Um gigante brasileiro no ataque do Aston Villa

wesley-moraes-reforco-do-aston-villa-1563846067936_v2_750x421

Wesley Moraes chama a atenção. Fora o porte físico com 1,91 m de altura e 95 kg, o atacante brasileiro de 22 anos desembarcou na Inglaterra sob a responsabilidade de liderar a reconstrução do Aston Villa, campeão da Liga dos Campeões da Europa em 1982 e recém-promovido para o Campeonato Inglês. O destaque natural por ser o reforço mais caro da história do clube ganhou nova projeção anteontem (23), diante do Everton de Richarlison e Bernard.

O centroavante abriu o placar na primeira vitória do Aston Villa desde o retorno à Premier League. O gol no triunfo por 2 a 0 contra o rival de Liverpool, em casa, abre o caminho para Wesley se apresentar ao torcedor, sob a expectativa de contar com um atacante de 22 milhões de libras (R$ 105 milhões) e com características consideradas ideais para a posição, como força física e finalização precisa.

“Cheguei há algumas semanas na Inglaterra e ainda estou me acostumando com a cultura e o jeito da Premier League. A competição é a melhor do mundo e os jogos são intensos e com muito choque. Aos poucos, vou melhorando e tenho certeza de que será uma ótima temporada”, declarou o centroavante, após balançar a rede pela primeira vez no novo clube.

A carreira de Wesley se assemelha a de jogadores como a Roberto Firmino, outro camisa 9 e que chegou à seleção brasileira como um “desconhecido”. Mineiro de Juiz de Fora, o mais novo brasileiro a anotar gol no Inglês teve rápidas passagens pelas divisões de base de Cruzeiro e Atlético-MG, mas só embalou rumo ao profissionalismo no Itabuna, com apenas 17 anos de idade.

Ao invés de chamar a atenção de fato de cruzeirenses e atleticanos, Wesley se transferiu para o Atlético de Madri, onde permaneceu por seis meses treinando na divisão de base da equipe. Da Espanha, o centroavante desembarcou no Nancy, da França, para mais três meses de experiência.

A carreira alternativa e sem grandes referências no Brasil ganhou maior proporção na primeira chance como profissional. Em 2015, aos 18 anos, Wesley acertou contrato com o Trencin, da Eslováquia. No desconhecido futebol eslovaco (pelo menos do público brasileiro em suma maioria), o gigante brasileiro anotou 11 gols e chamou a atenção do Club Brugge, da Bélgica.

Na equipe belga, Wesley se promoveu de fato. Foram 130 jogos, quatro títulos e 38 gols. Em 2018, ganhou o prêmio de melhor jovem da temporada e rapidamente ganhou comparações com Romelu Lukaku, centroavante titular da seleção da Bélgica e um dos grandes destaques na vitória sobre o Brasil na Copa do Mundo de 2018.

O desempenho em solo belga encantou Roberto Martínez, treinador da seleção local, e rendeu uma indicação para a Premier League. O Aston Villa, recém-promovido, não poupou gastos e transformou o brasileiro na contratação mais cara da história do clube, o símbolo da reconstrução neste retorno à elite. O gol nesta terceira rodada, somado ao desempenho diante do Everton, animam o campeão europeu nesta volta à elite. (Do UOL)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s