Morre Harry Dean Stanton, bravo operário da representação

16 de setembro de 2017 at 1:59 Deixe um comentário

DJ0Xau7W4AEG_Ci

O ator Harry Dean Stanton, conhecido por atuar nos filmes “Alien” e “Paris, Texas” e na série “Twin Peaks”, morreu nesta sexta-feira (15) aos 91 anos. Stanton estava internado em um hospital de Los Angeles (EUA) e faleceu de causas naturais. A notícia da morte do ator foi confirmada à imprensa internacional por meio de seu empresário, John Kelly.

Stanton é parceiro de longa data do cineasta David Lynch e apareceu no filme “Coração Selvagem” (1990) e na série “Twin Peaks”, incluindo a temporada que estreou em 2017, além do longa originado a partir do programa.

roman-grant-1024

Ele também era um grande amigo do ator Jack Nicholson. Os dois, inclusive, chegaram a morar juntos na década de 1960. “Lucky” foi seu último trabalho nos cinemas e irá estrear postumamente no fim de setembro. A trama conta a “jornada espiritual de um velho ateísta e os personagens peculiares que habitam sua cidade desconhecida no deserto”. O longa tem a participação de David Lynch.

Harry Dean Stanton Paris Texas

Filho de um agricultor, Stanton nasceu em 1926 numa zona rural do estado do Kentucky. Serviu como cozinheiro na Marinha norte-americana durante o conflito do Pacífico na Segunda Guerra Mundial, e, depois de regressado, estudou jornalismo mas não terminou o curso. Queria ser escritor e músico mas acabou por seguir pelo caminho da representação, onde, iniciando o seu caminho com alguns papéis secundários, foi ganhando destaque até que passou a ser um dos favoritos de alguns dos mais notáveis realizadores de Hollywood.

Com uma carreira de 60 anos, Harry Dean Stanton conta com 236 créditos referenciados em filmes ou séries de televisão, tendo trabalhado com realizadores como Ridley Scott (Alien), John Carpenter (Fuga de Nova IorqueChristine), Francis Ford Coppola (Do Fundo do Coração), Wim Wenders (Paris, Texas), Martin Scorsese (A Última Tentação de Cristo) ou David Lynch (Coração SelvagemUma História Simples). (Do G1, Público e Folha SP)

Entry filed under: Uncategorized.

Zé Dirceu e o preço do silêncio e do abandono A origem de “coxinha”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,318,671 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.813 outros seguidores

VITRINE DE COMENTÁRIOS

Jorge Paz Amorim em Neymar exige que diretoria do…
Mauricio Carneiro em Neymar exige que diretoria do…
Edson do Leão - meu… em Sampaio vence fora e encaminha…
Joseney Basílio em Neymar exige que diretoria do…
Mauricio Carneiro em Após polêmica do gol de Jô, CB…

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

setembro 2017
S T Q Q S S D
« ago    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: