Podia ter sido pior

20 de junho de 2017 at 2:04 11 comentários

POR GERSON NOGUEIRA

Para quem levou um gol aos 3 minutos do primeiro tempo, perdeu um jogador aos 21 minutos e tomou outro gol a um minuto da etapa final, o Remo até que não se saiu tão mal ontem à noite em João Pessoa-PB. Na verdade, saiu foi no lucro. O desastre que se desenhou em cores agudas no começo do 2º tempo foi parcialmente contido, o time conseguiu descontar e ainda teve chance de empatar nos instantes finais.

A derrota por 3 a 2 retratou o que foi o jogo. O Remo nem teve tempo de se distribuir em campo e já sofreu um gol. Falha da zaga, com destaque para Igor João, que tocou a bola para as redes azulinas.

Quando buscava se reequilibrar para partir para o empate, outro baque. Aos 21 minutos, depois de a jogada ter sido interrompida pelo árbitro, Tsunami acertou um adversário e mereceu o cartão vermelho direto. Aliás, foi o jogador mais elogiado por Oliveira Canindé nos treinos justo por encarnar o espírito de raça e destemor. Parece haver entendido tudo errado.

Sem combate no meio de campo, pois João Paulo apenas cerca e distribui passes laterais, o Remo ficou à mercê das investidas do Botafogo, com Rafael Oliveira puxando as manobras de ataque.

No final do 1º tempo, cruzamento de Eduardo Ramos bateu na mão de um zagueiro que estava caído e o árbitro deu pênalti. Deu a impressão de compensação pela expulsão sumária (e merecida) de Tsunami. Nino Guerreiro bateu e o Remo empatou, para surpresa geral àquela altura.

Canindé finalmente resolveu recompor a marcação trocando Mikael por Ilailson. Nem bem a bola rolou e o Remo repetiu o apagão do início da partida, cedendo o desempate logo a 1 minuto do segundo tempo.

Veio então um domínio total botafoguense, que culminou com o gol de Roger Gaúcho ampliando para 3 a 1. Rafael Oliveira ainda mandou uma bola na trave azulina, mas o Botafogo parecia satisfeito e acomodado.

O castigo viria logo a seguir com Igor João redimindo-se da falha anterior. Com 3 a 2 no placar, o Remo foi buscar o empate. Só não conseguiu porque a desorganização falou mais alto. Além disso, seu principal jogador, Eduardo Ramos, estava extenuado e Edgar havia sido substituído.

Apesar dos problemas, aos trancos e barrancos, o empate esteve ao alcance da mão. Aos 42’, após escanteio, o zagueiro Leandro Silva escorou livre na pequena área, mas o cabeceio saiu à direita. Era a bola do jogo.

Com situações tão atípicas, a confusa atuação remista não pode nem ser debitada na conta do técnico estreante. Quando mexeu na equipe, acertou a mão – mais do que vinha fazendo seu antecessor. Pesou muito também contra o Remo a má jornada de Vinícius (falhou em dois gols), Léo Rosa, Igor, João Paulo e Mikael. Tirando prós e contras, o resultado nem foi tão ruim assim.

————————————————————————————————–

Reação nas mãos de Rogerinho, de novo

Sempre que Rogerinho Gameleira assume o leme no Papão as coisas costumam melhorar, antecipando reações positivas em meio à turbulência. Foi assim nas últimas três ocasiões em que ficou como interino, substituindo técnicos que deixaram o clube.

Da última vez, comandou a vitória mais emblemática do time na Série B 2017, superando o Criciúma por 3 a 0 dentro da casa do adversário. Uma atuação digna de uma equipe bem estruturada, revelando os méritos de um comandante que muitos insistem em achar que não está pronto ainda.

O fato é que poucos conhecem tão bem as entranhas do Papão quanto o ex-volante. Grande vencedor como jogador do clube, Rogerinho vem se preparando para responsabilidades maiores. E tem em seu favor números que permitem acreditar em nova guinada importante, tirando a equipe de uma sequência extremamente negativa na competição.

De uma coisa todos têm certeza: com Rogerinho, os melhores (ou menos piores) do elenco serão escalados.

(Coluna publicada no Bola desta terça-feira, 20)

Entry filed under: Uncategorized.

Um jogão de seis gols Rogerinho deve fazer mudanças no Papão para enfrentar o Boa

11 Comentários Add your own

  • 1. Antonio Valentim  |  20 de junho de 2017 às 7:35

    Apesar desses imperdoáveis apagões, eu vi evolução nesse time de ontem do Remo. Pela primeira vez na competição não vi tantos chutões para o meio nem para as laterais. É claro que contribuiu para isso também o acomodamento do Botafogo.
    Vamos ver se essa melhora se confirma e se coroa com vitória em casa contra o Moto.

    Curtir

  • 2. Joseney Basílio  |  20 de junho de 2017 às 9:41

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Curtir

  • 3. Acácio F B Elleres - Campeão dos Campeões  |  20 de junho de 2017 às 10:13

    Concordo, Gerson. Rogerinho já merece uma chance de verdade, com a efetivação como técnico do time com seus ônus e bônus.

    Curtir

  • 4. Charles Resende  |  20 de junho de 2017 às 10:45

    Concordo, caro Acácio. Resta saber se o próprio Rogerinho o quer. Mas seria extremamente justo e coerente se fosse efetivado.

    Curtir

  • 5. lopesjunior  |  20 de junho de 2017 às 12:57

    O Remo se houve mal no início do 1º tempo e logo tomou 1×0. Depois contou com a sorte. Logo no início do 2º tempo tomou logo 2 gols! Mas o que se viu a seguir foi um técnico determinado a atenuar os próprios erros. Sim, os próprios erros. Escalar Nino Guerreiro entre os titulares é imperdoável, o atacante não dá sequência numa única jogada desde que chegou ao Mais Querido e só fica plantado na área esperando a bola, que nunca chega! Parte disso, de as bolas não chegarem ao centro-avante, é culpa da falta de um padrão de jogo, porque os laterais não apoiam, João Paulo não é o cabeça-de-área que ele pensa ser e Tsunami é muito faltoso. Mikael não sabe o que fazer com a bola e Edgar fica isolado na ponta esquerda, com Eduardo Ramos tentando fazer alguma coisa. Gerson caiu muito de rendimento e não é desde o jogo de ontem… Ilailson, mesmo fora de forma, começou a mostrar porque merece toda a confiança do torcedor, vai crescer muito nesse meio-de-campo. Gosto de ver o Igor joão arrancando com a bola, parece um líbero de um 3-5-2 que sabe sair quando os cabeças de área estão marcados, mas dentro da área sempre fica perdido e é inaceitável que não acerte uma bola aérea defensiva, deixando todas para o ataque adversário. Muito criticado, Henrique fez falta. Jayme, fez falta. Cacaio, também. Com a volta de Henrique, penso se não é o caso de o Remo jogar num 3-5-2, com Henrique, Igor João e Leandro Silva na zaga, Ilailson e Jeferson na cabeça-de-área, Jayme, Eduardo Ramos e Gerson do meio pra frente e Edgar e Rony como dupla de ataque. Os baluartes do blog podem até discordar quanto ao Rony, mas o vejo como um jogador esforçado, ciscador (como define Canindé) e mal aproveitado por Josué, acho que ele renderia jogando mais a frente, como um meia de aproximação, como um ponta, um atacante jogando aberto… Mesmo Flamel poderia ir bem nesse setor, já que ele tem essa habilidade de jogar perto da área, adentrando pelo meio e pelo fundo para servir atacantes. No entanto, pelo jogo de ontem, Canindé foi ousado. Na minha opinião, o Botafogo-PB não é aquela Coca-Cola toda, o Remo é que vacilou e jogou muito mal. Com um a menos deu sufoco e só não empatou porque não tem definidores no ataque. Com Flamel e Eduardo Ramos o time melhorou muito em campo, mas não só por eles, como também por Ilailson, que deu tranquilidade para o meio na saída de bola. Quando o time se assentou com as alterações feitas por Canindé, o Remo pressionou e quase empatou. A efetividade azulina no ataque do meio do 2º tempo pro fim do jogo se deve a esses “reservas de luxo”, que entraram e deram outra cara ao Mais Querido. Por essa postura de Canindé, acredito que o time vai se ver bem melhor em Belém, contra o Moto Club.

    Curtir

  • 6. Thiago Corrêa  |  20 de junho de 2017 às 15:17

    Caro amigo Gerson e leitores do blog campeão, Oliveira Canindé a princípio mostrou-se um técnico ponderado. É ativo, transpira raça e motiva seus comandados dentro de campo, mas foi tímido nas modificações de seu predecessor Josué, inclusive mantendo a escalação base de outros jogos.
    O jogo de ontem foi uma noite infeliz, com o clube de periçá tomando gols ao início dos dois tempos (Erro de principiante,o time não aqueceu), perdendo jogador em expulsão infantil ainda no primeiro half e ainda sendo castigado com falha do (bom) goleiro Vinícius. Situações como as de ontem mostram que a mão invisível do acaso pode influenciar bastante o resultado de uma partida.
    Para finalizar, emendo o registro, não comentado pelo bom analista Gerson, da melhora da equipe com as entradas de Ilailson e Flamel que, ainda carecendo de maior ritmo, deram maior dinâmica ao time remista. Parece-me provável que ganharão sequência nos próximos jogos e que a titularidade do contestadissimo Mikael está sepultada; O técnico, seja quem for, que insistir neste jogador não terá longa vida nos corações azulinos. É fato.
    Abraço a todos. É bom estar de volta!

    Curtir

  • 7. camiloferreira  |  20 de junho de 2017 às 15:59

    O pior é que ainda pode ser muito pior, não podemos esquecer do tumulto entre as torcidas durante o jogo, foi relatado em súmula e caso a punição for aplicada o Remo pode levar uma multa de até R$ 100 mil além da perda de mandos de campo.

    Curtir

  • 8. celira  |  20 de junho de 2017 às 16:03

    Remo não pode perder mando em jogo fora. Talvez punição financeira.

    Curtir

  • 9. Aladio Oliveira  |  20 de junho de 2017 às 16:26

    Ontem infelizmente nao deu para fazer uma avaliacao mais profunda do Canindé. Mas se quiser ter sucesso a frente do Remo, deve fazer algumas alteracoes urgentes. Montaria o time com Vinicius (se bobear de novo perde a vaga) Daniel Damiao ( Dar mais uma chance, Leo Rosa nao tem condicoes), Bruno Costa, Igor Joao e Gerson (por falta de opcao), Leandro Silva (como volante, tem tranquilidade e bom passe e ja jogou em outras equipes nessa posicao), Ilailson, Eduardo Ramos, Flamel, Gabriel Lima (até chegar um centro-avante de origem) e Edgar.

    Curtir

  • 10. Nelio  |  20 de junho de 2017 às 17:17

    Se ocorrer esse punição e deve ocorrer porque essa torcida é reincidente dos reincidentes, mesmo o time na pindaíba ou não vai ter de pagar a multa seja qualquer valor, nem que tenha de vender estádio o baelama , porque se não pagar desce a ladeira da quarta divisão sem esperar o final da terceirona. rsrsrsrsr Nessa multa do STJD não tem esse negócio pendurar, acordo, advogado do micro remo sustar cobrança , fazer acordo e não cumprir. etc Eu choro!!!!!!! rsrsrsrsrsrs
    rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsr

    Curtir

  • 11. Nelio  |  20 de junho de 2017 às 17:24

    EM TEMPO : ACHOU QUE FOI NA MÃO

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,274,938 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.701 outros seguidores

VITRINE DE COMENTÁRIOS

camiloferreira em A hora de desencabular
Edson do Leão - meu… em PSC x Paraná – comentári…
Mauro Negrão em A hora de desencabular
Edson do Leão - meu… em Re-Pa de maior público nos est…
Jorge Paz Amorim em PSC x Paraná – comentári…

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: