Do jeito que o torcedor gosta

Por Gerson Nogueira

O primeiro Re-Pa do campeonato normalmente não decide nada, é quase um amistoso, servindo apenas para atiçar a velha rivalidade. Desta vez, porém, o clássico vem recheado de bons ingredientes. Para começar, pela primeira vez em muito tempo, ambos estão liderando a classificação do turno, o Remo em primeiro e o Paissandu em segundo. Depois, há um bom equilíbrio entre as equipes. Se os bicolores têm o melhor ataque, os remistas têm a defesa menos vazada.

coluna gerson_25-01-2013Há, porém, um aspecto que torna o jogo especialmente interessante: a quantidade de bons jogadores em cena. Os times chegam ao clássico com atacantes de verdade, daqueles que empolgam a torcida e têm potencial de virar ídolos. Rafael Oliveira e João Neto fizeram oito gols, quatro cada, contribuindo para que a ofensiva bicolor tenha a excelente média de 3,3 gols por partida.

Do lado remista, cuja média de gols (1,6) é bem mais modesta, Val Barreto e Fábio Paulista se destacam. Além dos três gols, o carisma e o estilo desassombrado de Barreto cativaram a torcida, que já enxerga até semelhanças com o eterno ídolo Alcino. Exageros à parte, o Remo tem ainda Leandro Cearense e Branco, também em condições de entrar no time titular.

Juntam-se aos seis atacantes citados, outros jogadores de qualidade, como poucas vezes foi possível ver no chamado clássico-rei. Iarley, cuja estreia é um dos atrativos do jogo, foi contratado pelo Paissandu como reforço para a Série B. Apesar dos 36 anos, é um nome acima de qualquer discussão.

Alex Gaibu, outro veterano meio-campista, vem encantando o torcedor alviceleste desde a Série C. E começou o Parazão em alto nível, sendo responsável direto pelo entrosamento mostrado pelo Paissandu. O Paissandu tem ainda o ala Pikachu, unanimidade no futebol paraense atual.

Na meiúca do Remo, Tiago Galhardo é o principal nome. Sozinho na criação, ainda não conseguiu dar ao setor a consistência técnica esperada, mas se destaca pela qualidade individual. Dribla, lança e chuta muito bem.

A reunião de tanta gente que sabe jogar é uma coincidência feliz para o clássico, que ainda terá aplicados e operosos coadjuvantes – Ricardo Capanema, Carlinhos Rech, Vânderson, Zé Antonio, Pablo, Diego Bispo, Berg. Por isso, nem mesmo o dia inapropriado será capaz de atrapalhar a festa.

———————————————————–

Re-Pa no sábado: 31 vezes   

Pesquisa do repórter Jorge Luís Totti ajuda a explicar a estranheza geral com o clássico marcado para amanhã. Em um século de Re-Pa, 712 jogos no total, os rivais só escolheram o sábado para duelar em 31 ocasiões.

No meio da semana – quartas e quintas-feiras – foram realizados 221 clássicos. Ampla vantagem do domingo, o dia universal do futebol, com 460 embates entre Leão e Papão.

———————————————————-

A tragédia osvaldiana

O Botafogo atravessa nova fase de turbulência por obra e graça do técnico Osvaldo Oliveira, mantido pela diretoria depois de uma temporada de resultados insatisfatórios. A torcida não tolera as escolhas do treinador, que não esconde seu menosprezo por atacantes, principalmente os mais carismáticos – como Loco Abreu e Herrera.

Não por acaso, livrou-se de ambos tão logo assumiu o comando, no começo de 2012, e o Botafogo passou a temporada penando com a ausência de homens de área. Tinha um belo meio-campo, com Seedorf à frente, mas sem atacantes. Osvaldo trouxe do Japão seu apadrinhado, Rafael Marques, que logrou a façanha de não marcar um gol sequer – até hoje. Detalhe: fatura R$ 250 mil mensais.

No fim do ano, quando Loco retornou do exílio em Santa Catarina, foi avisado que o clube (leia-se Osvaldinho da Cuíca) não tinha interesse em sua permanência. Apoiado por uma diretoria omissa, o técnico conseguiu que o Botafogo pagasse mais de R$ 1,5 milhão ao jogador para que deixasse o clube!

Anteontem, Loco rompeu o silêncio. Disse que é botafoguense e que só saiu porque o técnico não o queria lá. Os fatos confirmam isso, por mais que o técnico desconverse. Repito o que escrevi aqui quando o artilheiro foi mandado para o Figueirense: um clube não pode virar as costas a um ídolo, nem trocá-lo por um personagem menor e passageiro. Ídolos são para sempre.

Em tempo: ao longo de dois anos com a camisa do Botafogo, Loco marcou 64 gols, contra zero do afilhado de Osvaldo.

———————————————————–

Real desavença espanhola

O jornal espanhol Marca relatou ontem, com exclusividade, uma reunião que significa praticamente o fim da linha para José Mourinho no Real Madri. O presidente do clube, Florentino Pérez, o principal executivo, José Ángel Sánchez, e os líderes do time, Iker Casillas e Sergio Ramos, em torno de uma mesa.

O assunto principal era a premiação do elenco para a temporada e os planos em relação à Champions League. O papo, porém, azedou quando se falou no técnico. Casillas e Ramos foram claros: com ele no banco, a maioria dos craques vai embora.

Durante o dia, a presidência do Real se esmerou em negar o teor da conversa, culpando o Marca por suposta tentativa de desestabilização. O jornal, em seu portal, bancou a informação. E foi além: estampou mensagens de celular que confirmam as críticas ao Special One, que, a essa altura, já deve estar começando a arrumar as malas.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta sexta-feira, 25)

21 comentários em “Do jeito que o torcedor gosta

  1. Gerson, bom dia eu nao sou botafoguense e nem qualquer outro clube e nem simpatizo, eu torço apenas por um clube Payssandú mais isso que acontece com este atacante é o q acontece no futebol mundial o time tem uma base e qdo chega um treinador e sente que aquele cara tem carisma na equipe e lider eles procuram mandar embora para nao atrapalhar seu trabalho e chamam os que ja conhecem e nao vao atrapalhar e a diretoria aceita e nao vai mudar isto ate nas empresas acontece e acabam indo pro fundo pois os que trazem so sabem ganhar dinheiro e dividir com o tecnico no caso do futebol com os empresarios.

  2. Gerson, alguns clubes como Corinthians, São Paulo, Flamengo etc têm ambição por títulos, enquanto que outros conformam-se apenas em serem coadjuvantes. O Botafogo parece ser o típico clube que não gosta de ser campeão, uma vez que mantém em seu elenco jogadores pipoqueiros em detrimento de jogadores de fibra. Vai entender…

  3. Não demora muito o Oswaldinho da Cuíca (By Gerson Nogueira, rs!) vai ser fritado por seus próprios “compadres” igualzinho o que está acontecendo com o Mourinho, ou vocês acham que ele não persegue o kaká?

    Agora que acho que o RE X PA vai ser um grande clássico isso não duvido, anotem ai vai ser um jogo com muitos gols e vibrante que certamente vai ser um dos mais lembrados, espero que mais pela torcida do meu PSC. Em tempo, pelo clima pesado e como sempre ao lado do meu Moleque Doido (ele é pé quente!) o PSC tem muita sorte vamos os dois assistir o clássico em casa, mas torcendo que tudo corra bem no jogo e que Deus acompanhe a todos no retorno aos seus lares, não exagerem na bebida e nem bebam se for dirigir!

    RRamos

  4. O Osvaldo é o tipo de técnico que vive de poucos títulos.Campeão brasileiro em 1999 e mundial em 2000 pelo Corinthias e nunca mais deu certo em lugar algum.Não duvido muito do Papai Joel aparecer pelo fogão ainda neste campeonato carioca.

  5. Gerson, olha aí o cara está não só com a diretoria nas mãos:

    Briga entre técnico e ex-Botafogo:
    Jefferson (foto) defende Oswaldo, e pede para Loco “viver a vida dele” – Site UOL.

    RRamos

    1. Jefferson tirando onda de puxa-saco de treinador, depois que a torcida gritou o nome do Loco ontem em Moça Bonita. Repito: os verdadeiros botafoguenses não aprovam o trabalho do Osvaldinho da Cuíca. Quem aplaude, em geral, torce pelo Flamengo. Perfeitamente compreensível.

  6. Claudio, mais aqui pra nós o OO nao consegue dar um padrao tatico ao clube da estrela solitaria desde quando chegou….rs rs rs

    1. Amigo Cláudio, com a experiência que você deve ter acumulado no indômito Columbia, devia saber que boleiro não entra nesse tipo de discussão, por um motivo bem simples: não se queimar com o técnico. Elementar.

    1. No total, Loco fez 64 gols em dois anos de Botafogo. Não é uma média desprezível. Melhor, por exemplo, do que a do Rafael Marques, indicado pelo Osvaldinho, que até agora não marcou nenhum gol em mais de um ano de casa, amigo Oliveira.

  7. Dirigentes atuais do Botafogo devem ser torcedores de outro clube, só pode!Lembro-me que o Francisco Horta ,ex-dirigente ,presidente aliás do Fluminense , anos depois foi contratado pelo Flamengo para ser gerente de futebol.Quem sabe o Botafogo não contratou algum Vascaíno ou Flamenguista para “dirigir’ o clube, só assim para eu tentar entender o que se passa por lá.

Deixe uma resposta