Um teste de fogo

27 de maio de 2017 at 23:38 5 comentários

POR GERSON NOGUEIRA

Quando decidiu reformular o Remo para a Série C, Josué Teixeira certamente apostava na qualidade dos jogadores contratados. Todos tiveram o seu aval, mas somente três até agora se saíram bem – Bruno Costa, Nino Guerreiro e Gerson. Ou seja, menos de um terço da leva de reforços garimpados para o Campeonato Brasileiro. Muito pouco para a aposta inicial do técnico e para as expectativas do torcedor.

Com 3 pontos, o Remo se mantinha em 4º lugar até o começo da rodada. A posição é boa, mas o fraco rendimento não estimula projeções mais otimistas. Travada, a equipe depende exageradamente da ligação direta.

Foi, aliás, de um chutão da defesa que nasceu o lance do penal que deu a vitória sobre o Fortaleza na estreia. Contra o ASA, em Arapiraca, os chutões não funcionaram e o time sofreu diante de um adversário também limitado. Enrolado na saída para o ataque, não encontrou meios de fazer a bola chegar com mais assiduidade a Edgar e Nino Guerreiro.

Hoje à noite, contra o Cuiabá, Danilinho reaparece depois de uma estreia foi sofrível contra o Fortaleza, é o trunfo de Josué para organizar o meio e fazer finalmente o Remo jogar. Para o jogador é também a oportunidade de tentar se garantir como titular. Precisa mostrar iniciativa e ambientação com o time. Não basta tocar de lado. O camisa 10 clássico deve ser inventivo, com a obrigação de descortinar jogadas, antever situações e estabelecer o ritmo da companhia.

A reintegração de Eduardo Ramos e a provável volta de Flamel na próxima rodada ameaçam diretamente a posição de Danilinho. Ramos não retorna para ser reserva e joga muito mais do que todos os meias que o Remo tem hoje. Flamel e Ramos devem reeditar a dupla de armadores.

O miolo da zaga está sob desconfiança depois do ocorrido em Arapiraca, quando nenhum zagueiro se dispôs a disputar a bola com os atacantes do ASA no lance do gol. O goleiro Vinícius ficou entregue à própria sorte e, depois de duas grandes defesas, não evitou o tiro final para as redes.

As laterais vivem situações opostas. Pela esquerda, Gerson mostrou desembaraço na estreia, precisando confirmar isso na sequência de jogos. Na direita, Damião jogou mal em Belém e foi um dos piores em Arapiraca. À frente da zaga, Labarthe e João Paulo ainda não mostraram nada além do que já faziam Marquinhos e Elizeu, a dupla de marcação do Parazão. Mikael, mais avançado, também ficou devendo nas duas partidas.

Oportunidade, portanto, para que os reforços provem seu valor. Mais adaptados ao clima, é justo esperar que rendam mais contra um Cuiabá que ronda as últimas posições da tabela. O time de Roberto Fonseca, com apenas um ponto, vem a Belém armado como quase todos os visitantes: fechado em duas linhas de marcação e pronto para dar o bote em contra-ataques puxados por Robinho e Bruno Veiga. Todo cuidado é pouco.

————————————————————————————————-

Lampions League: tapa na cara dos omissos

Com bons jogos e estádios cheios, a Copa do Nordeste foi decidida na quarta-feira – vencida pelo Bahia – diante de 40 mil torcedores, na Arena Fonte Nova. Organizada pela Liga do Nordeste, a CN arrecada R$ 24 milhões, dos quais R$ 18,6 são divididos entre os clubes participantes.

Um êxito completo, que leva o torcedor nortista (principalmente remistas e bicolores) a lamentar ainda mais a omissão histórica de seus dirigentes em todos os níveis e responsabilidades – os da FPF inclusos, obviamente.

————————————————————————————————-

Bola na Torre

Guilherme Guerreiro apresenta o programa, a partir de 21h, na RBATV. Na bancada desta noite, Tommaso e o bragantino Cláudio Guimarães, como convidado.

(Coluna publicada no Bola deste domingo, 28)

Entry filed under: Uncategorized.

Temer e a valsa do adeus Boff aconselha esquerda a renovar as formas de se dirigir ao povo

5 Comentários Add your own

  • 1. celira  |  27 de maio de 2017 às 23:56

    Eu fico feliz com o sucesso da Copa do Nordeste e frustrado com o fracasso da Copa Verde.

    Óbvio que não há comparação, em termos de grandeza, entre Copa Verde e Copa do Nordeste. Afinal, lá eles têm times de bom e médio calibre nacional como: Bahia, Vitória, Sport, Náutico, Santa Cruz, Ceará, Fortaleza e CRB. Enquanto aqui temos do Remo e PSC.

    Pergunto: a solução é migrarmos para lá?

    Penso que não. Ainda que esta seja a solução mais fácil. O ideal mesmo é desenvolver o futebol do norte. É tornar o futebol da Amazônia forte. Para fazer isto, a presença de Remo e Paissandu são imprescindíveis.

    Curtir

  • 2. Bira Correa  |  28 de maio de 2017 às 9:46

    Bom dia.
    Cuiabá 2×0.
    Sem choro.

    Curtir

  • 3. lucilofilho  |  28 de maio de 2017 às 13:40

    Como torcedor apaixonado pelo clube a gente sempre torce pela vitória, porém esse erro em formar o time de acordo com a competição, nos deixa em dúvida quanto ao sucesso no final. Ganha esse jogo leão!

    Curtir

  • 4. Antonio Oliveira  |  28 de maio de 2017 às 13:51

    Bom, o percentual de acertos, se julgado isoladamente, me parece três vezes melhor do que aquele apresentado aquando do Regional, quando nenhum dos indicados deu certo.

    Ocorre que a situação é muito mais complexa. Afinal, até agora, mesmo com estes poucos, que dentre os muitos contratados, que apresentaram algum valor, a defesa é frágil e o ataque não se mostra apto a cumprir sua missão. E o que é pior, a alternativa para a articulação é o Eduardo Ramos. Quer dizer, se a solução é exatamente aquilo que foi problema, um grande problema, nas duas últimas contratações, é sinal de que o Remo está num mato sem cachorro.

    Enfim, meu palpite agora é que a indústria da contratação indiscriminada de jogadores no Clube do Remo está a pleno vapor. A conferir.

    Curtir

  • 5. camiloferreira  |  28 de maio de 2017 às 16:01

    Boa tarde amigo colunista, observando Remo na competição que é de fato a prioridade para 2017 percebi que: 1) Flamel e Eduardo Ramos são titulares absolutos e com folga nesse time do Remo, é público, visível e notório, uma vez que Rony, Danilinho, Mikael, Caio Wilker e sei lá se tem outro meia da remessa solicitada pelo Josué Teixeira, não fazem sombra nem para o reserva imediato, qual seja, o Rodrigo Ainete. 2) Quanto aos volantes, ainda não vi nada que justifique suas contratações. 3) Quanto aos laterais, o lateral esquerdo tem mostrado algum serviço, o lateral direito me faz sentir uma saudade imensa do Levy dando seu desarme do caranguejo ali pela ala direita. 4) O zagueiro Bruno Costa tem passado confiança. 5) O Nano é melhor que o Nino. 6) já tenho sérias dúvidas quanto ao trabalho do comandante azulino à beira do campo, não tenho gostado do que tenho visto, fico na torcida por dias melhores. Mudando de competição e aproveitando por teres falado sobre a copa do nordeste, se igualitariamente, cada clube recebe R$ 930.000,00 somente pela participação, enquanto isso os gigantes Remo e Paysandu recebem migalhas na Copa Verde, fica aquela sensação do açaí caindo fora da tigela seguido por aquele nosso típico “égua não”. Grande abraço.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,271,874 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.694 outros seguidores

VITRINE DE COMENTÁRIOS

junior em Leão festeja reorganização e c…
Hilário Abe em Papão traz dois reforços e pro…
Antonio Oliveira em Corrupção generalizada
Nelson Albuquerque em A arte do olhar
Edson do Leão - meu… em Leão festeja reorganização e c…

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: