Diretor do Remo confirma negociação com Jobson, mas falta o aval de Givanildo

IMG-20180427-WA02451 (1)

Aos 30 anos, o atacante Jobson, que responde na Justiça do Tocantins por acusações de estupro de vulneráveis, deixou a prisão nesta sexta-feira (27). Passará a responder pelas acuações em liberdade e negocia com o Remo sua volta ao futebol. A informação foi revelada pelo site UOL, ontem. O diretor de futebol do Remo, Milton Campos, em contato com o site, revelou que as conversas com Jobson começaram em fevereiro, contando à época com o aval do técnico Ney da Matta. Agora, para concretizar o acordo, a diretoria precisa da concordância do técnico Givanildo Oliveira.

“Antes de dar prosseguimento às conversas preciso saber o que pensa o Givanildo Oliveira”, disse Campos. Ainda questionado pela reportagem do UOL sobre a possibilidade de ter um acusado de estupro no elenco profissional do Remo, o dirigente disse que ainda não existe condenação para o jogador sobre o caso.

“Se ele for julgado e condenado, vai pagar pelo crime. Mas ele não é réu confesso e está contestando a acusação. Pelo princípio da presunção de inocência, ele não é culpado”, reforçou Campos. O técnico Givanildo Oliveira é conhecido pelo perfil conservador. Há duas semanas, vetou o retorno do atacante Pimentinha ao clube.

Em campo, Jobson brilhou com a camisa do Botafogo-RJ, em 2009, despertando interesse de clubes da Europa, sendo cogitado para uma possível convocação para a seleção brasileira. Depois disso, foi apanhado em exames antidoping por consumo de cocaína. Saiu do Botafogo, voltou outras duas vezes, com o clube tentando recuperá-lo e bancando tratamento. Terminou indo jogar no futebol árabe, caiu novamente no doping e foi suspenso pela Fifa por três anos – punição terminou em março deste ano.

Jobson nasceu em Conceição do Araguaia, no interior do Pará, e responde à acusação de manter relações sexuais com adolescentes, na cidade de Couto Magalhães, no Tocantins. As menores alegam que estavam sob efeito de álcool e entorpecentes colocados na bebida. Jobson foi preso provisoriamente e solto em agosto do ano passado, quando passou a ser rastreado por tornozeleira eletrônica, até retornar à prisão em setembro.

2 comentários em “Diretor do Remo confirma negociação com Jobson, mas falta o aval de Givanildo

  1. Não sei qual é a real intenção do Milton Campos com a contratação do Jobson, mas certamente não é a de ajudar o Mais Querido. Só falta ele querer trazer o Edgar de volta. O Giva nunca vai permitir essa contratação, felizmente.

    Curtir

  2. Não se resolve problemas com mais problemas, Diretor não deveria nem cogitar uma situação dessas, penso que o Jobson tem que resolver primeiro, suas pendências com a justiça, tanto a comum como a desportiva porque ainda acho que ele cumpre suspensão por doping, depois que estiver livre aí sim poderá ser contratado.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s