27 comentários em “Os gols de Santa Cruz 2, Remo 3

    1. Sem dúvida, um belíssimo gol. Mas os gols do Val Barreto (primeiro turno contra o Santa Cruz) e do João Neto (contra o S. Francisco) foram bem bonitos também.

  1. O Val Barreto me passa a impressao de ter um problema fisico serio,nunca vi 
     matador ser banco...

  2. Não dá pra entender: o técnico indica o jogador; o clube se endivida pra trazê-lo; o atleta chega e diz que está pronto pra jogar; aí o treinador não o relaciona nem pro banco. Falo do Capela.

    Ele tá contundido? Não era verdade que ele havia se colocado à disposição do treinador? É opção técnica do treinador? Ou qual é o outro motivo que o trinador não explica? Isso tá me lembrando aquela batelada que o Cabeça contratou pro segundo turno do campeonato do ano passado. Eles vieram pra cá e passaram o turno inteiro sem entrar em campo, salvo o Chiquita.

  3. Video mostra um elenco seriamente dividido, como sempre (jogadores da casa x jogadores de fora). Os diálogos em off mostram bem. Professor Lecheva botou panos quentes para disfarçar.

  4. Parece que o Paulo Rafael anda um tanto ansioso demais pra recuperar a posição. Dinheiro não pode ser, pois o salário diz que tá sendo pago antecipadamente.

  5. Kd os listrados pra comentar essa briguinha kkkk acho que foi por que não teve presente hj kkkk só pra lembrar: 205

  6. Brigas são normais entre jogadores profissionais não é a primeira nem será a última, o que cabe é a comissão técnica e direção tomarem uma atitude com os combatentes!
    Nunca achei que o goleiro Paulo Rafeal fosse esse goleraço que ele imagina ser, um dos pontos fracos dele é não saber sair em bolas cruzadas, é só lembrar o vai e vem que este faz nestas jogadas demonstrando toda a sua insegurança,fundamento que muitos brasileiros também são muito fracos!
    Quanto ao atual titular também tem suas falhas principalmente em bolas rasteiras. Ambos não servem para a série B, é a minha opinião! A não ser que melhorem muito, mas muito mesmo daqui para frente!

Deixe uma resposta