Adeus a Ronaldo Porto, apresentador Barra Pesada e locutor 40 Graus

Ronaldo Porto: Morre Apresentador de TV e Ex-Vereador, de Covid-19

Perdi um velho amigo e um grande companheiro de profissão. Ronaldo Porto, 69 anos, nos deixou na manhã deste domingo (14), vítima de um mal devastador que já vitimou 280 mil brasileiros. Aliás, domingo é dia de grandes jornadas esportivas e Ronaldo foi, como poucos, um entusiasmado narrador de futebol. Era a sua vida, ali na cabine sentia-se gigante – e era mesmo. Uma das vozes mais marcantes de sua geração, ele deixa uma legião de admiradores e ouvintes, com inteira justiça. Quis o destino que o amigo partisse no dia universal do futebol.

Lutava há cerca de um mês contra as complicações decorrentes da covid-19. Teve evolução ruim nos primeiros dias, foi entubado, mas depois começou a reagir de maneira surpreendente, entusiasmando familiares e amigos. Ontem, porém, o quadro se agravou muito. Segundo o boletim médico divulgado no sábado (13), a pressão arterial do voltou a ter quedas significativas, obrigando a equipe médica a fazer medicações mais fortes.

As plaquetas também caíram muito e os leucócitos ficaram em 3 mil, muito abaixo do mínimo indicado. Ainda no sábado, foi detectado que seu sangue continha alto grau de acidez e que ele estava utilizando 100% do oxigênio fornecido pelos aparelhos. Não era mais possível fazer hemodiálise, como necessário, em função da pressão.

Sua morte foi anunciada na manhã deste domingo. Ronaldo tinha problemas de saúde anteriores à covid – era cardíaco e usava marca-passo. Ainda assim, foi guerreiro, resistiu bravamente na luta pela vida.

HISTÓRIA VITORIOSA

Ronaldo Napoleão de Araújo Porto nasceu em 11 fevereiro de 1952. Era bacharel em direito, trabalhou com vendas e também atuou como professor universitário. Começou sua carreira em 1969 como repórter da Rádio Marajoara.

Sob o comando de Guilherme Guerreiro, integrou a equipe campeã de audiência da Rádio Clube. Cobriu pela rádio Copas América e várias Copas do Mundo, com destaque para as de 1994, 2006, 2010 e 2014, realizada no Brasil. Estivemos juntos na maioria desses eventos internacionais, o que me permitiu desfrutar da alegria e da extrema gentileza de Ronaldo, reconhecidamente um grande parceiro de trabalho e viagens.

O passado é uma parada… – Blog do Gerson Nogueira

Por um breve período, de 1997 a 2000, exerceu o mandato de vereador na capital paraense. Era então o mais popular comunicador do Estado, a partir do sucesso de audiência do programa Barra Pesada, na RBATV, criado por mim em 1992. A meu pedido, em 1993, que Ronaldo assumiu a bancada do Barra, contribuindo decisivamente para o êxito do programa, que até então não tinha apresentador fixo.

Depois que criei o programa, em 1992, ficamos por meses buscando alguém que assumisse a ancoragem. Durante esse tempo, o maior campeão de audiência da TV paraense – entre 1993 e 1996 liderou as tardes paraenses – teve altos e baixos, solidificando-se apenas a partir da entrada de Ronaldo, que se redescobriu na TV a partir do Barra Pesada.

Pai carinhoso, Ronaldo era um apaixonado pela vida, aliás repetia isso sempre, quase como um mantra. Teve amores fortes e curtiu bastante as coisas que a vida permite, como passeios e o desfrutar da companhia dos amigos. Nas viagens pelo mundo, Alemanha principalmente, em 2006, foi um animadíssimo parceiro de descobertas gastronômicas pelos inúmeros paraísos culinários do país de Beckenbauer.

Fã de carnaval (era amigo pessoal de Luizinho Drumond, patrono da Imperatriz Leopoldinense), diversões noturnas e convivência com os amigos, Ronaldo também tinha seus clubes de coração. Era azulino – foi sócio e conselheiro – e vascaíno empedernido. Posso dizer que meu amigo viveu intensamente seus 69 anos de vida, aproveitando ao máximo tudo o que lhe foi permitido fazer. “De bem com a vida” era um de seus jargões prediletos, além do inconfundível grito de guerra “Gol, gol, gol!”.

Participei de dezenas de jornadas esportivas na Rádio Clube tendo ele como narrador e eu nos comentários, mas nosso último trabalho em parceria foi a 29 de janeiro passado, quando fizemos o programa de apresentação do jogo Remo x Londrina, na RBATV, pela Série C. Naquele dia, na carona que me concedeu, Ronaldo e eu falamos sobre o medo em relação à covid. Dias depois, precisou ser internado e não mais retornou.

Uncategorized – Página 6 – Blog do Gerson Nogueira

Dono de estilo intenso e timbre marcante, Ronaldo viveu momentos épicos como narrador esportivo da Rádio Clube, com destaque para a histórica partida entre Boca Juniors x PSC, pela Copa Libertadores da América, em 2003, direto de La Bombonera, em Buenos Aires. Com sua voz possante, narrou de forma emocionante a epopeia bicolor em canchas argentinas (vídeo abaixo). Um bom exemplo da competência e do carisma do amigo que hoje nos deixou. Que descanse em paz.



5 comentários em “Adeus a Ronaldo Porto, apresentador Barra Pesada e locutor 40 Graus

  1. Sem palavras para expressar essa enorme perda , gostava muito das narrações e dos comentários dele em relação ao futebol paraense, também estava super acostumado a vê-lo apresentar o Barra pesada, que perda!!!! E ainda tem gente fazendo protexto contra vacina, Lockdown, meu Deus, como o certos segmentos do povo brasileiro ainda não conseguiram entender que a covid é super séria e ignorar isso só vai piorar algo que já está muito ruim. Vá em paz Ronaldo Porto!!!!!!

    Curtir

  2. Uma Grande pra crónica esportiva Paraense. Cresci ouvindo as narrações e vendo o programa Barra Pesada . Ele tinha um estilo próprio de se comunicar , que era a sua “marca” Vai fazer muita falta !!

    Curtir

  3. Caro Gerson,
    tem uma máxima que diz que quem bate esquece e quem apanha nunca esquece.
    Lembro essa máxima para corrigir passagem destas bonitas palavras ao 40 graus que vc fez.
    Na época da criação do programa Barra Pesada, como vc deve lembrar, eu era um dos Apresentadores da casa e o programa tinha sido lançado e se pronunciava de grande audiência o que realmente aconteceu. Como primeiro Apresentador teve o paulista Luís Alberto, que não lembro como apareceu na RBA. Era dono de um vozeirão, mas durou apenas um mês na apresentação do programa devido um comportamento nada republicano em sua vida pessoal. Com isso, vc me convidou para assumir o programa, o que fiz por 3 meses com muita dedicação e talento. O programa desde o seu início já se mostrava um campeão de audiência e assim o foi comigo. Aí foi quando conheci o RP em uma situação triste e chata para mim. Com um relacionamento mais estreito com a Direção da TV, fui comunicado, com o argumento de que tinha um rosto muito jovem, que RP assumiria o Barra Pesada, o que aconteceu de fato. Eu voltaria para a bancada do Jornal. O programa já era sucesso e ao meu filtro RP usou de seu prestígio junto ao Grupo para me tirar do mesmo. A partir daí o RP nunca mais me encarou, o que comprovou meus sentimentos. Quanto ao argumento do rosto jovem, anos mais tarde o Agenor Santos, como o 4° Apresentador do Programa, mostrou que essa característica etária não seria problema.

    Por Rui Bastos

    Curtir

  4. Amigo Rui, em primeiro lugar, é um prazer imenso falar com você, depois de tanto tempo. Respeito seu ponto de vista, mas quero lhe dizer que, de minha parte, como criador do programa e diretor de jornalismo à época, as escolhas – desde o Luiz Alberto, primeiro profissional testado – jamais foram movidas por questões políticas ou de tráfico de influência. A opção pelo Ronaldo, após as passagens de outros profissionais valorosos e competentes (você, Giuseppe Tommaso e Edson Matoso) pela bancada, foi essencialmente técnica. Optei por ele por ter identificado um estilo próximo do que imaginava para o programa desde sua concepção inicial. Diretor nenhum interferiu nesse processo, a decisão foi minha. Ao mesmo tempo, não soube de alguém que tenha citado a suposta questão de “rosto muito jovem”, até por ser um argumento estéril e raso. A escolha foi por melhor adequação ao perfil buscado e você, como um profissional de TV, sabe bem a que me refiro. O tempo mostraria que Ronaldo realmente incorporou a apresentação e se tornou uma espécie de rosto vinculado ao programa, tão marcante que poucos recordam os antecessores dele na bancada, o que é inteiramente natural. Espero ter esclarecido a parte que me cabe nesse episódio. Forte abraço.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s