Centro das Indústrias do Pará manifestou apoio às ilegalidades defendidas por Salles

Imagem

Quem lembra do infame apoio do Centro das Indústrias do Pará (CIP), dois dias depois que o ministro Ricardo Salles defendeu em reunião ministerial a flexibilização de leis ambientais e “ir passando a boiada” para permitir ações contra o meio ambiente na Amazônia? Pois é, esse mesmo grupo de empresários paraenses mantém constrangedor silêncio diante das denúncias que levaram à operação da Polícia Federal no Ministério do Meio Ambiente, nesta quarta-feira (19).

Mesmo com amplo repúdio da sociedade, a declaração do ministro Ricardo Salles na reunião com o presidente Jair Bolsonaro ganhou defesa apaixonada dos empresários do CIP, que tiveram ainda a ousadia de publicar uma nota oficial risível, apoiando a devastação ambiental da Amazônia.

Em “nota de posicionamento, apoio e protesto”, o Centro das Indústrias do Pará, entidade vinculada à Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), declarou apoio ao ministro do Meio Ambiente e fez amplas mesuras ao presidente Jair Bolsonaro, que “sonha com o bem do Brasil”:

— Na sua fala, entendemos que se referiu ser, este momento de reflexão, um momento propício para desburocratizar o setor ambiental, pois, neste setor, existe (sic) normas, portarias e instruções normativas complexas, confusas, e mais restritivas que a lei, que causam insegurança jurídica, judicializando todas as decisões. (…) Por fim, vimos que as declarações do Presidente tornadas, maldosamente, públicas, serviu (sic) para constatarmos e consolidarmos que o Senhor Presidente sonha com o bem do Brasil.

A nota capciosa é assinada por José Maria da Costa Mendonça, presidente do CIP e vice-presidente executivo da Fiepa. Em agosto de 2020, em entrevista ao jornal O Liberal, ele já havia defendido a “desburocratização” e a revisão da incidência tributária no Estado. “Sempre que existe fiscalização de qualquer empresa, vem logo cheia de notificações, penalidades, como se o empresário fosse algum bandido”, afirmou. “Queremos que exista um relacionamento saudável entre as partes”.

O “saudável” significa aqui o mesmo que o “passando a boiada” defendida pelo ministro motosserra Ricardo Salles, que está em apuros porque foi acusado por autoridades americanas de tentar fraudar a venda de um carregamento de madeira nobre da Amazônia.

Cinco meses antes, em março, Mendonça organizou, na sede da Fiepa, um evento sobre mudanças climáticas. Segundo o convite, o encontro teve como objetivo “contestar a posição de ambientalistas que defendem restrições na economia” e contou com a presença de expoentes do negacionismo climático, como o meteorologista Luiz Carlos Molion, mentor do senador Zequinha Marinho (PSC-PA), presidente da Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas (nas quais já disse que não acredita) e membro da Frente Parlamentar da Agropecuária.

3 comentários em “Centro das Indústrias do Pará manifestou apoio às ilegalidades defendidas por Salles

  1. O tempo passa, o tempo voa e esse empresarido paraense segue sonhando com um ambiente de negociatas onde sejam reconhecidos como acima da lei. Não dá!

    Curtir

  2. Centro das Indústrias do Pará? Mas que indústrias? Quando se fala em indústrias implantadas no estado cita-se a Vale, a mineradora que não faz mais do que escavar nosso solo em busca de minérios para exportá-los sem deixar contrapartida por aqui. Além dela, muito pouco pode se considerar como atividade industrial por aqui. O mais falastrão dessa turma que se diz empresário de indústria é um falido. O que mais se vê no estado é atividade primária ilegal e predadora nos ramos agropecuário, garimpeiro e madeireiro.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s