A goleada que podia ter sido

Por Gerson Nogueira

gerson_18-03-2013Quem olhou o jogo com os olhos da isenção percebeu que o Remo saiu no lucro. Podia, por baixo, ter sofrido cinco a seis gols. Além das três bolas que entraram, quatro chutes foram parar nas traves de Fabiano. Pelo menos, mais três contra-ataques fulminantes foram desperdiçados por ganância ou preciosismo dos atacantes do Paissandu.

Nas circunstâncias, o técnico Lecheva tinha razões de sobra para ressaltar a produção coletiva de seu time, que cumpriu sua melhor atuação no campeonato e esbanjou entrosamento, a partir de um quadrado de meio-de-campo azeitado. E, por seu turno, o técnico Flávio Araújo tinha motivos para considerar o resultado justo e sinalizar para a necessidade de correção de rumos no time azulino.

O jogo começou em ritmo acelerado, mais para rock do que para samba-canção. Ironicamente, quem mandou nos primeiros movimentos foi o Remo. Ágil na retomada de bola, o time tocava com rapidez e sempre em direção ao gol. Mobilizou seis jogadores em dois ataques fulminantes, que assustaram o setor defensivo do Paissandu e quase resultaram em gol. Leandro Cearense e Tiago Galhardo perderam chances claras.

Pode-se dizer que, até aos 14 minutos, o Remo fez o jogo certo. Atacava o tempo todo, esbanjava velocidade e determinação. Tudo que viria a lhe faltar no restante do jogo. A partir dos 15 minutos, o Paissandu assumiu as rédeas do confronto. Pikachu disparou um chute violento à meia altura, obrigando Fabiano a espalmar com dificuldade.

O Paissandu manteve a pressão e Iarley demorou a finalizar depois de receber, sozinho, uma bola na pequena área. Pela movimentação cada vez mais intensa de Eduardo Ramos, João Neto e Iarley, o time começou a confundir a marcação remista. Aos 20 minutos, em contra-ataque rápido, Ramos iniciou a jogada e Vânderson tocou para Pikachu, que entrou livre para marcar o primeiro gol.

Pikachu, como lembrado aqui na coluna de domingo, vivia uma encruzilhada. Estava na lâmina, precisando mostrar ao torcedor que 2012 não havia sido mero acaso. Mais que isso: precisava provar a si mesmo que era capaz de voltar a jogar em alto nível. Pelo desembaraço dos primeiros minutos e o gol de abertura mostrou que estava, definitivamente, de volta.

Além do resgate de Pikachu, o Paissandu apresentava outras virtudes fundamentais. A zaga, que titubeou no começo, tinha se estabilizado e os dois volantes, Capanema e Vânderson, jogavam bem próximos a Ramos e Djalma, facilitando com a aproximação a troca de passes e o bloqueio aos adversários.

Do outro lado, o Remo voltava a jogar apenas com um armador. Galhardo corria e tentava criar jogadas por ele e por Clébson, mero carimbador de bola, sem maior envolvimento com o jogo. Demonstrando estar fora de ritmo, o ex-salgueirense atravessou o samba azulino e foi peça decorativa no primeiro tempo.

Por todos esses motivos e ainda pela habitual categoria de Ramos, ajudada pelo dinamismo de Iarley, finalmente estreando de verdade, o Paissandu tornou-se absoluto. Do domínio veio a confiança para arriscar mais. E a sorte que acompanha os vencedores.

Aos 31 minutos, depois de cobrança de escanteio, a zaga remista se atrapalhou na rebatida e a bola ficou presa próximo à linha de gol. Diego Bispo e Iarley chutaram, Zé Antonio também, mas o meia-atacante saiu gritando e festejando quando a bola entrou, terminando por levar o crédito. Tendo sido o autor ou não do último toque, fez por merecer. Circulou com desenvoltura, iludiu a vigilância da zaga e foi fundamental para que o Paissandu estabelecesse forte presença ofensiva.

Depois do intervalo, além dos méritos do Paissandu, individuais e coletivos, Flávio Araújo resolveu dar uma mãozinha para completar o infortúnio azulino. Substituiu (corretamente) Clébson, mas botou o homem errado. Lançou Val Barreto quando tinha Diogo Capela no banco. Obviamente, não podia dar certo e uma arrancada infeliz de Barreto permitiu ao Paissandu o contragolpe que resultou no gol de Eduardo Ramos, após receber uma bola rebatida pelo lado direito da área.

O impacto do terceiro gol custou a ser assimilado pelo Remo. Araújo mexeu de novo, errando outra vez. Botou Nata e tirou Guerra, mas esqueceu de Capela de novo. Em meio a isso, o Paissandu mandou três bolas na trave – Raul, Pikachu e Héliton – e perdeu um balaio de oportunidades com Rafael Oliveira, que substituiu Iarley.

A única mexida certa de Araújo foi a entrada de Branco. Lúcido e aguerrido, foi dele, com raça e boa colocação, o gol que diminuiu o tamanho do prejuízo do Remo, aos 38 minutos. Já era muito tarde.

———————————————————-

Méritos ao melhor conjunto

Ao final da partida, Lecheva comentou que o Paissandu nem sempre recebe os louros quando faz grandes partidas. Queixou-se que, nessas horas, costumam enfatizar as fragilidades dos derrotados. Devia estar se referindo às duas goleadas, sobre Águia e São Francisco, e à atuação no Re-Pa que decidiu o turno. Talvez tenha razão.

A coluna, porém, mantém a posição a respeito do Paissandu e de Lecheva. É o melhor conjunto do campeonato, vários degraus acima da concorrência. E o técnico tem evoluído junto com o time, fazendo mudanças acertadas e moldando um estilo que não se amofina diante de nenhum outro adversário.

Com Eduardo Ramos a organizar as ações em campo, o Paissandu se ajusta às suas necessidades e impõe seu jogo, obrigando os adversários – todos, sem exceção – a tentar acompanhá-lo. A estratégia não falhou até agora.

———————————————————-

Em busca da pegada perdida

O Remo que passou o campeonato inteiro no 3-5-2 tinha características que compensavam os muitos defeitos: a raça e a entrega de seus jogadores. Era um time brigador, que saía em busca da bola onde ela estivesse. O novo Remo, do 4-4-2, vê a banda passar e raramente exibe lampejos da velha pegada. Jonathan, Rech, Galhardo e Cearense ainda se comportam com a mesma disposição de antes. Branco, quando entra, também. Nos poucos minutos que teve ontem, foi o mais objetivo e raçudo dos atacantes.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 18) 

108 comentários em “A goleada que podia ter sido

  1. Uma curiosidade – se o segundo turno acabasse hoje, haveria um senhor imbroglio: a Tuna estaria CLASSIFICADA para as semi-finais mas ao mesmo tempo REBAIXADA (um desonroso último lugar na classificação geral, a quatro pontos do penúltimo). Nem sei se o campeonato terminaria…

    Mas, para coroar a bagunça, a Tuna teria a chance de voltar ainda este ano, bastaria que se classificasse no seletivo, em dezembro, que já em 2014 estaria de volta à fase principal. Coisas do futebol paraense.

  2. Paulista, Val Barreto e Zé Antônio não jogaram tudo que sabiam contra o Paysandu. O que não me assusta, pois estes três são pretendidos pelo maior rival.
    Falando em Paulista, já passou da hora de Branco pegar a vaga dele.
    Fazer dupla com o L. Cearense é algo inédito ainda no time. Pode dar liga…

  3. Esta coluna está corretíssima, tudo que está escrito acima, condiz com o acontecido no jogo de ontem e resume bem o que vem acontecendo no campeonato a favor do Paysandu de tantas glorias.
    Resta saber, até quando parte da torcida bicolor, assim como parte da imprensa paraense vão reconhecer os méritos pedidos pelo Tecnico Lecheva, merecidente requisitados pelo mesmo. Não preciso acrescentar nada mais neste meu comentário, tudo que o Gérson escreveu aqui, e praticamente tudo o que penso e o que vi durante o jogo de ontem e durante o campeonato todo.
    Resta ao Remo, assimilar o golpe e tentar acertar os erros, para pelo menos assegurar o Vice-campeonato, porque o título já tem um dono e esse dono e o Paysandu esporte clube! Parabéns ao Lecheva e principalmente ao Paysandu.

  4. Acredito, Gerson e amigos, que o Paysandu tenha o melhor time da competição, por alguns jogadores que possui, como sempre falei, mas convenhamos que o Remo, nessa troca de sistema, facilitou e muito as coisas para o Bicolor Paraense e, por pouco, não levou uma goleada histórica.. Se voltarmos nos 3 jogos antes desse, foram jogos bem disputados e o Remo, se ressentia de um jogador no banco, para revesar com o Thiago Galhardo ou para atuar ao lado dele, em situações de jogo.. Na hora que o Remo contratou esses dois jogadores, o primeiro passo era reforçar o banco e ir colocando os jogadores aos poucos e não mudar o sistema de uma hora pra outra..
    Você testar um esquema, num clássico, contra o melhor time do campeonato, é arriscar demais… Flávio teve culpa nisso, por ir pela cabeça dos outros e não pela sua, ao que parece, pela entrevista dele, ontem, afinal, quem entende de futebol e comanda o time, é ele…

    – Times de futebol, bem treinados, independem de 4-4-2, 3-5-2,…, pois variam durante o jogo, de esquema, mas precisam ter um sistema treinado e adaptado, aos jogadores que tem e o Remo já estava adaptado ao 3-5-2, desde dezembro de 2012….

    No Remo, o técnico precisa ter mais autoridade, pois só assim será um técnico vencedor, como Giva, Davino, Giba… Se aceitar intromissão, não irá muito longe….

    Dizer que um técnico(o que ganhou) mexeu bem e o técnico(que perdeu) mexeu mal, convence o torcedor, mas no meu modo de ver, o Flávio fez, não só a mudança de jogador, mas tática, também, mas o vacilo da zaga, onde o Zé Antônio foi um desastre, deixando o Eduardo Ramos livre, para fazer o 3º, com menos de 1 minuto de jogo, qualquer modificação que ele fizesse, iria parecer que foi errada, pois ali, o Papão matou o jogo..

    O Papão tem em Iarley, que entrou no time, graças a pressão da torcida e de diretores, e quem sabe do próprio Iarley contra a vontade de seu técnico, e que foi o diferencial no jogo de ontem, quando o Eduardo Ramos estava marcado…

    No jogo de ontem, Djalma nada fez praticamente e ele estava com Alex Gaibú no banco, que tinha comandado o Papão no jogo anterior e todo mundo viu… Porque não colocou ele?

    Vamos com calma, estamos falando de Parazão 2013, que como se sabe, não é parâmetro para uma série C, imagine pra B…

    É a minha opinião.

  5. Eu já defendi o Lecheva como técnico de futebol aqui no Blog….sempre o vi como um potencial para ser muito grande treinador no futebol brasileiro…a sua maneira de agir, falar, humildade nas suas ações e méritos, faz com quer os jogadores acredite em comandantes assim…é um estudioso e não esconde pra ninguem que está se reciclando sempre. Eu acredito no seu sucesso como treinador no Brasil.

  6. Gerson, concordo com tudo o que você disse. O baixo desempenho individual da maioria dos jogadores, principalmente do Clebson. O que levou o Galhardo a ficar novamente sozinho na armação. E, diga-se, sem maior rendimento pois ele conduzia demais a bola. A falta de maior vibração e pegada de todos os jogadores azulinos e os rematados equívocos do treinador nas substituições, que chegou a deixar o time com três volantes (sendo um destes o inoperante Nata, exímio errador de passes) e três atacantes. Enfim, você diagnosticou perfeitamente os males do Remo ontem.

    Somado a tudo isso, a grande jornada dos atletas do rival, sob o competente comando do Lecheva, só poderia dar no que deu: 3 gols e 4 bolas na trave, e mais um punhado de outros gols perdidos. A propósito, ao contrário do que estes números podem sugerir para quem só observe o placar do jogo, é preciso dizer que a sorte não abandonou o Remo, não.

    Pra mim só faltou dizer uma coisa: não foi o esquema 4-4-2 o responsável pelo fiasco. O que aconteceu ontem foi que o adversário conseguiu converter várias das muitas oportunidades que os adversários do Remo sempre criaram nos jogos anteriores em que o remo atuava sob o 3-5-2.

    Enfim, se o Remo der as contas do treinador eu não vou lamentar.

  7. sinceramente mais a culpa dessa derrota foi toda do FA, por mais que se sinta pressionado pelo 442 não pode dexar de enxergar o jogo, aquela vitoria contra o Cameta foi enganosa, todos viram a fragilidade da defesa e o futebol nao encontrado por Clebson.

    Mexeu totalmente errado ontem, alguns jogadores não estão fazendo o esperado e o treinador esta apatico na situação.

    Nao concordo com a mudança, mais o mesmo já teve tempo suficiente para arranjar um jeito do time jogar.

  8. A propósito, vale referir que a arbitragem ontem esteve muito bem e que não permitiu que ocorresse nenhum lance polêmico.

  9. Te dizer Claudio….não perca a sua credibilidade que vc tem aqui no blog com sua opinião precisa….e reconheça que o Lecheva é um técnico de futebol em potencial, com futuro pelo que tem demonstrado.

  10. Amigo Rodrigo, acredito que o Flávio, pelo bom técnico que é, e por ter montado esse time, não vai deixar a equipe cair de produção… Essa queda, ontem, foi pela mudança de esquema e alguns jogadores não terem funcionado… Flávio falou, ao final, que o Mauro seria o titular, mas, com virose, não pode jogar… Guerra não esteve bem… O Remo não pode jogar contra o Paysandu, sem um volante fixo, pois Gerônimo não vem correspondendo na marcação.. Ajustes que o técnico azulino terá que fazer… Os adversários a serem batidos pelo Remo, não são Paysandu e Águia, logo, o time está muito bem, na tabela… Perdeu o clássico, mas não a vantagem que tem sobre seus adversários, em relação a vaga à série D… O torcedor azulino precisa focar nisso, só nisso, depois….

    Sinceramente, preferia ver o Paysandu como campeão Paraense, direto, pois beneficiaria os dois times.. O Remo, entraria na série D e o Papão ganharia 14 dias para se preparar para a série B, pois, caso for à final, terá 4 dias para se preparar…. Eu hein..

    É a minha opinião.

  11. Amigo Hilário, você vai concordar comigo, que se o Charles Guerreiro tivesse o Vandick como Presidente, um Wellington Vero, como P.Físico e um Iarley e Eduardo Ramos, com suas experiências, o Papão já teria subido há muito tempo e não haveria essa história de Salgueiraço… essas bobagens todas… Hoje, o Charles de ontem, seria o Lecheva de hoje… Elementar… Analiso o Lecheva, pelas entrevistas que dá, pelas mexidas que faz e deixa de fazer e pela organização do time em campo… Ganhar ou perder, são outros quinhentos…..

    É como falei dias atrás, esses técnicos locais, tem alguns que, se saírem daqui e forem fazer um bom estágio, com técnicos renomados, poderão vingar na carreira, e inclui o Lecheva nisso… Tá gravado no blog.. Agora, ele erra, e porque ganhou eu tenho que dizer que ele acertou… Não vou fazer isso, nunca, amigo, nem que desagrade alguns…

    É a minha opinião.

  12. Vou defender o Cláudio pelo simples fato do campeonato paraense ser nivelado por baixo e o Remo ainda ser um time em formação. Ontem, além de duas peças importantes faltantes na zaga (Mauro e Valber), ainda jogou com um Clébson apagado e isso contra um time entrosado como é o Paysandu é cruel, ainda mais mudando o sistema de uma hora pra outra.

    Se fosse por isso, amigos, o Agnaldo seria um técnico de série A porque ganhou aquele campeonato 100% em 2004. No mesmo ano o Remo foi rebaixado, portanto, devagar com o andor.

    Me preocupa muito essa zaga do Remo, os centrais são lentos e estavam acostumados a ter a cobertura. o Zé Antônio já é o terceiro jogo que joga mal, apesar do gol que fez contra o Cametá. O Mauro é o titular dessa zaga, o companheiro dele pode ser um dos outros três.

    Mas o Clébson parece que já começa o jogo cansado, não tava em atividade no Salgueiro? Não tá acostumado a jogar em campo pesado, úmido e com chuva? Tem que ir dosando aos poucos.

    No momento, pra segurar, acho que tiraria o Clebson e promoveria o Johnatan pra meia, já que tem velocidade, habilidade e chega bem no apoio. Talvez um cabeça de área mais bloqueador como o Nata pra proteger melhor a zaga.

    E no ataque, pelo amor de Deus, o inoperante Leandro Cearense não faz gol há quanto tempo? Nem lembro quando foi o último, acho que foi contra o paysandu na decisão. E os dois ataques titulares estão devendo e muito.

    Não é momento de caças bruxas, o time tá no caminho e tem tudo pra garantir a vaga pra série D com mais facilidade que em outros anos. Só de ir pra decisão do segundo turno contra o Paysandu já é a conquista que importa neste primeiro semestre.

  13. Ok amigo Claudio, nao estou criticando o FA somente pela derrota de ontem, mais pelas poucas alternativas de jogo que o time produz desde o inicio do campeonato, e por alguns jogadores nao render o esperado, alem do mal preparo fisico.

    Se ele sabe que ia pegar um time que tem o melhor o ataque do campeonato, pq ele facilita a defesa, pq nao jogou no 352 e esperava a hora certa de atacar.

    Faltam 03 rodadas para acabar o turno, e nao temos mais tempo para teste.

  14. Cláudio Santos continua criticando o Lecheva!!!KKKKK
    Lecheva é bom técnico, seu nó tático no bonzão FA. Lecheva vai entrar pra história como técnico pra desespero do cláudio santos. Lecheva é estudioso, trabalhador, competente e principalmente humilde. Essa é a receita do sucesso, e o Flávio Araújo vai cair na quinta e Cláudio Santos será o novo técnico.

  15. Sinceramente acho, por incrível que não pareça, que o FA não tem personalidade, treinou um time 4 meses em um sistema e por pressão trocou logo, como diz o amigo Cláudio tá gravado aqui, apesar de falar em tom de brincadeira que ele é retranqueiro não é nada mais que a verdade, ele parece que está habituado a jogar no 3-5-2, apenas isso.

    Outra coisa, não acho que o Clebson foi esse desastre todo ontem como todos os colegas aqui falam, a questão é que o estilo de jogo dele é totalmente diferente do Galhardo e do estilo do time, reparem que o Clebson distribui o jogo, não prende a bola faz rolar com passes sempre certeiros é só olhar os melhores lances do primeiro tempo de ontem.

    O time está acostumado a se livrar da bola o Galhardo prende demais o jogo isso é fato e o Clebson se encaixaria melhor em um time de toque de bola e toques rápidos.

    O time do Remo que que parar com a mania de chutão, pois desse jeito nem com craques em campo vai superar o PSC que não é la aquele senhor time mas valoriza a posse de bola, não se apavora com o adversário e tem uma saída muito rápida.

    Em tempo, FA ontem novamente, de novo, outra vez, disse que a culpa não foi dele e sim do time, essas atitudes fazem érder crédito e domínio sobre o elenco, vejam que a garra dos jogadores como um todo não é a mesma.

    RRamos

  16. Sergio Moraes, se assim ficasse esta fase, a Tuna ainda teria a semi final e talvez a final para sair da degola. Quanto ao jogo queimei a minha língua com dois jogadores do PSC, que jogaram muito, além da minha expectativa, Paulo Wanderson e Vanderson, falar do Pikachu e do Eduardo Ramos é chover no molhado e parabéns pela boa fase do Capanema, perfeito.

  17. Os amigos vão ficar morrendo analisando sistemas de jogo. O certo é que o Paysandu é muito superior.

    Quantas vezes se enfrentarem, o papão sairá vencedor, já tá evidente isso.

    Dos 4 clássicos, ganhou 2, empatou 1 e o único que perdeu foi naquela base.

    *De novo tivemos uma rodada com média avolumada de gols, agora foram 3 por jogo.

    Os 3X1 do papão compensaram o 1X0 do cuiagrana, os demais foram 2×1.

  18. Acho que esse técnico do Columbia tem vontade de treinar o Paysandu. O cara só faz detonar o Lecheva. Reconhece cara, o Lecheva fez sozinho pelo Paysandu o que muitos de fora não fizeram. Se não fosse por ele, o Paysandu estaria hoje na série D. Eu hein, para de secar o cara.

  19. Tenho a impressão de que Flávio Araújo armou mal o time para ter a desculpa de que o 4-4-2 não funciona e assim poder retornar ao 3-5-3 (5-3-2), como se este esquema tivesse dado certo. Acontece que se o 3-5-2 prestasse o Remo teria sido campeão paraense e subido para a Série C ano passado, pois os técnicos de 2012 também utilizaram esse esquema. Neste campeonato Remo não deu uma goleada, e o pior, levou sufoco de todos os adversários. Isso deixa claro que o time tem problemas no seu meio de campo, pois a falta de aproximação das peças deixa um vazio onde os adversários costumam fazer a festa. Acho que o 4-4-2 tem que ser mantido, mas para isso o Jonnathan deveria jogar na meia e o técnico tem que testar nova formação com os volantes, talvez a entrada do Tragodara. Quanto a lateral direita, o Jerônimo deve ser o substituto do Valber, já que o Guerra não disse a que veio.

  20. Égua! Te dizer..
    Já gostei muito de ler os comentários do Cláudio, mas pra mim, já deu. Essa implicancia barata e desnecessária com o Lechava…Dizer que o Paysandu ganha jogo só porque tem Yarlei, E. Ramos, W. Vero. Wandick?! Menos o Lecheva…
    Volto a repetir: Gostava muito de ler os comentários do Cláudio, mas já deu….
    É MINHA OPINIÃO..

  21. Prezado Gerson, acrescente a sua lista a falta de marcação individual sobre Eduardo Ramos. Qualquer time que enfrente o Paysandu hoje em dia tem que vigiá-lo de perto. No RE-PA de ontem ele jogou solto e pôde fazer o que bem entendesse. A falta de sobra para o Berg foi o que permitiu que o Pikachu jogasse bem e marcasse um gol. Rodrigo Guerra mal apoiava e mal defendia, o Rodrigo Alvim levou vantagem. Acho que para a saída de Guerra devia ter seguido a entrada do Capela, deslocando o Galhardo para a ponta direita, de início, enquanto o jogo estava 2×0, e, depois, a sua substituição pelo Branco, quando cansasse. O lado direito azulino vai continuar improdutivo enquanto Walber não se recuperar, melhor arriscar com o Branco na titularidade na ponta direita, sacando o Guerra e mantendo um volante fixo para cobrir o Branco, que não é lateral, mas apoia a defesa combatendo no meio de campo, sacando o Gerônimo por um volante que proteja mais a zaga, como o Tony. Concordo sobre a decisão de tirar o Clebson, ele fez absolutamente nada, e também acho que deveria ter entrado o Capela, o treinador não percebeu que a dificuldade do ataque era a improdutividade do meio-campo, por isso o Paulista não apareceu e o Leandro Cearense teve que sair para o jogo diversas vezes. O Remo joga muito recuado e isso também dificulta a saída para o ataque. Na minha opinião, Gerônimo e Jhonnatan funcionam bem num 3-5-2, mas no 4-4-2 é necessário um primeiro volante clássico, que saia pouco e seja mais combativo para que os laterais tenham sobra quando apoiarem o ataque. Não entendo a opção pelo Nata, uma vez que o Tony se posiciona melhor e marca tão bem, ou tão mal, quanto este, mas é mais efetivo sem ser tão violento e despreparado. Para manter um 4-4-2, com cara de 3-4-3, faria: Fabiano, Branco, Zé Antônio, Rech e Berg; Tony, Jhonnatan, Capela (Clebson) e Galhardo, Fábio Paulista e Leandro Cearense. Ou então, num esquema mais conservador, poderia arriscar o Gerônimo na lateral direita com Jhonnatan e Tony na cabeça-de-área e manteria o restante da escalação: Fabiano, Gerônimo, Rech, Zé Antônio e Berg; Tony, Jhonnatan, Galhardo e Capela (Clebson), Fábio Paulista e Leandro Cearense. E pensar que tínhamos o Cametazinho… O que sei é que, como torcedor, quero o Remo ofensivo, nem que isso seja com o retorno ao 3-5-2.

  22. É Dificil admitir mais a verdade é o time listrado é muito superior ao meu leão,estou feliz de não termos sido goleados ontem.concordo com o amigo Cássio de Andrade que já jogou a toalha no parazão agora é lutar para conseguir a vaga na série D.

  23. Análise fria:
    Nos quatro REPAs, o Paysandu foi superior. O primeiro e o segundo, só não venceu por causa da sorte dos azulinos, que deram chutóes pra frente e a zaga bicolor marcou bobeira.
    O Remo – como o amigo disse acima – pegou pressão em todos os jogos. Teve sorte em vencer o Santa Cruz e a Tuna, duas vezes, sem merecimento.
    Mas a torcida azulina não vê isso. Eu, hein!

  24. Entendo que o Branco poderia jogar meio ao estilo que o Jorge Henrique desempenha no Corinthians, atacando com objetividade e velocidade, tendo também uma função defensiva. Os laterais esquerdos não são mais rápidos que o Branco e, mesmo que sejam, a presença do Branco no ataque força que o lateral esquerdo adversário não suba tanto. Acho que o Branco já fez coisa parecida no Águia de Marabá, se não falha a memória. Do jeito que foi ontem é que não dá para continuar.

  25. O Flávio Araújo montou o time do remo, o clube na medida do possível, atendeu todas as exigencias dele, trouxe jogadores que ele solicitou e o time faz vexame e ainda tem gente que defende o treinador…é brincadeira. concordo com o amigo Bentinho Ferreira, nosso companheiro Cláudio tem que começar a rever seus comentários, pois ta virando uma piada essa implicancia com o Lecheva.

  26. Paulo Caxiado entrevistando o Flávio Araújo:

    P.Caxiado :Professor Flávio aonde foi que o remo errou?

    F.Araújo :A Culpa é toda diretoria caxiado pois no inicio do campeonato eu pedi para contratarem o Messi ou Cristiano Ronaldo para o ataque e também pedi o Dedé e o Lugano para a zaga e não fui atendido assim fica dificil Caxiado.

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  27. Ontem felizmente não vi o jogo, minha programação foi mudada e acabamos indo a um sítio a mais de 2 horas de Macapá, com isso fiquei impossibilitado de acesso a internet. Pela coluna do Gerson, dá pra imaginar a facilidade que o Paysandú teve no jogo de ontem, muito em virtude do recente e desentrosado esquema 442 do time, aliado ao péssimo desempenho de algumas peças em campo. Gostaria de dizer que em post anterior ao jogo, mostrei ser contrário a aplicação desse sistema no momento contra o Paysandu, justamente pelo pelo diminuto tempo para aprimorar o novo sistema, e ainda mais, por enfrentar uma equipe bem entrosada e com esquema tático consolidado como é o caso do Paysandu. E por tudo que foi descrito na coluna do amigo Gerson, a meu ver se confirmou. Resta agora juntar os cacos estilhaçados e buscar união do grupo, ajustar e corrigir as não conformidades do novo sistema, para nos próximos jogos recuperár-se na competição e partir forte rumo a Conquista do segundo turno. Eu acredito em vocês, jogadores e comissão técnica, na retomada vitoriosa da equipe, pois são jogadores, de muita raça e determinação, infelizmente o pouco tempo de treinamento ao esquema 442, com certeza teve influência na jornada de ontem. Vamos meu Leão em busca desse objetivo.

  28. É palhaçada o que esse Claudio (COLUMBIA) comenta, está na cara que ele é azulino, nada contra, mas não fique dando POSER de comentarista, estás bem longe de ser um.

  29. ” A propósito, ao contrário do que estes números podem sugerir para quem só observa o placar do jogo, é preciso dizer que a sorte não abandonou o Remo, não.”
    Concordo cem por cento com a afirmação do amigo aqui do blog.
    Ontem a sorte esteve do lado azulino em todo o jogo e mais precisamente nas quatro oportunidades em que a bola se dirigiria para o gol e foi parada pela trave. Sorte por não ter levado de 7 o que para mim como torcedor do Papão seria a glória viver para presenciar tal feito se repetindo, mas certamente seria instalado um caos no Baenão!
    Achei que além de ter errado na armação do time e nas substituições o técnico azulino, endeusado por outros colegas do blog, foi covarde, anti-profissional, anti-ético e que para mim que já o via com outros olhares apenas confirmei ontem após sua declaração à imprensa jogando a derrota do time sobre os jogadores. O cara parece ser do tipo: se o time ganha foi eu quem ganhou e se o time perde foram eles que perderam!
    Francamente isto joga uma ducha de água fria sobe qualquer jogador que esteja tentando se levantar do golpe de ontem. Este tipo de atitude desmotiva qualquer um torcida azulina.
    Eu, se fosse o diretor, demitiria ontem mesmo pois o fato é recorrente.
    Na decisão do primeiro turno ele jogou sobre os seus comandados a responsabilidade da derrota afirmando que não obedeceram suas ordens táticas!
    Por outro lado um novo treinador poderia reacender nos atletas azulinos uma nova chama, um recomeçar das cinzas.
    Nem tudo está perdido, mas tudo pode se perder por causa de atitudes como estas do senhor Flávio Araújo.
    Sou torcedor do Paysandú como muitas vezes já falei aqui no blog, mas não admito que o rival com os atletas que tem sejam apenas eles os culpados pela derrota e o seu treinador sair ileso como se o mesmo não tivesse tido todo um tempo enorme para montar a equipe, conhecer suas limitações e dai tentar tirar proveito para classificar o Leão para a série D. Ainda bem que não há adversários para o time de Periçá, Águia e Paysandú já estão no brasileirão e afirmo que não vejo porque a torcida azulina temer por uma não classificação para a série D. Mas afirmo também que manter o atual treinador após suas declarações infelizes sobre os seus comandados é pedir para que a instituição Azulina seja alijada inclusive do brasileiro deste ano.
    É a minha opinião!

  30. Ontem foi um dia bem atipico, onde faltou determinação e raça pro time azulino, sem estes ingredientes o grande barcelona perdeu jogos importantes que dirá o remo. Então, antes de tudo tem de lutar por todas as bolas e não como ontem que todas as divididas estavam sendo ganhas pelo rival. Concordo com a analise de ontem do claudio que o clebson e o gualhardo, apesar de qualidades diferentes, usam o mesmo espaço no jogo. Então, o FA tem de alterar seu planejamento e colocar o que o time tem de melhor. Em vez de 2 armadores e 2 volantes num quadrado, entra com 3 volantes e ai num losango, o jonathan já chega muito ao ataque mesmo e poderia colocar outro com este perfil que seria o rodrigo, garoto da base que foi bem na taça são paulo. Hoje, com a nossa limitação do lado direito, era botar o zé antonio por ali e formar um 3 zagueiros falso, tambpem como o barcelona jogou por muito tempo com o abidal.

  31. O Remo pode utilizar 4-4-2, 3-5-2, 3-4-3, 4-3-1-2 , 4-5-1 (próximo esquema para garantir a vaga das semi-finais) ou todos contra um, que de nada adiantará, pois não possui qualidade técnica, atitude, preparo físico e determinação. Não passa de um time embolado no qual muitos jogadores (Galhardo, Paulista, Guerra e L Cearense) somente falam para enganar os sofrenômeno, mas não possuem futebol.
    Ontem no Bola na Torre, o zagueiro remista admitiu que o leião ficou na roda, falou mais ou menos assim: “… quando não estamos com a bola, somos obrigado a correr mais para tentarmos recupera-la, com isso ficamos desgastados…”. Isso mostra o quanto o Papão é superior ao leião.
    Para o Papão falta um pouco de seriedade, ontem era para ter goleado, mas ficou para o próximo jogo. Temos humildade, determinação e vontade. O título já é nosso.
    Quanto ao leião, cuidado para não entrar de férias em 31/mar.

  32. L(LÍDER)
    E(EDUCADO)
    C(COMPETITIVO)
    H(HUMILDE)
    E(ESPORTISTA)
    V(VITORIOSO)
    A(AMIGO).
    Após o jogo de ontem fiquei pensando e repensando nesta trajetória
    do Lecheva. Muito injustiçado por alguns, reconheço nele as qualidades acima descritas!
    Apesar de em outras situações já ter deferido críticas em sua caminhada como técnico, venho a cada dia que passa confirmando o quanto ele tem crescido a cada dia, a cada jogo!
    O modo como o time do Paysandú entra em campo sempre procurando o gol, torna-o para mim um dos mais arrojados treinadores que já vi passar pelas terras paraenses! E olha que ele está no início de carreira!
    Ontem o Papão confirmou em campo o que muitos bicolores e o Gerson já apontavam como o time mais qualificado a levantar a taça deste ano. Existe uma imensa diferença entre o time do Paysandú e os demais!
    Se ainda não temos um time pronto para a série B as construções e adequações realizadas pelo Lecheva me fazem acreditar que mesmo sem aquela rodagem dos Divinos, Givanildos, Gibas, etc…, ele é o CARA para este campeonato.
    A entrevista dele ao responder sobre sua sondagem feita pelo clube cearense veio mostrar que ele tem AMOR ao clube e ele tem um projeto pessoal para o Papão!
    Temos um time qualificado a nível de parazão, e não posso deixar de perguntar aos amigos do blog: S

  33. Comentário 24.não é meu, é do clone doente retardado!

    Claudio, ontem no face já tinha uma campanha pra volta do Rei Arthur e Agnaldo de Jesus, será que essa bala já está na agulha? Em relação ao time acho q tem que dar um banco pro Paulista pipoqueiro e voltar pro 3-5-2!

  34. Continuando com a pergunta:
    SERÁ QUE SE FOSSE OUTRO TREINADOR O TIME DO PAYSANDÚ ESTARIA JOGANDO PARA FRENTE COMO ESTÁ O TIME DO LECHEVA?
    Aguardo os comentários dos amigos do blog!

  35. Não resta dúvida que o rival está bem melhor treinado e bem mais produtivo que o meu Clube do Remo. Todavia, ainda não joguei a toalha. O que o time jogou numas três ou quatro partidas das quinze que já disputou, ainda me permitem acreditar que mesmo que não consiga o título paraense, ainda pode conseguir o acesso. Para tanto, basta disputar a final do returno com o rival.

  36. Concordo com o Miguel, no que se refere ao técnico azulino e com o Allan Silva em relação ao esquema tático. Nunca me iludi com esse técnico desde o início do campeonato. Aquele 2×2 com o PFC na semifinal quando o Remo jogou com seis volantes deu-me a certeza de que não venceríamos o primeiro turno. Flávio Araújo não tem plano tático, e muito menos um plano B quando a sua retranca não funciona. Eu como remista quero ver o meu time jogando para frente e não enganando como vem fazendo desde o início do campeonato, pois se o Remo continuar assim, vai ficar mais um ano sem divisão.

  37. Naquele no jogo de ontem, se em vez de o Paysandú ter feito 3×0, fosse o contrário, o Remo tivesse enfiado 3×0 no bicolor, o jogo tinha acabado logo no início do 2º tempo, porque o Paysandu tinha corrido de campo como já ocorreu duas outras vezes quando perdia por um placar elástico para o Leão!

  38. Miguel, o Lecheva está sendo um bom treinador para o Paysandú, consciente e coeso mostrando conhecimento tático e o mais importante, conhece os jogadores explorando o limite de cada um. Porém, penso que o presidente deveria ter utilizado o Parazão como laboratório para a série B, pouco importa este campeonato (tecnicamente é muito fraco), pois já temos a vaga do Brasileirão e temos que procurar alcançar a série A.
    Espero que após a conquista do Parazão, não se pense que este seja o melhor time candidato a uma das vagas a série A, pois ainda temos o que melhorar, espero que ele consiga administrar o time com a chegada dos novos reforços.

  39. O que eu mais gosto em boa parte da torcida azulina é essa capacidade de usar o “se…”. Se o Remo tivesse feito aquele gol, se o Remo tivesse isso e aquilo… Eles só não falam: e se aquelas boas na trave tivessem entrado, já pensou, 7 de novo?!?!?!? Ou mais???

  40. 1 – Tem alguns comentários que nem leio mais, pois pode o mundo virar de cabeça para baixo que o ponto de vista será o mesmo, mesmo que errado.
    2 – Será que os azulinos estão sentindo falta das premiações por jogo?
    3 – Depois do Chiquita e do Clébson, o rival poderia tentar contratar o Beá que fazia parte do grupo do Salgueiraço e anda por aqui. Uma hora vão acertar.
    4 – Estava na cara que se viesse no 4-4-2 ia levar cacete como levou;
    5 – Paulo Wanzeler ainda não me convence, mesmo assim teve uma boa paricipação.
    6 – Iarley mostrou que pode sim ser muito útil ao Paysandu.
    7 – Se o FA tiver personalidade ele manda os diretores-torcedores se calarem e volta para o 3-5-2 retranqueiro que é o que ele sabe fazer.
    8 – Por fim, parabéns ao Lecheva pela sua humildade, simplicidade e principalmente coerência. Esta tão em falta em alguns comentários aqui no blog.

  41. 42. Rogério Silva – TABU 33
    Será que vocês vão continuar no passado se ferrando no presente, o que ganha o jogo é o passado? e se… e se… Vocês tem mais é que calar a boca e ficar quietinho

  42. todo mundo reconhece o entrosamento do paysandu.

    isso é admitir o bom trabalho do lecheva.

    ele pegou um grupo no início do campeonato e transformou em uma equipe.

    critiquei muito a escolha do lecheva para treinar a equipe do papão, mas tenho que reconecer que ele nesse tempo todo fez um bom trabalho

    e eu acho que isso se deve ao fato de o lecheva fazer o simples. o feijão com arroz. colocar cada especialista no seu setor e orientar o posicionamento. só isso.

    diferente desses medalhões que parecem professores pardais inventando esquemas malucos de jogo que confundem a cabeça dos jogadores.

    Lembram do davino que quase transforma o pikachu em atacante e meio campo?

    Vejo muito potencial no lecheva. mas muito potencial mesmo.
    se ele se qualificar um pouco mais (fizer cursos, estagios e etc) será um dos grandes treinadores do brasil.

  43. Dizer que o Paysandu leva vantagem em cima do remo porque este montou o plantel só a partir de dezembro/2012 e o PAPÃO conservou o time do ano passado é pura falta de argumento. Do time atual do PAPÃO apenas Pikachu, Wanderson e Ricardo Capanema permanecem titulares. Logo o entrosamento do time é fruto do trabalho do Lecheva, que faz o simples, mas com inteligência e competência e deve ser mantido para série B, até que se prove o contrário.

  44. A frase do dia é esta do Rocildo, nos comentários on-line, após o jogo:

    “Na minha opinião, o mais querido acaba de ganhar o campeonato. A derrota era necessária, e a partir de agora tenho certeza, o grupo azulino, que tem qualidade, vai se unir, se cobrar mais e entender que a coletividade e não a individualidade, foi a grande arma utilizada pelo mais querido.”

    kkkkkkkkkkkkk

  45. Égua ! Não fosse a falta de profissionalismo de alguns jogadores do PSC, que, pelo fato de a vitória já estar garantida, foram displicentes
    em muitos lances claros de gol, deixaram de aplicar uma goleada histórica. Eu não gostei do resultado. Fiquei frustrado, pois tinha tudo para ser uma goleada histórica.

  46. Gerson e Antonio Oliveira, quando as equipes se preocupam apenas em jogar futebol, a arbitragem passa desapercebida…rsrsr…

  47. Eu concordaria com o Rocildo se o técnico azulino não fosse o Flávio Araújo. O Remo está no mato sem cachorro com esse técnico.

  48. Parabéns PAPÃO pela vitória maiúscula , incontestável.Papão é tão superior aos demais que mostrou isso quando jogou sem 6 titulares contra o Águia.
    No início do certame eu postei aqui que já vi esse filme.Falta somente a diretoria do rival demititr o regular FA e contratar o Sinomar ou Charles.Basta o leão levar um empate na próxima que isso pode acontecer.Ou seja o Remo vive um ciclo repetitivo.Mudança?Difícil acontecer quando a própria torcida acredita piamente em setoristas e promessas repetidas há anos.Quanto ao Papão se continuar assim com mais algumas contratações pontuais candidata-se a ascender à Serie A.
    Coluna perfeita nobre escriba.

  49. Amigo Edmundo certíssimo.Esse árbitro de todos os que foram apitar aí é o pior técnicamente,mas foi o que se saiu melhor.Louve-se , e eu sempre sou justo ,sensato e racional para falar, o comportamento dos jogadores azulinos que mesmo se vendo inferior na bola e na partida não apelaram.Talvez se duas daquelas bolas na trave tivessem entrado , eles poderiam ter apelado, mas perderam sem apelar para jogadas ríspidas.

  50. Sr. Miguelangelo (Postagem 37)

    Parabéns pela clareza de idéias.

    O Sr. fez um belo resumo do que é a personalidade do Lecheva.
    É assim que ele responde.

  51. OLÁ LECHEVA

    Gostaria de ter a fluência que alguns têm de colocar em palavras o
    sentimento, para poder agradecer-le pelo EXCELENTE trabalho que V. está fazendo pelo Paysandu, apesar de uns poucos serem contra (quase acrescentei um qualificativo mas não é meu costume ou intenção ofender quem quer que seja)

    Se não fosse prejudicial para o Papão, acho que V. talvez devesse aceitar as propostas de fora. Todos vêem, com raras excessões
    que só servem para confirmar a regra.

  52. Parabéns ao melhor time do campeonato, o Paysandú, pela vitória, que poderia ter sido mais elástica.
    Resta ao Clube do Remo brigar pelo vice-campeonato, vencendo seus próximos 5 jogos, de forma a assegurar a série D neste ano.

  53. Aaaahhh!! lelek lek lek lek lek lek!!!
    O caxiado chorando num lado e o Cláudio Santos chorando no outro!!!
    No passinho do Papão o leão dançou dinovo!!!
    Aaaahhh! lelek lek lek lek lek lek!!!

    kkkkkk

  54. Pr. Carlos, sei que o senhor está sendo irônico, mas o Sinomar é demais, não achas? Eu prefiro o Cacaio ou Lúcio Santarém, rsrsrs. O problema é que não confio em técnico de fora por serem associados a empresários desonestos, mas eu apostaria no Sérgio Guedes para começar um trabalho no Remo, porém, como já estamos no fim do parazinho, é melhor manter o retranqueiro para segurar a vaga na Série D e depois trazer outro comandante para buscar a classificação à Série C.

  55. Caro Luis Antônio na quarta feira o remo enfrenta o pfc lá em paragominas e no domingo o são francisco lá em santarém,sei não mas a coisa tá ficando preta a tendência agora é o remo precise torcer para o papão ganhar a taça estado do Pará para poder conseguir jogar a série D.

  56. Caro Gustavo dizem que o Rocildo tem um baú na casa dele que ele costuma guardar umas desculpas esfarrapadas para dar dizer nestas derrotas vergonhosas do time dele,acho que ele deve estar revirando este baú.hahahahahahahahahaha

  57. É amigo Claudio, a grande incoerência de sua parte nem é dizer que o Lecheva não é um bom técnico, o que realmente uma série C e um paraense fraco que ainda nem acabou não permitem. O problema
    é a teimosia em defender seus preferidos e ao mesmo tempo malhar pesado o Lecheva com indiretas absurdas, como dizer que quem manda é o Vero porque aprendeu com Givanildo, que pegou elenco formado por terceiros etc. Vc diz que FA não teve os pedidos atendidos pela diretoria, que não tem tempo de treinar que blá blá blá. FA não faz nada, o Remo não tem padrão de jogo consistente, tem lampejos de time e a sorte apenas. Sabemos que um dia Lecheva vai cair e vc dirá “eu avisei…”, aliás nem sei se vc já não torce contra o Papão só por causa dessa pinimba que toma corpo a cada boa apresentação do time, principalmente co tra o FA. Claudio, pare de elogiar o FA, de passar a mão na cabeça como se fosse seu parente e de desmerecer o Lecheva à toa, assim já começa a ficar mais agadável ler suas opiniões sobre tática e análise dos jogos. Como vc diz, vá tomar uma amigo e esqueça o Lecheva.

  58. O Remo tava no caminho certo, pois no fundo o objetivo é conquistar a vaga pro brasileirinho e assim conseguir calendário pro restante do ano.

    O problema é que aquela vitória na “merda” diante do Paysandu, acabou iludindo muita gente. Vindo a perda normal do 1° turno pro Paysandu, tudo já vinha se arrumando de novo, até que leva um chocolate daqueles de novo.

    Agora sim, se não botarem a cabeça no lugar e reconhecer suas limitações ( diante do maior rival ) a vaca pode ir pro brejo com tripa e tudo.

    Ser vice campeão num campeonato onde tem Paysandu e Aguia com a obrigação moral de serem os dois melhores clubes do campeonato, não chega ser um demérito.

    Agora será humilhante perder o que praticamente já foi conquistado, a tão disputada vaga pro brasileirinho.

  59. Fui crítico do Wanzeler e disse que preferiria o P. Rafael, mas o Wanzeler está de parabéns, pois foi seguro, fazendo ótimas defesas. Merece continuar como titular.

  60. E já vou avisado ao colegas remistas, desde já: como estou morando em Santarém e quero ver o Papão jogar aqui, vou torcer para o SF ganhar do CR, pois entre o ver o CR na série-D e o Papão vir jogar aqui em Santarém, a resposta é elementar….

  61. Amigo Mauricio, esse meu questionamento sobre o Lecheva, é porque ele foi técnico do Paysandu, sem o Vero e depois, com o Vero, e antes, ele não fazia coisas que faz agora, por isso falo dessa importância do P.Físico, ao seu lado. Será que se fosse o Pompeu, seria a mesma coisa? Não estou querendo dizer com isso, que ele esteja errado, pois pelo menos está aprendendo, com quem conhece .. Dizer que o Lecheva é uma pessoa que está aprendendo e tudo mais, eu concordo, e tem que ser assim mesmo, pelo menos, em relação aos outros locais que passaram pelo Paysandu, ele é o que deu mais resultados ao clube, isso, todos estão vendo… Agora,é bom não confundir, Parazão, com série B e, se no Parazão ele comete alguns erros de substituição, imagine na B..

    Fique despreocupado, que, se um dia o Lecheva cair, e eu não torço pra isso, pelo bom momento que ele vive no Papão, eu só vou dizer: ” Eu não disse”?, se ele cair, por uma mexida errada, por uma mexida não feita… Coisas, que estou acusando, desde agora, mas sair, por não estar mais dando liga ou coisa parecida, jamais… Não torço contra e nem quero o mal do Lecheva, o problema é que defendo SIM, mas o Papão da curuzu, disso, não duvide…

    As pessoa estão confundindo as coisas, por eu querer ver o Remo, na série D, como seria, se fosse o Paysandu, mas é sempre, pensando no bem desses 2 clubes… É bom não confundir…

    É a minha opinião.

  62. Claudio, não tenho dúvidas de que vc é Pará Esporte Clube, mesmo tendo sido antes remista e sabendo que não existe ex-remista ou ex-bicolor.
    Mas seja lá como for, nenhum diretor, torcedor ou jornalista tem motivos pra querer a cabeça torta do Lecheva rss. Mudando de assunto, ou melhor, o foco, e o Jorginho no seu Fla? Mais uma bola fora dos cartolas, não?

  63. Amigo L Antônio Mariano não quis ser irônico, quis apenas dizer que o Remo se repete e como o Sinomar é o preferido do clube azulino…se bem que acho que assim que empatar ou perder mais uma talvez inovem com o Charles ou quem sabe o Cacaio.No final é o Remo voltando para o início do ciclo.
    Tenho postado isso , esse marcar passo do clube do Remo desde que comecei a postar aqui em 2011.Portanto falo como quem alerta,inclusve sem desrespeitar o clube,sem apelidos, sem palavras jocosas e grafando o nome da intituição com Maiúsculo R, mas é duro para o torcedor azulino enxergar certas coisas ,certas verdades.inclusive nem sou compreendido, às vezes até desrespeitado por alguns que se apresentam como instruídos e equilibrados.
    Comentarista equilibrado é aquele que opina, mas que ouve e se estiver correto adere à opinião alheia.Abração.

  64. O meu único medo do jogo de ontem era ter de reescrever a marchinha tendo que mudar para:

    “… PINTOU UM OITO NUMA TELA AZUL…”. Hehehe!

  65. Claudio, havia esquecido do preparo físico do PSC, vide o que o Vanderson jogou ontem, no ano passado estava jogando na moral, ontem não! Foi o velho pitbull.

  66. Égua, dizer que o Djalma não fez nada ontem é problema sério de catarata. Em que pese algumas firulas quando o jogo já estava definido, como no lance que resultou no gol de honra do Remo, Djalma foi peça onipresente no bom toque de bola do Paissandu, na hora de manter a posse da pelota. Talvez, o decano Cláudio tenha sido confundido pela narração da TV Cultura, que mistura o canhoto João Neto com o destro Djalma.
    Esse é mais um mérito de Lecheva, o de escalar aqueles que estão em melhor condição de atuação. Gaibu começou como titular, tinha o recall da boa performance na Série C. Contra o São Francisco(2X2) Djalma saiu primeiro e o time morreu no meio-campo e, desde então, o técnico bicolor foi preparando a formação do quarteto que hoje é considerado titular.
    Ontem, com o desastrado 4-4-2 do Flávio, a meiúca bicolor precisou de pouco mais de dez minutos para mostrar sua infinita superioridade, facilitada por um detalhe que ainda não vi citado: o quarteto bicolor passou uma semana treinar e sem jogar, enquanto o do Remo jogou na 4ª feira, daí os do Papão estarem em melhor condição física e técnica.
    De qualquer modo, mudar de treinador nesse momento pode ser catastrófico para o Remo. Primeiro, porque iria começar do zero o trabalho em uma competição que caminha para a reta final; segundo, porque grande parte dos jogadores que aí estão foram indicados por Flávio, algo que pode gerar fissuras no grupo a partir de qualquer entendimento que alguém está sendo injustiçado. Resta priorizar a vaga na Série D, que está muito próxima; e se vier o título que seja recebido como lucro.

  67. é Acácio mais na hora de sair do gol…. putz, como é ruim!! de baixo do gol fez boas defesas. Em um jogo como esse não se pode perder tantos gols. Lecheva tem que chamar essa galera!

    O campeonato ainda não acabou, porém o futebol regular que vem jogando o paysandu me deixa otimista.

  68. O Lecheva é o melhor técnico do futebol paraense atualmente.

    Caro Pastor, realmente o senhor é um dos mais respeitosos e educados do blog,por isso admiro seus comentários e análises.

    Agora falando sobre Copa do Nordeste ,que conquista obteve o Campinense. Um título importantíssimo à sua história .

    Parabéns ao RUBRO-NEGRO PARAIBANO !

  69. Desculpe, amigo Mauricio, é que passei rápido em casa e só respondi seu post e saí, de novo, com minha filha, pra médico e outras cosas mais..

    Existem exceções, amigo Mauricio… Uma hora você se acostuma comigo…rs

    Quanto ao Fla, agora com Jorginho, deve estar sentindo inveja de Bota, Flu e Vasco e tá querendo, também provar de uma série B.. Te dizer..

  70. Opiniões não podem ir contra os fatos, talvez fosse bom perguntar ao Lecheva o que ele achou da atuação do Djalma.

  71. Cláudio, você continua com o mesmo samba de uma nota só! Pra você o lecheva não presta, assim como o garoto Djalma não pode ser titular do Paysandu, por causa de você achar o Alex Gaibu melhor que o mesmo. Respeito suas escolhas, mais quem sabe o que e melhor para o Paysandu e o Lecheva, não sou eu nem você e mais ninguém.
    Outra coisa, o Djalma e o tipo do jogador que não aparece para a torcida e para imprensa, ele e o tipo do jogador tático, que cumpre as determinações que o seu treinador manda. Ele e mais preciso e necessário ao Paysandu, do que o Zé firula do Galhardo pro Remo, que além de jogar somente contra os clubes pequenos, só quer fazer jogadas improdutivas, gosta mais de enfeitar o pavão do que jogar o feijão com arroz.
    Minha opinião!

  72. Concordo quanto ao Galhardo, André. Um peladeiro sem compromisso, já comentei sobre isso. Não é o tipo do 10 talhado pra liderar um time de massa em desespero. Ele parece mais um dos desesperados, alíás, não só ele. É um tal de ajoelhar e chorar em campo, correr feito louco sem direção comemorando um golzinho…eu hein. Um 10 tem que ser centrado, chamar a responsa, distribuir e cadenciar o jogo. E quem é assim? Eduardo Ramos. O Papão tem que segurar esse cara.

  73. Vou colocar lenha nesse fogo meus caros papinhadus. Infelizmente não pude ir ao mangueirão na tarde de ontem. Vi o jogo ouvindo a Clube. E ao acordar fui assistir os melhores momentos do jogo, e tive uma surpresa. Segundo a especializada, o mais querido nada jogou, absolutamente nada. e para o meu espanto, vi com esses olhos, que o mais querido poderia ter imputado ao papinha uma goleada histórica. Leandro em uma jogada pela direita, causou o maior reboliço na zaga do papinha, e a bola não entrou por milagre, Galhardo pela esquerda meteu um balaço com a bola batendo na rede pelo lado de fora, Paulista errou quase na linha de gol uma letra, se acertasse a jogada seria gol na certa, Paulista na meia lua chuta para a boa defesa do goleiro Wanzeler. E ai concluo que se fosse mais eficiente o mais querido sem jogar nada,teria feito 3 x 0 no papinha com vinte minutos de jogo. Salientando que os dois gols marcados pelo papinha foram frutos de falhas gritantes do sitema de marcação azulino. No segundo tempo o Val Barreto em uma jogada infantil perde a bola e no contra ataque sai o terceiro do papinha. O Leandro entra pela esquerda e perde um gol feito, em seguida o lateral Rodrigo, tira por milimetros a bola do Val Barreto, que já ia empurrar a bola para o barbante, Carlinho sozinho, cabeceia para fora um cruzamento vindo da linha de escanteio, Geronimo, obriga Wanzeler a fazer uma dificil defesa, o zagueiro Bispo, tira uma bola da cabeça do Val Barreto que seria gol certo, e o gol do Branco. Pronto senhores bicolores, tenho ou nãorazão quando afirmo, que se o ataque do mais querido fosse competente, e a defesa azulina fosse mais competente, o Leão Azul poderia ter aplicado uma goleada histórica no papinha, mesmo sem ter jogado nada, absolutamente nada. Não fez, deu no que deu perdeu por 3 x 1. Agora fiquei aqui com um pensamento, se sem jogar nadinha, o mais querido fez tudo isso. Então creio, que se esses jogadores jogarem tudo o que sqabe, o Remo é o campeão paraense de 2013.

  74. Ele voltou,o Rochildo voltou novamente,pra falar muita asneira contente e cohrando peia pisa que levou do PAPÃO ! Ainda tem coragem de dizer que o seu leão tinha tudo para aplicar uma goleada sonora no eterno Campeão ! Égua é por isso que dizem que o amor é cego . Acho que ele estava vendo o filme do mesmo nome ! Não quer se entregar ! Eu hem !

  75. Obrigado nobre escriba . Edmundo, realmente o clube azulino escapou de levar uma surra histórica , mas os jogadores não apelaram.

  76. E verdade pastor, os jogadores do remo não apelaram em nenhum momento, ao que parece, reconheceram a superioridade técnica maior dos time do Paysandu, ao contrario dos lunáticos torcedores do mesmo.
    Mais o senhor mais do que ninguém deve saber – cada um da o que pode e o que tem!

Deixe uma resposta