Bem-vindos a uma cleptocracia que não se preocupa mais com aparências

5 de agosto de 2017 at 1:33 2 comentários

DEddsoqWsAAfSoY

POR VLADIMIR SAFATLE

Há algo de instrutivo no ritual que o Congresso Nacional ofereceu ao país na última quarta-feira, quando um ocupante do cargo da Presidência, gravado em situação flagrante de prevaricação e corrupção passiva, formalmente denunciado pela Procuradoria Geral da União, foi poupado.

É difícil imaginar algum país no mundo que chegaria a um espetáculo tamanho de degradação comandado por uma casta de políticos dignos de filmes de gângsteres série B. Ao menos, depois dessa confissão de desprezo oligárquico pela opinião pública, quem sabe agora parem de falar que estamos em uma “democracia”.

Enquanto o país assiste a universidades públicas suspenderem as aulas por se encontrarem em situação falimentar, serviços públicos entrarem em deterioração, agências de pesquisa decretarem estado de calamidade e 3,6 milhões de pessoas saírem da classe média baixa em direção à pobreza, o ocupante do trono da Presidência, único presidente da história brasileira a ser denunciado pela Justiça no cargo, gastava milhões de reais em suborno explícito de deputados, uso de cargos públicos para aliciamento de votos e liberação de emendas escusas a fim de garantir sua sobrevida.

Ou seja, bem-vindos a uma cleptocracia que agora não faz nem sequer questão de conservar as aparências. Há algo de terminal quando até mesmo as aparências já não são mais conservadas. Tudo isso com o beneplácito daqueles que dizem que o país precisa, afinal, de “estabilidade”.

Entry filed under: Uncategorized.

Rock na madrugada – Simon & Garfunkel, Kodachrome/Mabellene Na festa pelos 15 anos da Copa dos Campeões, Papão vence Brasil

2 Comentários Add your own

  • 1. lopesjunior  |  5 de agosto de 2017 às 9:00

    É uma visão marxista da atualidade, com a qual concordo, mas é difícil explicar ao cidadão desinteressado da política, vale dizer, alienado, que o país passa por um golpe que visa estabelecer uma ditadura que torna o fluxo da riqueza totalmente unidirecional, no sentido das oligarquias. O capitalismo para se afirmar como um mecanismo econômico tem uma única estratégia, que é desde sempre suicida, de tomar dos pobres e dar aos ricos, como se não fosse esgotar essa verdadeira riqueza vinda do trabalho nas mãos dos bon-vivants da república, ou marajás, como queiram. É sempre sobre isso, riqueza, poder, fortuna… que nunca é produzida por quem desfruta dela.

    Curtir

  • 2. Antonio Oliveira  |  5 de agosto de 2017 às 9:35

    Como bem-vindos, se vivemos nesta cleptocracia desde sempre?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,273,224 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.699 outros seguidores

VITRINE DE COMENTÁRIOS

Jorge Paz Amorim em Unidos pela inconstância
Antonio Oliveira em A sentença eterna
Antonio Valentim em A sentença eterna
Anônimo em Leão vai cheio de novidades pa…
Nelio(O Paysandu jam… em Leão vai cheio de novidades pa…

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

agosto 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: