Bate-papo no boteco virtual – Interporto x PSC

Copa Verde 2018 – 1ª fase

Interporto x Paissandu – estádio General Sampaio, em Porto Nacional (TO), às 21h15

destaque-696x392

Na Rádio Clube, Valmir Rodrigues narra; Gerson Nogueira comenta. Reportagens – Saulo Zaire e Paulo Sérgio Pinto. Banco de Informações – Jerônimo Bezerra

58 comentários em “Bate-papo no boteco virtual – Interporto x PSC

  1. Clima é bom em Porto Nacional para o jogo de logo mais entre Interporto e Paissandu. Estádio General Sampaio recebe público diminuto.
    Times escalados:

    PSC
    Renan Rocha;
    Maicon Silva
    Perema
    Diego Ivo
    Mateus Miller
    Renato Augusto
    Carandina
    Pedro Carmona
    Cassiano
    Renan Gorne
    Moisés
    Técnico: Marquinhos Santos

    Interporto –
    1 Carlão
    2 Polegar
    3 Alisson
    4 Paganelli
    6 Ítalo
    5 Iuri
    8 Pasa
    7 Afonso
    10 Ildemar
    9 Roni
    11 Jonas
    Técnico: Jadson de Oliveira

    Curtir

  2. Técnico Jadson de Oliveira observa que está preparado para receber o PSC, com uma formação em 4-3-3 e explorando os lados do campo. Ele foi auxiliar do Ney da Matta no CSA e no Boa Esporte.

    Curtir

  3. PSC vem a campo com a recém-lançada camisa listrada que homenageia a seleção da Argentina, usando calções pretos e meiões brancos.

    Curtir

  4. Marquinhos Santos diz que faltava uma referência no ataque, daí a opção por Renan Gorne como comandante, tendo Moisés e Cassiano. Diz que está buscando isso há algum tempo e observou que o time vinha se ressentindo de uma presença mais forte na área.

    Curtir

  5. Jogo muito truncado, mas Papão começa a se lançar mais à frente, escapando da meia-pressão exercida inicialmente pelo Interporto

    Curtir

  6. Melhor chegada do PSC foi em avanço de Moisés, que serviu a Carandina, aos 22′. O volante mandou um belo chute, que passou com perigo à direita do goleiro Carlão

    Curtir

  7. Interporto povoa o meio-campo e marca forte, não permitindo que o PSC evolua. Pra sorte do Papão, o time mandante não consegue elaborar as jogadas e prefere os chutões para chegar ao ataque.

    Curtir

  8. O treinador com o seu mesmo mané /Luis não ata e nem desata . Sem padrão de jogo nenhum. Quando falo em padrão e o time saindo para o jogo desde os volantes sem rifar la pelota , fazendo infiltrações pelas alas e triangulação pelo meio.

    Curtir

  9. 34′ PSC tenta chegar com cruzamento de Miller em direção a Cassiano, zaga se antecipa e manda a escanteio. Na cobrança, Diego Ivo chega fulminante, cabeceia de cima pra baixo e bola passa à esquerda de Carlão

    Curtir

  10. Fim de papo no primeiro tempo. Jogo muito faltoso e pegado no meio, correria prevalecendo por parte do Interporto. Poucas oportunidades de gol, times errando muito. PSC entrou com um time ofensivo na teoria, mas não conseguiu se impor e pressionar os donos da casa, que tiveram mais iniciativa embora sem desenhar com clareza situações de gol. Dos estreantes, Renan Rocha pouco apareceu e Mateus Miller errou muitos passes, mostrando falta de ritmo. O melhor da equipe foi Nando Carandina, que disparou o chute mais perigoso do Papão na partida, aos 22′. Placar de 0 a 0 poderia ser a nota dos dois times. Mike, Fábio Matos e Peu são as opções de Marquinhos Santos se quiser mudar ofensivamente a equipe na etapa final.

    Curtir

  11. Luís Henrique, volante, no lugar de Iuri. Técnico Jadson mostra que quer mudar a maneira de jogar do Interporto, optando pelo jogo pelos lados para tentar chegar ao gol

    Curtir

  12. 8′ Cabeceio perigoso que Renan Rocha defende bem. Em seguida, Ítalo manda uma bomba, goleiro rebate e zaga alivia pra escanteio.

    Curtir

  13. 12′ Linha de passe na área do PSC e atacante Antonio Flávio, que desvia pela linha de fundo. Zaga ficou apenas assistindo

    Curtir

  14. 13′ Falta na intermediária do Interporto. Carmona pega a bola para cobrar mas deixa pra M. Miller mandar forte na barreira.

    Curtir

  15. Fim de papo. 0 a 0. PSC melhorou o ritmo de ações ofensivas somente depois dos 38′, a partir de arrancadas e movimentação de Fábio Matos, que fez com que Moisés e Mateus Miller aparecessem na partida. Mike perdeu grande chance aos 42′ depois de um rebote do goleiro Carlão em chute de Moisés. Resultado final, porém, fez justiça à baixa produção das duas equipes, embora o Interporto tenha sido muito mais empenhado ao longo dos dois tempos.

    Curtir

  16. Marquinhos Santos parabeniza pela luta e esforço do time. Louva a postura ofensiva do “primeiro ao último minuto”. Na realidade, PSC só foi ofensivo nos minutos finais, principalmente depois que Fábio Matos substituiu a Pedro Carmona. Voltou a dizer que chuvas e campo pesado prejudicam a evolução do time, citando como exemplo o tropeço do Corinthians no Paulistão. Sobre as mudanças no time titular, diz que surtiram o efeito desejado. Ressalta o giro de atletas e a busca por melhor entrosamento. Alega que o time tem enfrentado contra times que já vinham jogando há mais tempo e que espera engatar uma boa sequência nos próximos jogos.

    Curtir

  17. Elogiou o “vestiário” e a entrega dos jogadores em nome do seu trabalho. Diz que não deve haver precipitação, aproveitando para recordar o tropeço de Tite no Corinthians (eliminação para o Tolima) como forma de justificar a necessidade de evitar demissões por força de resultados de início de temporada

    Curtir

  18. Campo muito estreito que não permitia que o time tivesse melhor desenvolvimento. Time muito técnico teve muitas dificuldades, como tem tido em gramados ruins, que atrapalham muito o Papão. Diz esperar que, na Curuzu, com um campo melhor, o time vai finalmente se apresentar bem. Portanto, outra vez Marquinhos atribui às condições estruturais dos estádios a causa do desempenho até aqui insatisfatório da equipe.

    Curtir

  19. O fato é que o PSC poderia ter rendido mais, correndo menos sobressaltos e fazendo o jogo fluir melhor, principalmente levando em conta as limitações do adversário. As dificuldades vistas no primeiro tempo continuaram no segundo, quando o Interporto pressionou seguidamente, já com Antonio Flávio pelo lado direito no lugar de Roni. Conseguiu escanteios seguidos, fazendo linha de passe na área do PSC e levando sempre perigo nas finalizações. A situação só ficou menos complicada depois que Marquinhos tirou Carmona e lançou Fábio Matos, tendo Mike e Peu também no ataque. Exaurido, o Interporto arrefeceu e o PSC cresceu, movimentando-se mais a partir dos 38′.

    Curtir

  20. O jogo de ontem foi um símbolo do que é a Copa Verde: um torneio de pelada. Em vários momentos da partida me fez lembrar de um antigo clássico de veteranos de Maracanã: Rola Cansada x Bola ao Copo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s