Briga determinou derrota

Por Gerson Nogueira

O sururu surgido por volta dos 30 minutos do segundo tempo, quando o Paissandu vencia por 2 a 1 no Pacaembu, foi decisivo para a virada que o Palmeiras conseguiria consumar instantes depois. O que parecia um sonho esteve prestes a acontecer no sábado à tarde: a primeira vitória fora de casa na Série B, contra o melhor time da competição. O desgaste emocional dos bicolores, agravado pela expulsão de Fábio Sanches, acabou impedindo a concretização de uma bela proeza.

Até a metade do segundo tempo, o Papão esteve quase perfeito em sua estratégia de conter a agressividade do líder Palmeiras, marcando de maneira inteligente e saindo só nas boas para dar o bote. Errando menos que o adversário, o time paraense chegou ao gol logo aos 14 minutos, em belo disparo de Pablo, aproveitando passe de Marcelo Nicácio.

bol_seg_190813_23.psO Palmeiras fustigou, pressionou e tentou de todas as formas empatar ainda no primeiro tempo, mas esbarrou na forte marcação empregada pelo Paissandu desde o meio-de-campo. Vânderson e Djalma apareciam bem na proteção aos zagueiros. O goleiro Marcelo também se destacava, tendo operado dois pequenos milagres em chutes à queima-roupa.

Depois do intervalo, quando tudo indicava que o Palmeiras seria arrasador na luta pela igualdade, eis que o Papão surpreendeu novamente. Com Tallys substituindo Nicácio, o time entrou firme e tranquilo, explorando com inteligência o princípio de desespero palmeirense.

Aos 20 minutos, Iarley descolou bom passe para Pikachu, que tocou encobrindo o goleiro Fernando Prass. Um golaço que calou os 17 mil palmeirenses no Pacaembu. Depois disso, o jogo parecia quase dominado em favor do Papão, mas um gol aos 28 minutos (Alan Kardec) em falha da zaga começou a mudar a história da partida.

Pior que isso foi a falta dura cometida por Vânderson sobre Wesley e a confusão que se formou a seguir. No fim de tudo, o árbitro expulsou o palmeirense e o bicolor Fábio Sanches, desestruturando o setor defensivo do Papão. Não por acaso, cinco minutos depois nasceu o empate. Depois de cruzamento para a área, Raul cabeceou para o centro da área e Mendieta pegou de primeira, sem defesa.

Ainda dava para segurar o empate, mas o Paissandu já estava totalmente atrás, acuado e aceitando a presença do Palmeiras em sua área. Um novo vacilo da defesa e do goleiro Marcelo permitiram que a bola sobrasse limpa para Leandro desempatar.

O que os comentaristas paulistanos consideraram uma façanha alviverde foi, em verdade, uma tremenda conjugação de fatores adversos para o Papão. A estratégia executada até metade da etapa final foi abandonada no momento crucial do jogo e o prejuízo se desenhou com a desestabilização do time após a briga.

Importante destacar que, apesar de pequenos erros pontuais, Arturzinho não pode ser responsabilizado pela derrocada final. Montou um plano de voo quase perfeito, mas acabou derrubado por falhas individuais em campo.

————————————————————————–

Águia tropeça, mas está na briga

O revés do Águia em Maceió diante do CRB representou a perda de duas posições na tabela, da quinta para a sétima. O Azulão jogou mal, não se encontrou em campo e foi mais uma vez salvo do desastre pelas intervenções do goleiro Jair. Os dois gols sofridos logo no primeiro tempo praticamente definiram o jogo e, na volta para o segundo, o Águia não evidenciou capacidade de reação.

Ainda assim, o Águia se mantém bem próximo dos primeiros colocados e pode até chegar ao G4 caso vença o Fortaleza domingo, em Marabá.

————————————————————————-

Erros fora de campo eliminam PFC

O PFC fechou ontem sua participação na Série D ao empatar com o Genus, em Porto Velho. Com oito pontos, o vice-campeão paraense não tem mais chance de se classificar à próxima fase. O tropeço foi inesperado, pois o time rondoniense é o lanterna da chave, mas a eliminação antecipada se desenhou desde que o clube perdeu seis pontos no STJD por escalar um jogador (Lourinho) irregular.

Apenas mais um dos deslizes cometidos fora de campo pela diretoria, que terminou por comprometer o bom trabalho realizado pelo técnico Cacaio.

————————————————————————–

Corinthians e a força da tradição

Quando se fala de times mais ajudados pelo apito no mundo inteiro torna-se tremendamente injusto omitir o Corinthians do chamado Top 5. Ontem, diante do Coritiba, nova prova insofismável dessa histórica marca. Danilo forçou jogada para cima do beque, os dois disputaram no ombro e o corintiano se estatelou teatralmente.

Incontinenti, sua senhoria Péricles Bassol Cortez apontou para a marca da cal. Guerrero cobrou e garantiu a suada vitória sobre o Coxa. Mais um penal mandrake na extensa galeria mosqueteira, ajudando o time a alcançar o G4. Promessa de novas interpretações generosas em lances que envolvam o ataque corintiano.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 19)

23 comentários em “Briga determinou derrota

  1. Na minha opinião, Gerson e amigos, a insistência do técnico, com o inoperante Djalma e o cansado Vanderson, em campo e a substituição do Iarley, pelo Raul, são os motivos que levaram o Paysandu a perder a partida.

    Na briga, brigaram os dois times, foram expulsos, 1 de cada lado, sendo que o Palmeiras, foi pior, pois precisava fazer 2 gols e perdeu um meia atacante, Wesley. O Paysandu, era só recompor com o Raul, no lugar do Djalma e o Zé Antônio no lugar do Vanderson, que tudo continuaria do mesmo jeito..

    Uma coisa que temos que atentar, é que num jogo difícil como aquele, você precisa de um homem em campo, para “quebrar” o jogo, preocupar la atrás, e abrir caminho pra quem vem de trás, e isso, o Iarley(que fazia sua melhor partida, taticamente, pelo Paysandu), vinha fazendo…Dava as costas, forçava as faltas, e melhor, ganhava até as que não eram, ia de um lado para o outro, dando um trabalho danado ao setor defensivo do Porco.. O gol do Yago, foi fruto disso, onde ele faz a parede sobre o zagueiro, segura, até o Yago passar e ele colocar o jogador na cara do gol… Aliás, estava deitado, ontem, e escutei, pela clube, um pouco do Bola na Torre, onde o Roger falava que o Paysandu sentiu muito a saída do Iarley( Isso, na minha opinião, ele quis dizer que não era pra ele ter saído.. Elementar..)… Com tudo isso, só posso responsabilizar o técnico, pela derrota…

    Vale dizer, que essa estratégia, de recuar todo o time e armar contra ataques, não é de quem é super técnico.. É o natural de times que jogam contra times grandes do futebol brasileiro, na casa do adversário.. Como contra time grande, todo jogador quer mostrar serviço, teve sua estratégia facilitada, graças a grande tarde inspirada, de Iarley, e as boas atuações, dos 2 alas, quando esses saíram para o jogo: Pablo, no 1º tempo e Yago, no 2º tempo… Defender, é mais fácil que atacar…. Aqui, o Paysandu terá que atacar… Vamos aguardar a estratégia do Arthurzinho, jogando em casa, que terá que sair para o jogo…

    É a minha opinião.

    Curtir

  2. Um comentarista, numa emissora de rádio, passou a semana toda dizendo que o Djalma se completa com o Eduardo Ramos(não sei onde ele viu isso..), por isso, nem tocou no nome dos dois, após o jogo, em seus comentários…

    – Já falei aqui, que, quando o Paysandu foi derrotado pelo Naviraiense, dentro da Curuzu, o meio do Paysandu, era Djalma e Eduardo Ramos;

    – Nas 3 derrotas para o Remo, o meio do Paysandu era Djalma e Eduardo Ramos;

    ……. Não sei de onde tiraram isso, e pior, o torcedor embarca nessa…

    É como falei, durante o jogo. Djalma e Eduardo Ramos, tiveram lampejos, no 1º tempo e sumiram no 2º tempo….Isso, foi claro, a meu ver…

    É a minha opinião.

    Curtir

  3. Não ví, e nem sequer escutei esse jogo e nem quero ver. Ontem estava acordado na hora do Bola na torre, mas nem me dei ao trabalho de olhar os lances, só escutei as vozes dos presentes, inclusive do Roger Aguillera.

    Paysandu perdeu um jogo ganho que todos já davam como perdido antes de começar.

    A minha irritação não é outra senão com o tecnico.

    O cara passa a semana todoa dizendo que o goleiro sai mal do gol, chega a afasta-lo e no lance final a sua profecia ganha vida.

    Égua secador. dentro da nossa casa e lider ainda, te dizer!

    Apesar disso tudo continuo com o meu papo.

    Nunca achei ele o tecnico que o papão precisava, só que agora não tem tu vai tu mesmo.

    É preciso confiarmos e apoiarmos o trabalho do boca mole.

    Bora papão buscar essa 10 vitórias apartir de sabado.

    %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%

    *Ontem o Corinthians foi ajudado na cara de pau, se houve falta no lance, foi o Danilo que fez primeiro.

    Time assim pra mi não passa de um timinho.

    Curtir

  4. Assisti o jogo do início ao fim e na minha opinião se o Paysandu jogar com a mesma determinação para diminuir os espaços dos adversário, vislumbro o returno alvissareiro para o Eterno Campeão dos Campeões.
    Acho que o Nicácio não deveria ter saído para a entrada do improdutivo Tallys. Quanto ao Djalma, acho que ele é importante para esse meio, mas essa hérnia de disco está acabando com ele.
    Agora, desde pequeno quando comecei dar minhas primeiras espanadas na zaga, sempre ouvi dizer que cruzamento se devolve de onde veio e nunca para a frente da área. Esqueceram de dizer isso ao Raul.
    Acredito que um novo tempo chega à Curuzu trazendo com ele a autoestima que andava afastada dos jogadores.

    Curtir

  5. Rumo a série C, cada vez mais perto.

    Águia, time pequeno, só joga no campinho em Marabá, vai brigar para se manter na série C.

    Paragobala, bem feito, endividado e fora da série D, vai vender a carroça para pagar 800 Mil de dívida, eu choro. Falta de planejamento é tudo.

    Curtir

  6. Bom dia Amigos do Blog, aos secadores também, afinal são seres humanos também.
    No jogo de sábado, concordo com o Cláudio Santos, a falha maior foi do Bocudo Arthurzinho, que além de demorar nas substituições, mexeu errado, mas, me agraduram, disposição e luta, o time vendeu caro a derrota, isso já enseja um lampejo de otimismo, por antever uma boa reação para os próximos jogos e consequentemente a permanencia na série B do Brasileirão, no entanto, as mudanças precisarão ser radicais, inclusive, ninguém tocou nesse vespeiro, então lá vou eu, meter à minha mão, alguém precisa alertar o técnico; é o seguinte, O M. Nicácio, em meu entendimento, um grande chinelinho, tem a tremenda desfaçatez de toda vez que o time está ganhando, mesmo ele fazendo os gols, ele pede prá sair do jogo, é sempre a mesma desculpa, o tal músculo adutor, e prá não comprometer ou agravar a situação força dessa forma a substituição, é só rever as escalações das partidas, isso prejudica o time e o técnico que é obrigado a queimar uma substituição. Em meu modesto entendimento, se esse problema é recorrente, mandem-no embora, afinal, aqui ainda não é o hospital Sara Kubsthec (nem sei se a grafia correta é essa)esse é outro que deve rasgar do time, é grande artilheiro, goleador, mas, agindo dessa forma, joga contra o time, então, pode iiiiirrrr!, mudando de pau prá cacete, a eliminaçao do PFC, ajuda sobremaneira o Grande Bicolor Celeste Amazônico, lá estão disponíveis, além do Aleílson, o Lateral direito Magno, no adversário da Alte. Barroso, o Fabiano, Jonathan e o Alex Juan, todos aclimatados a este solo.

    Curtir

  7. moisés, precisas ter, um pouquinho só, de Hombridade, para entenderes, o que é conviver respeitosa e harmoniosamente, num espaço, onde todos, nunca são iguais; gostaria de ser menos veemente, haja vista, que não te conheço, no entanto, tua infeliz e repugnante participação neste sóbrio e democrático sítio, não me permite agir de outra forma.

    Curtir

    1. Amigo Maurício e demais baluartes, não percamos tempo com o lixo que alguns irresponsáveis tentam despejar aqui, exclusivamente para poluir o bom ambiente que temos. Não respondam a fakes ou clones. Como aumentei os controles, as figuras de sempre estão desesperadas.

      Curtir

    2. Amigo Maurício e demais baluartes, não percamos tempo com o lixo que alguns irresponsáveis tentam despejar aqui, exclusivamente para poluir o bom ambiente que temos. Não respondam a fakes ou clones. Como aumentei os controles, as figuras de sempre estão desesperadas.

      Curtir

  8. Respeito amigo Moisés é via de mão dupla, não te esqueces, gostar ou não é um direito nosso, mas comentários depreciativos e ácidos não contribuem em nada, só mostra a qualidade do berço que tivemos.

    Curtir

  9. Não consegui assistir o jogo mas via Band vi alguns gols e infelizmente, a virada Palmeirense.
    Apesar da derrota foi uma surpresa e tanto a forma como o Paysandu encarou o todo poderoso Palestra, a ajuda da arbitragem em não marcar o penal sobre o Pablo foi também determinante pois mais um gol bicolor naquela altura desestabilizaria por completo o time do Parque Antárctica.
    Gostei da atitude a da postura, contudo faltou mais maturidade ao time que se recolheu por completo atraindo o time palmeirense que se lançou ao ataque com todas as armas. Como não tínhamos mais o Iarley também não encomodávamos mais a zaga do time paulistano. Erro do técnico?, acho que sim!
    Jamais se deve abrir mão do ataque mesmo que o placar esteja 4, 5 ou 6 a zero, vide Barcelona e outras equipes que despontam como grandes no cenário internacional.
    Pagamos pela covardia. Time que não ataca só pode sair de campo com um resultado se não a derrota.
    Vamos ver se no decorrer destes dias o Arturzinho conhece melhor suas peças e não invente nada de anormal. O jogo contra o Icasa é importantíssimo para a sobrevida da equipe paraense, mais um vacilo em casa…o resultado já conhecemos.
    Outro detalhe que acredito que os amigos do blogue perceberam é quem são os “caras” comprometidos com o Paysandú.
    Se demitir custa caro então afastar do grupo é necessário para não contaminar o ambiente, fica a dica!

    Curtir

  10. Falando em Moisés, o mesmo foi despachado do Remo para castanhal.

    Quem viu e quem vê hj esse rapaz.

    Lembro que a derrocada dele começou quando ficou doido pra ir pro Santos, foi e acabou fondo.

    Curtir

  11. O problema do Marcelo Nicácio, e de outros sub-40 do bicola, não é a tal da “dor muscular”, comum a todo atleta, mas seu “prazo de validade”, daí a justificar-se as sucessivas substituições do mesmo nos intervalos dos jogos. A Série B é de muita pegada, a exigir força física, muito mais que na Série A, e não é lugar para jogadores chinelinhos e meias-bocas.

    Curtir

  12. Apenas ouvi o jogo, portando meu comentário se baseia no que disseram o comentarista da Clube. De fato no transcorrer da partida o time do Paysandú veio com uma estrategia de marcação eficaz, a prova foram os dois gols frente ao Palmeiras. No entanto, temos a observar que esse tipo de jogo com uma super marcação, requer um excelente preparo físico, e como todos sabem, o time tem jogadores com faixa etária digamos, elevada pra tando esforço. No segundo tempo vi comentários de que a maioria dos jogadores estavam exaustos, e não poderia se diferente, ou seja, mesmo que não houvesse expulsão, a pressão do Palmeiras, empurrando o time cada vez mais para o seu próprio campo, só podia dar nisso. Mas tenho certeza que o torcedor do Paysandú, mesmo perdendo, passe a acreditar no seu time nas próximas partidas. É o que tenho a comentar.

    Curtir

  13. É tipo do cara que tem que ser ignorado.Não vale a pena descer ou equiparar-se com elementos dessa natureza.Sempre em algum lugar com participação em massa,,, de pessoas, iremos encontrar esses tipos de atitudes provindas de gente desqualificada. É uma pena. Aí é hora de se fazer jús aquele provérbio bastante usado: “Cada qual dá o que tem”

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s