Lucas Tocantins, aumentando o poderio ofensivo azulino. Logo no primeiro minuto, Lucas Siqueira e Ronald levaram perigo ao sistema defensivo do Vila.

Em resposta, aos 7 minutos, Rafael Donato desviou no travessão uma cobrança de escanteio. O Remo reagiu no minuto seguinte. Com mais rapidez na transição, Felipe Gedoz lançou Tocantins, que invadiu a área e bateu na saída do goleiro, mas este conseguiu defender.

O Remo era melhor, distribuía bem o jogo e ficou ainda mais fortalecido na marcação com a entrada de Paulinho Curuá em lugar de Pingo, que saiu lesionado. Aos 23, Ronald quase acertou o gol em chute rasteiro. Aos 27’, nova grande oportunidade: Neto Pessoa entrou na área, driblou dois, mas escorregou antes de finalizar, o que facilitou a defesa de Georgemy.

O Remo apertava e a zaga do Vila abria espaços, principalmente para Lucas Tocantins, que passou a receber lançamentos pela direita.

Aos 38’, porém, um susto para Vinícius. Em novo escanteio, a bola rondou a área e terminou em chute de Alan na trave direita. A jogada foi invalidada por impedimento do atacante goiano.

Sem pressa, o Remo gastou os minutos finais tocando a bola e de vez em quando insistindo pelos lados, mas sem forçar em direção à área. O empate já estava garantido. O resultado credencia o Leão para a final de sábado, no Baenão, quando precisará de uma vitória simples para conquistar a Copa Verde 2021. (Foto: Wesley Costa/O Popular-GO)

Roni ganha homenagem especial da Câmara  

O atacante Roni, campeão da Libertadores pelo Palmeiras e ex-jogador do Remo, será homenageado na próxima segunda-feira (13), às 9h, na Câmara Municipal de Belém, com o título de Brasão D’Armas, a mais alta comenda outorgada pelo Legislativo Municipal.

A homenagem resulta de proposição aprovada por unanimidade, de autoria do vereador Zeca Pirão (MDB), presidente da CMB. Segundo ele, Roni tem demonstrado “amor e respeito pelo Estado nas conquistas ao longo da carreira”.

Em campo, vereadores de Belém levam a melhor

Aconteceu ontem, no Grêmio Literário Português, o tradicional jogo de confraternização entre vereadores de Belém e vereadores de Ananindeua. Os parlamentares da capital venceram por 4 a 2, em clima de rivalidade. Os prefeitos Edmilson Rodrigues (PSOL), da capital, e Dr. Daniel, de Ananindeua, prestigiaram o confronto.

Marcaram presença outros desportistas ilustres, como Orlando Reis, presidente da Cohab e ex-vereador, e Manoel Pioneiro, ex-prefeito de Ananindeua, além de vários secretários municipais.

Adriano, o goleiro “paredão” do Remo reforçou a seleção do interior, enquanto o bicolor Zé Augusto, o Terçado Voador, comandou o ataque de Belém, marcando um gol na partida.

Tuna investe em veteranos para o Parazão

Um poço de contradições nos últimos tempos, a Tuna inicia a preparação para o Campeonato Paraense de 2022 exibindo uma estratégia que não combina com a tradição do clube, que sempre revelou bons jogadores e foi dono de divisões de base produtivas.

O anúncio das primeiras contratações é preocupante. Sem recursos, a Águia foi buscar jogadores rodados. Fidélis, que andava pelo Castanhal, é a opção para o ataque. Léo Rosa, que esteve na campanha do vice-campeonato neste ano, retorna ao clube. Ednaldo também está confirmado.

Lucão, Araújo, Jayme e Luan Santos completam o rol de reforços. Outra “novidade” deve ser o veterano Paulo Rangel, 36 anos, que se destacou na surpreendente campanha desta temporada.

Do almoxarifado da Lusa devem ser guindados ao elenco sete atletas. O comando é de Emerson Almeida, ex-auxiliar técnico de Robson Melo no Parazão 2020. Da nova geração, Emerson é mais jovem que boa parte dos reforços anunciados nos últimos dias.

Antes de o time estrear no Estadual, em janeiro, a diretoria do clube pode mudar. A eleição, que se desenha renhida, está marcada para 28 de dezembro, com três chapas disputando a presidência. 

(Coluna publicada na edição do Bola desta quinta-feira, 09)

5 comentários em “Boa atuação credencia Leão

  1. Algumas curiosidades do jogo de ontem. O volante Pingo, com menos de 20 anos, parece ser um jogador bichado. Na Série B, passou uma longa temporada no DM. Ontem, frequentemente desabava em campo. Imaginem se fosse um atacante com a incumbência de expor as canelas para zagueiros vorazes. Já Lucas Tocantins parece não ser nem jogador de meio tempo. Ontem, entrou no segundo e no fim da partida já estava ostentando uma imensa gravata vermelha e andando em campo, depois de fazer o salseiro de sempre quando ainda tinha pernas pra isso. Definitivamente o Remo tem de formar, para a Série C, um elenco bem preparado fisicamente se quiser subir de novo.

  2. Não sabemos mas nem o que falar sobre o nosso Remo, só espero que Deus esteja reservando pra esse finalzinho de temporada a tão merecida alegria, neste ano tão sofrido pro Leão. Força remo!!!

  3. Dizer que a Tuna investe em “veteranos” é redundante, chover no molhado, como se não fosse habitual no futebol paraense.
    O Paysandu, que planeja “mudanças” para 2022, anuncia a contratação de um zagueiro de 33 anos (sub-40) que já teria passado por cerca de 14 clubes. É mais um que chega com apenas uma folha em branco, na 10a. Carteira Profissional.
    É a renovação da mesmice !!

  4. Como comentei anteriormente, depois de cada fracasso dos nossos times a torcida, os dirigentes e parte da imprensa clama pelos “meninos da base”. Só encenação. Uma barca com “reforços” para o grande rival já aportou por aqui. Logo logo chega a do Remo.

Deixe uma resposta