Leão supera PFC e assegura vantagem na final

Por Gerson Nogueira

Com gols marcados no segundo tempo, o Remo derrotou o PFC por 2 a 0 e se classificou com vantagem para a decisão do primeiro turno do Parazão 2013. Val Barreto e Fábio Paulista marcaram os gols remistas, confirmando a superioridade da equipe ao longo da partida. Ao contrário do primeiro jogo em Paragominas, quando o PFC foi mais agressivo e criou várias chances de gol, desta vez o Remo mostrou organização no meio-de-campo e não permitiu ao adversário levar maior perigo à sua defesa.

REMOXPFC Parazao 2013-Mario Quadros (61)A rigor, o time de Paragominas só rondou a área azulina em cobranças de falta e escanteios. O atacante Aleílson, destaque e artilheiro do PFC, foi vigiado de perto e não acertou um chute em gol. O Remo controlava as ações na meia cancha e saía em velocidade pelo lado direito com Galhardo e Leandro Cearense, além de chegar pela esquerda com Fábio Paulista e Berg. Para isso, foi fundamental o bom trabalho dos volantes Jonathan e Gerônimo, tanto no desarme quanto na reposição de bola. Com o entrosamento da dupla de volantes, a defesa teve mais segurança, apesar da ausência do zagueiro e capitão Carlinho Rech.

Apesar de ter desfrutado de bons momentos ofensivos com Fábio Paulista, Jonathan e Leandro Cearense, o Remo não conseguia acertar nas finalizações e o primeiro tempo terminou empatado. Para a segunda metade, o técnico Charles Guerreiro tirou Paulo de Tarso e lançou Bené, buscando dar mais agressividade ao meio-de-campo. Em seguida, substituiu Marquinhos por Rondinelli. As modificações não mudaram o panorama em campo. O Remo tornou-se ainda mais presente no ataque, perdendo excelente oportunidade com Paulista, que bateu forte para firme defesa de André Luís, aos 6 minutos.

Aos 10 minutos, Galhardo lançou Paulista pela direita e este mandou um chute forte. A bola estourou no poste e saiu por trás de André Luís. Animada com o bom momento, a torcida pediu e Flávio Araújo atendeu, lançando Val Barreto no lugar de Leandro Cearense, que já demonstrava cansaço. Logo na primeira arrancada, Barreto recebeu passe de Paulista e chegou à frente do zagueiro Cristovão para fuzilar em direção ao gol. A bola ainda resvalou na perna de André Luís antes de ir para as redes, aos 24 minutos.

Logo em seguida, Barreto entrou na área, trombou com Cristovão e cruzou para o centro da área. A bola resvalou no braço de Rubran, mas o árbitro mandou seguir. Aos 35 minutos, Jonathan recuperou bola no meio-campo e lançou Fábio Paulista, que avançou e disparou no canto direito, sem defesa para André Luís. Remo 2 a 0. O Remo se tranquilizou ainda mais e controlou a partida, sem sustos, até o apito final.

ESCALAÇÕES

Remo – Fabiano; Zé Antônio, Henrique e Mauro; Válber, Jonnathan, Gerônimo, Tiago Galhardo (Ramon) e Berg; Leandro Cearense (Val Barreto) e Fábio Paulista (Branco). Técnico: Flávio Araújo.

PFC – André Luís; Magno, Rubran, Cristóvão e Devan; Dudu, Ilaílson, Paulo de Tarso (Bené) e Marquinhos (Rondinelli); Aleílson e Adriano Miranda (Tony Love). Técnico: Charles Guerreiro.

Árbitro – Cláuber José Miranda. Assistentes: Heronildo Sebastião Freitas e João Paulo Loiola de Sousa.

Cartões amarelos: Cristóvão e Ilaílson (PFC); Fábio Paulista e Válber (Remo).

A renda foi de R$ 211.754,00, com 11.891 pagantes. Descontado o valor de R$ 95.720,00, referentes às muitas despesas (destaque para os 10% da FPF, R$ 21.175,40; aluguel de campo, R$ 8 mil; lances e aluguel de equipamentos, R$ 12.310,00), restou ao Remo a importância líquida de R$ 116.033,48).

46 comentários em “Leão supera PFC e assegura vantagem na final

  1. Até acho bom que o PAPÃO jogue sem o conforto dessa vantagem. Acho que só aumenta a determinação em busca da vitória ! AVANTE, PAPÃO !

  2. Em relação ao jogo de hoje,vitória justa e merecidíssima do Remo,que Pressionou,criou inúmeras oportunidades e não deu a mínima chance ao Paragominas e,pelo que notei,talvez tenha feito sua melhor exibição no campeonato.

  3. Foi vantajoso para o Remo conseguir essa vantagem. Desse modo, Flávio colocará o time da forma que mais aprecia; Obviamente, nos contra-ataques.
    Mas não será um jogo fácil, o da final. Até porque o Paysandu não é time de um jogador só.

    O sistema defensivo deverá bater cabeças na marcação de Eduardo Ramos e Pikachu. R. Oliveira também merece atenção especial, pois, mesmo com toda a ruindade, está entre os artilheiros do campeonato.

  4. Rosivan, não e questão de subestimar o seu Leão camarada! O problema e que vocês só querem enxergar de um lado só. O Remo ganhou o primeiro Re-Pa em detalhes, errou menos em seu setor defensivo e foi merecedor, assim como se o Paysandu também tivesse saído vencedor, não seria desmérito nenhum para o teu Remo amigo, pois o Remo na atual circunstância, está sem divisão, tá correndo contra o tempo pra voltar a ter uma divisão e sair do ostracismo da “quarta divisão”.
    Então meu caro, no próximo domingo, espero que seja um dia ensolarado e que vença o melhor, de preferência o meu Papão que tem um estilo de jogo mais vistoso e criativo, diferente do Remo, que joga um futebol mais burocrático e pragmático, mais que ante então vem sendo eficiente pelo menos ate hoje 17/02/2013. Já não posso dizer além disso, pois ainda haverá o Re-Pa e espero que essa escrita seja quebrada, mais esse TABU seja quebrado pelo quebrador de TABUS do Pará o Papão da Curuzu.

    Boa sorte mano, felicidades pra você ate o próximo domingo antes do jogo, pois após o arbitro apitar o início do clássico, a felicidade será minha e da nação bicolor que vai invadir o Mangueirão em peso, anote!

  5. Depois do jogo passado em que o remo jogou uma péssima partida, alguns chegaram a questionar a capacidade do plantel e do treinador, eu não. Parabéns ao amigo Cláudio que sempre depositou confiança no técnico Flávio Araújo no seu planejamento tático. A prova está aí lúcida.

  6. Aliás, nem esse jogo com o Paragominas deve ser considerado fácil.
    Aleílson poderia ter matado o Remo ainda no primeiro tempo, quando pegou mal na bola e soltou um chute fraco, nas mãos do goleiro Fabiano. Normalmente, ele não perde gols assim.
    Mas o PFC também teve sorte, não vou negar. Mesmo em um dia desfavorável do Thiago Galhardo, o Remo poderia ter metido mais dois gols.

    – Gostei da dupla de volantes de hoje. Gerônimo e Jonathan são ágeis e potencializam, ainda mais, os contra-ataques do Remo; Jonathan só precisa calcular melhor a força nos passes de longa distância.

    – Wálber foi, em minha opinião, apenas regular.

    – O que houve com o Galhardo, hoje? Adiantava muito a bola, errou quase todos os escanteios que bateu e “gananciou” demais lá na frente. Eu hein…

    – Por mim, Leandro Cearense continua no time titular. Val Barreto mostrou que é muito mais efetivo quando entra no segundo tempo. Aquela arrancada que ele deu, amigos, ninguém pega cansado.

    – Não sei se é isso mesmo, mas creio que Flávio esteja -aos poucos- preparando o Remo para jogar no 4-4-2. Que seja isso…

  7. Louve-se a participação do técnico na barração do Guerra, e na escalação do Valber e do Jonathan. O Galhardo, o Berg e o Cearense eram escalações que naturalmente se impunham.

    No mais foi o trabalho dos jogadores. Eles que acertaram os passes, evitaram os chutões, fizeram a aproximação, mantiveram e qualificaram a posse de bola, com tabelas, triangulações etc, tudo isso num nível que nunca haviam conseguido fazer antes. Sem esquecer, logicamente, a sempre afiada pontaria dos atacantes. O resultado foi que hoje não se viu a vulnerabilidade da defesa e o sufoco costumeiro, mais conhecidos como retranca.

    Enfim, foi majoritariamente o trabalho dos jogadores em campo que conseguiu superar a limitação do formato tático utilizado pelo treinador e alcançar uma vitória, a qual, apesar de não ter sido elástica como a do rival, foi obtida com a mesma autoridade.

    Para os 180 minutos da decisão, a vantagem decorrente da liderança e o sentimento de superioridade que o habita o rival, com reflexo até na torcida, vão ajudar, mas podem não ser suficientes. Os atletas azulinos vão precisar acentuar o espírito com que atuaram hoje, multiplicando a garra e a aplicação.

    E o técnico poderia não atrapalhar se abstendo de insistir na escalação do Guerra no time principal e na escalação do Ramon mesmo no banco de reservas, pois ele ainda não está em forma, seja física, seja técnica (se hoje tivesse sido necessário, o Ramon provou que não tinha como ajudar e o Endy teria feito falta). Além do mais, ele poderia conceber e treinar uma estratégia alternativa para variar o jogo, caso seja necessário, e “deixá-la” de prontidão no banco de reservas. O Flávio Araújo tem se notabilizado por sempre fazer mais do mesmo quando faz as suas substituições no decorrer do jogo.

  8. Thiago Correa você está certíssimo amigo! Com certeza o Remo sentira dificuldades, muitas dificuldades para marcar os jogadores do Paysandu no clássico, assim como foi no primeiro jogo vencido pelos azulinos.
    Você matou a charada ao dizer que o Paysandu não depende única e exclusivamente de um único jogador, ou uma única jogada pra vencer os seus jogos, ao contrário do rival que só possui uma única jogada com o Fábio Paulista que com certeza será neutralizada pelo Lecheva e seus comandados, enfim, no domingo próximo sou mais Papão por tudo o que o mesmo já passou na competição nos momentos de vitória, empate e derrota, traduzindo – o Paysandu já está escolado com jeito de jogar dos azulinos, quero ver se os azulinos já estão escolados com a forma de jogar do Paysandu.

  9. O meu mengão até o momento vai ganhando do Botafogo do amigo Gerson por 1×0. Que pena que vamos enfrentar na copa do Brasil logo o meu segundo time. Os cariocas que se danem, sou mais meu Leão.

  10. Amigo Thiago, não creio que o Flávio Araujo esteja preparando o Remo pra jogar em um 4-4-2 não viu, falo isso porque quando o mesmo era treinador do América de Natal, quando conseguiu vencer o Papão lá em Natal, ele montou o time totalmente ao estilo do que o Remo e montado hoje, esse e o estilo dele, essa e a marca Flávio Araujo de treinar e escalar os seus times.
    O Remo já entrará contra o meu Paysandu na vantagem do empate, agora se vai conseguir aumentar a vantagem, somente após o jogo saberemos a resposta, eu acredito que essa vantagem será revertida a favor do Paysandu, palpites cada um tem o seu, assim como cada um torce pro time que quiser né meu amigo? hehehe

  11. Ninguém ta no clima de “já ganhou” quem tá assim e os azulinos! Afinal de contas e o time de melhor campanha e é o time a ser batido, só acho que o meu time tem totais condições de sair vencedor do embate, e por ser torcedor do mesmo jamais irei contrariar as minhas origens…Pra mim vai dar Papão, assim como vai dar Leão pros azulinos!

  12. Esses são os números do clássico carioca no Engenhão:

    Público e renda no Engenhão. 25.359 presentes; total R$855.279,00

    Flamengo 1 x 0 Botafogo

    Desculpem aos alvi-negros, mais o Botafogo sempre foi e sempre será o Freguês do Mengão! hehehe

  13. O mais correto seria fazer o “jogo de uma só torcida”, mas acho difícil as diretorias aceitarem.
    Até porque se um dos rivais levar peia no primeiro jogo, sua arrecadação ficaria prejudicada.
    Uma pena…

  14. Então Cláudio no meu bolão para o rexpa de domingo como vc já sabe não vale marcar empate,pot isso lhe reitero a pergunta para dar seu palpite.

  15. André(6), O que mais quero é que sua perspectiva de vitória, com um time superior e mais criativo, segundo sua opinião, seja exatamente o pensamento do elenco de vocês. Como eu disse, quanto mais o clima de já ganhou de vocês, melhor… As perspectivas de um REXPA na terceirona de 2014 são consideráveis.

  16. Amigo Rosivan, eu respeito o seu ponto de vista! Mais no domingo, o jogo será ganho pelo Paysandu, assim como vcs remistam pensam que vão ganhar. Todos temos as nossas preferências clubísticas e temos os nossos palpites, apenas eu dei o meu pitaco e você deu o seu.
    Não há nada de anormal, ou de salto alto da minha parte, muito menos dos jogadores do Papão! Acredito em um bom jogo, mais a minha expectativa e de vitória alvi-celeste…

  17. O mais querido mereceu e sem constestação. Agora enfrentaremos, a arrogância e a impafia bicolor. Porém estou acostumqado, pois vivo esse clima desde 1969. Antes do jogo, são jogadas maravilhosas, dribles desconcertantes, e gols muitos gols. Porém dentro de uma unanimidade peculiar, o mais querido corre por fora, afinal no proximo domingo enfrentará o soberbo Paysandu. E como vencer tão dificil disputa ? Sinceramente não sei, acredito porém que dentro da simplicidade que norteou o caminho remista até então, temos no minimo 40 por cento de chances de vencer o podedroso Paysandu. Agora,como ser tememnte a Des, e crente em milagres, creio que um milagre possa acontecer, e o mais querido possa vençcer domingo mais um clássico, dentre tantos que já venceu. Porém um nunca tão dificil, contra um adversário infinitamente tão superior, quanto é hoje e o Paysandu de Lecheva e companhia. Por favor bicolores, vençam apenas por um a zero, não humilhem, 1 x 0 basta, sintam pelo menos pena dos apavorados torcedores azulinos, e que Deus tenha pidade do nós azulinos.

  18. Discordo apenas de uma coisa, nas arquibancadas, nunca venceram e nunca vencerão. e sinceramente, salvo algun equivoco, o bicolor Claudio Guimarães, foi infeliz a quarenta, talvez trinta anos atrás, ao tachar de fiel, a infiel torcida do papinha., aquela que somente vai na boa. Portanto com um time infinitamente superior, o papinha, pode até vencer, porém nas arquibancadas é peia na certa.

  19. O que se viu em campo neste Remo contra PFC é uma constatação: o 3-5-2 só é ofensivo se o time tiver cabeças-de-área que saibam sair pro jogo, na falta de um líbero, fazendo a ligação defesa-ataque. Com Jhonnatan e Gerônimo, o 3-5-2 azulino ficou mais harmônico e homogêneo, todos os setores se destacaram e realizaram um bom trabalho. Os chutões não desapareceram, mas diminuíram, e, além do mais, já surgiram conexões e alguma continuidade entre os setores de defesa e armação. O ataque apareceu, o meio funcionou e a defesa teve poucos problemas. Acho que esta foi a primeira vez em que Flávio Araújo montou o time como realmente quis, sem improvisos: um ala esquerdo na esquerda, e um direito, na direita, juntamente com um segundo cabeça-de-área que é mesmo um segundo cabeça-de-área e um ataque com um atacante que joga pelos dois lados do campo e também centralizado, e ainda um centro-avante que também toca a bola fora da área e faz a função de pivô e de assistência. Parece que o time vai desenvolver um perfil ofensivo ao longo do restante do parazão 2013. Tomara.

  20. André, como torcedor do Leão tenho sempre que pensar em vitória seja contra quem for. Pode ser até o poderoso e tradicional Mengão. Confio nesse time do Remo e principalmente no nosso treinador ou você não confia no teu time caso fosse enfrentar o mesmo flamengo?

  21. Concordo contigo, Lopes. Mas é bom o Remo ter um meia tão bom quanto o Galhardo -Que hoje nem jogou bem- para não passar sufoco.
    Espero que o Ramón, ao entrar em forma, seja esse cara. Até porque teremos que aguentá-lo por mais dois anos.

    Aliás, ventilaram que o Leão estaria contratando o Thiago Potiguar Heheh
    O boato logo foi desmentido pela própria diretoria, afirmando que nenhuma contratação a mais seria feita, a pedido do Flávio Araújo.

    Por lógica, Isso também desmente que o técnico estaria apalavrado com Clebson, ou não?

  22. Rocildo, você que é a “enciclopédia” azulina, por favor, posta os 10 maiores públicos registrados no Mangueirão. Só lembrando: Os torcedores do MAIOR CLUBE DO NORTE, tem calendário até o final do ano, e não estão como um doente terminal, que precisa aproveitar cada momento dos últimos dias de vida que lhe restam.

  23. Gostaria de registrar algo nesse momento, primeiro é que não costumo verificar uma equipe de futebol, dentro de esquemas táticos, 4-3-3, 4-4-2, 3-5-2, mesmo porque acho melhor deixar esses detalhes a critério das equipes esportivas especializadas do nosso Estado, e vejam que são muitos os profissionais, que realizam essa função com muito preparo e destaque, como poderemos citar aqui, a equipe da Clube, que é sem sombra de dúvidas a melhor do Estado. Pois bem vejo uma partida e uma equipe pelos valores que ela possui,pelo conhecimento e pela inteligência de seus técnicos. E principalmente, somando-se a esses fatores, vejo a capacidade de evolução ou não de uma equipe dentro de uma competição. Deixei registrado aqui, creio que na semana passada, que Remo e Paysandu, seriam os vencedores dessa semi final, e se degladiariam , para o engrandecimento do futebol paraense em uma final de turno. Citei inclusive como exemplo, a decisão de 1979, como sendo a última, em que os dois adversarios, chegaram em tão grande igualdade de condições, com equipes competitivas e valentes, que contam com a confiança de seus respectivos torcedores. Li agora pouco em uma postagem do torcedor creio até que azulino, Antonio Oliveira, que o Flávio Araújo, poderia não atrapalhar, não levando o Ramon nem no banco, pois o mesmo está fora de forma. Meu caro Antonio Oliveira, o Ramon, chegou faz tempo em Belém, e fisicamente, ele já está em perfeitas condições, faltando-lhe apenas, o já famoso ritimo de jogo, para que ele entre em sua plenitude técnica e fisica. Se você não percebeu, o Ramon ontem nos poucos minutos em que esteve em campo, se apresentou, trocou passes, segurou a bola, e mostrou para quem quis ver que tem qualidades, não para ser reserva no mais querido, e sim ser titular no meio campo remista ao lado do galhardo, Jhonatan e Geronimo, inclusive foi o meio campo que eu escalei aqui em uma postagem anterior, como sendo o melhor que o Remo poderia formar com o atual elenco. Quanto aos elencos das equipes de menor tradição em nosso Estado, digo que são formações regulares, e que quando enfrentam Remo e Paysandu, tendem a crescer, mais pela motivação de enfrentar essas equipes, do que propriamente pelas qualidades técnicas tão decantadas por alguns nessa pagina. A bola da vez agora decantada em prosa e verso, é o Aleilson, atleta do Paragominas . Digo o seguinte, é tão bom jogador, quanto o Branco que o Remo contratou, e se o Branco estivesse no Paragominas, estaria fazendo talvez o mesmo sucesso que faz o atleta Aleilson. Não discuto que, quem o contratar, estará se reforçando com um bom valor, porém tenho minhas duvidas se ele seria importante para o Remo, pois lá já temos, Paulista,Val , Leandro e Branco, que para mim , suprem totalmente,a necessidade de fazer gols do mais querido. E fica a pergunta, será que o mesmo tria marcado nove gols pelo Remo, ou Paysandu?

  24. Não sou enciclopédia meu caro Gil, apenas desde garoto, me acostumei a ver, ler e ouvir,os fatos para mim importantes do nosso futebol e a registra-los , para que os mesmos não se perdessem pelo tempo. É logico, que me detenho muito mais as coisas que dizem respeito ao Clube do Remo, como jogos,que certamente tenho espalhados em meus apetrechos, mais de 800 ou até mais fichas técnicas, de 1971 até os nossos dias, e outras anteriores, que fui buscar através de pesquisas no nosso Centur, e antes eu já as procuravas na nossa antiga Biblioteca Pública. São amistosos,jogos oficiais, paga beijo enfim, além de muitas curiosidades que sempre fiz questão de registrar. Como por exemplo, uma que posso citar aqui, que foi registrada no dia 13/08/1972. Onde em um jogo, em que o Remo era infinitamente superior, o Paysandu venceu, com um golaço do baixinho Alfredinho, pois bem, esse jogo entrou para a história, como jogo das sete bolas na trave, e eu posso te afirmar, que sete bolas na trave nunca foram colocadas na trave do Paysandu, foram sim chutadas e cabeceadas 5 bolas. Mais ficou na memória de muitos, que até estavam presentes, mais se deixaram envolver, pelas eloquências de algus de nossos profissionais da cronica esportiva, que até por uma questão romântica,creio que em virtude dos 7 x 0, que o Paysandu aplicou no Remo, fixaram na mente de grande parte da população esportiva paraense que sete bolas na trave haviam beijado as traves bicolores. que alias teve na figura de seu goleiro Celso uma verdadeira muralha. O que coloco aqui com convicção, foi alvo de pesquisas de minha parte, pois o jogo eu não vi, apenas ouvi pela Rádio Clube. e tinha a impressão, que havia um exagero na colocação dessas sete bolas, e então fui atrás, e como eu tinha anotado, a data desse jogo, para mim foi facil encontrar tudo a respeito, dessa situação no jornal A Provincia do Pará, e até em discurssões com pessoas que teimavam em manter as sete bolas, eu consegui ganhar apostas, porém como não tenho ambição, nunca recebi premios por minhas convicções, mesmo porque quando aposto, faço sempre com a convicção de que vou vencer, e acho covardia, eu me beneficiar daquilo que eu tenho certeza, em contrário a pessoas, que tem apenas uma vaga lembrança do ocorrido, e que como eu, não se dão ao trabalho de pesquisar , de corer atrás da correta informação. Quanto aos dez maiores públicos que você me desafiou a colocar, eu farei o contrário, peço que você os coloque primeiro, pois sei que isso é encontrado na internet, para que eu possa ai sim discordar de alguns, e provar que eles não existiram. e posteriormente postar para você os dez verdadeiros maiores públicos do mangueirão.

  25. Amigo Cláudio, se eu sou dirigente de um dos grandes já teria fechado com a dupla de nome esquisito do Paragominas, o Aleílson só confirma tudo o que já sabemos dele é veloz protege muito bem a bola e finaliza muito bem, só precisa antes de chutar ter que olhar para os lados, pois tem companheiros em melhores condições. Já o Alaílson o cara joga demais, desarma muito bem, tem passe muito bom, sai em velocidade e um ótimo condicionamento, seria dois ótimos investimentos.

    RRamos

  26. Rocildo, tenho lido alguns de seus comentários e tenho notado que você melhorou bastante em seu fanatismo desbragado, já está conseguindo controlá-lo QUASE que totalmente, a ponto até de fazer uso de um sarcasmo muito divertido. E, quanto ao Ramon, é só olhar para ele tentando produzir alguma coisa com a bola nos pés, para ter certeza que ele, não obstante o tempo que já está aqui, ainda não está devidamente condicionado nem física, nem tecnicamente. E isso foi possível perceber ontem, mesmo nos poucos minutos em que ele esteve em campo. Ontem, logo depois que entrou, numa disputa em que nem foi atingido, só sentiu a pressão física do adversário, parou, colocou às mãos na cintura e dobrou o corpo pra frente, ficando assim por alguns significativos instantes. E não falo nem do ritmo porque isso ele só poderá adquirir jogando e pra jogar ele precisa estar bem nos dois aspectos anteriormente ditos. Enfim, em caso de necessidade, o Ramon certamente não poderá ajudar se estiver no banco. E o FA certamente atrapalhará se o colocar no banco, em detrimento de jogadores que mesmo sem ter o mesmo prestígio, dentro de suas respectivas limitações, estão bem físico/tecnicamente e em ritmo de competição, como o Endy por exemplo. Repito, no lugar dele, do FA, além dos outros aspectos do treinamento, eu usaria esta semana, para conceber, treinar e levar no banco uma alternativa tática para o meio de campo, com dois meias de criação. E olha, este segundo meia até poderia ser o Ramon, mas desde que nesta semana, ele entrasse minimamente em forma. Melhor não ter maiores esperanças de que ele admita, conceba e treine esta alternativa, mas, quem sabe… Afinal, ele não barrou o Guerra que vinha jogando nas mesmas condições do Ramon?!

  27. gosto assim, qd os papinhas pensam q estão melhores e vão ao estádio, cantam vitória antes do tempo e saem chorando q foi por “um detalhe” aposto uma cx de gelada q se o REMO vencer o primeiro jogo a “fiel” some no segundo. kkkkkkkkkkkkkkk

  28. É isso aí, Rocildo ! O PSC tem o melhor elenco e o melhor ataque. E é favorito, mesmo sem a vantagem do CR. Só não quero ver o CR reclamar a vaga à final, caso o PSC ganhar por dois resultados iguais ! rsrs

  29. Amigo antonio Oliveira, meu fanatismo é igual ao fanatismo de qualquer um que frequenta o blog. vejo o futebol como algo maravilhoso, fora do normal na questão do lazer e da terapia emocional. Pois somente no estádio de futebol, que eu esqueço por noventa minutos qualquer tipo de problema. Agora ao contrário do que se possa imaginar, eu sou um torcedor coerente, e sei que em uma partida de futebol, se perde,se empata e se vence. Vencer é o objetivo maior, porém se a derrota se fizer presente, ela é de imediato aceita, e não me impede que compartilhe no caso de um RexPa, de um bate papo animado no estacionamento do mangueirão, com amigos bicolores e azulinos, até que se acalme o fluxo de veiculos, e possamos voltar para casa em paz..O que vence faz a festa, o que perde participa da mesma forma, pois afinal na segunda feira a vida volta ao normal. O que pode parecer um fanatismo exagerado, talvez seja na verdade, uma forma exagerada de expor uma ídeia, um ponto de vista, até porque, desde pequeno, busco por tudo que se relaciona ao futebol, principalmente ao Clube que torço, que é o Leão Azul. Agora também sei reconhecer uma superioridade, não questionária, a qualidade do Paysandu de Gino,Rogerinho,Sandro,Lecheva,Magnun,Albertinho,Vanderson, comandados pelo Givanildo, que em 2001, é campeão, metendo 4 x 0 no Remo dentro do baenão, e depois joga para o gasto, empatando na curuzu e levantando o campeonato. Agora hoje não posso dar o mesmo favoritismo, a essa equipe bicolor, que para mim, se equipara ao Remo. Agora, dentro de uma normalidade,é um jogo duro, onde tudo pode acontecer. E que a sorte esteja do lado azulino.

  30. Amigo Rocildo, para encurtar a conversa: (a) de fato, você tem razão, seu fanatismo é igual ao de qualquer fanático que frequenta o blog; (b) sobre o próximo Clássico, nos meus comentários anteriores eu sequer falei em favoritismo do rival, muito pelo contrário.

Deixe uma resposta