A vitória da objetividade

PFCXPSC Parazao 2013-Mario Quadros (2)

Por Gerson Nogueira

O Paissandu não desenvolveu tão bem seu jogo quanto na estreia diante do São Francisco. No entanto, mesmo com sérios problemas na transição entre meio-campo e ataque, fez o necessário para vencer: marcou dois gols em contra-ataques e assumiu a liderança do campeonato.

De quebra, saiu de Paragominas com um gol que vai para a galeria dos mais bonitos do campeonato. João Neto chapelou um marcador e aparou de primeira, desviando do goleiro André Luís. Pode não ser craque (e não é), mas fez um gol de craque.

Este gol, surgido aos 24 minutos, desequilibrou as ações na Arena Verde. Até então, predominava o equilíbrio. Os times eram rigorosamente parecidos, até nas falhas de posicionamento do meio-de-campo. Bolas rifadas e lançamentos tortos tornavam o confronto tecnicamente pobre.

O gol de João Neto salvou o primeiro tempo da mesmice e deu ao Paissandu motivos para se tranquilizar em campo. O time teve tempo também para ajustar melhor a postura dos zagueiros, permitindo-se ficar à espera do PFC.

PFCXPSC Parazao 2013-Mario Quadros (8)

Para tornar tudo mais favorável, o time de Fran Costa confundia velocidade com afobação e não acertava as jogadas de ataque. Magno e Bruno Maranhão corriam com a bola ao invés de distribuir lançamentos. Aleílson, o principal atacante, perdia-se nas tentativas de passar pela linha de zagueiros. Diante disso, restava chutar de longe, o que não é o forte da equipe.

No segundo tempo, no afã de empatar, o PFC usou até três atacantes (Aleílson, Adriano Miranda e Buiú) mas produziu poucos ataques. Para piorar, sofreu o segundo gol em novo contra-ataque do Paissandu. A bola chegou a Rafael Oliveira, que, livre de marcação, só tocou para as redes.

Mais por desespero do que inspiração, o time da casa continuou atacando. Uma bola cruzada para a área do Paissandu permitiu que fizesse o gol de honra, com Rubran. Em seguida, Vânderson tentou peitar o árbitro e ganhou, merecidamente, o cartão vermelho. Nem com um jogador a mais, o PFC teve competência para se organizar no ataque. A defesa do Papão, reforçada por Raul e Billy, montou um bloqueio que assegurou a vantagem até o final.

PFCXPSC Parazao 2013-Mario Quadros (14)

———————————————————–

Copinha reproduz velhos erros

bol_qui_170113_11.psAs arbitragens da Copa São Paulo seguem à risca as trapalhadas cometidas pelos apitadores da Série A, beneficiando quase sempre os maiorais. No torneio sub-20, os paulistas têm sido acintosamente beneficiados. Ontem, o São Paulo virou o placar sobre o Santa Cruz graças a um gol irregular. Atacante se atirou sobre o goleiro pernambucano e, na sequência, ainda prendeu as pernas do guardião impedindo que apanhasse a bola.

Erro escandaloso, que ficou por isso mesmo. Pecados e injustiças começam logo no principal torneio nacional com jogadores recém-saídos das divisões de base. Além de tudo, essa preocupação em ajudar os grandes desmente aquele velho papo de que o interesse é na revelação de craques e que o título não é prioridade. Pelo que se vê, vencer a competição continua a ser questão de ordem para os representantes paulistas.

———————————————————–

Primeiro clássico testa ambições

A rodada prossegue hoje com os jogos entre Santa Cruz e São Francisco e Tuna x Remo. Em Cuiarana, dois times se enfrentam em busca de afirmação no campeonato, embora os santarenos venham de resultado interessante contra o Paissandu. Já o Santa Cruz, pelos investimentos feitos, precisa atender as expectativas criadas. O tropeço frente ao Remo tisnou um pouco essa imagem. Em casa, contra um time do mesmo porte, tem as condições favoráveis para mostrar a que veio.

No Mangueirão, tunantes e remistas fazem o primeiro clássico do campeonato. Para a equipe de Samuel Cândido, que estreou bem em Marabá, o embate representa a chance de reconquistar o respeito geral. Já faz tempo que a Tuna não é vista como real candidata ao título. Encarar um adversário tradicional é apenas mais um degrau no esforço remista em busca da conquista do Parazão, prioridade absoluta no clube neste primeiro semestre. A boa impressão deixada por alguns jogadores – Zé Antonio, Edilsinho, Val Barreto e Fábio Paulista – precisa ser confirmada hoje.

———————————————————–

Movimento exclui a dupla Re-Pa

Ronaldo Almeida dirige-se à coluna para lamentar que o futebol paraense, tão exuberante em torcida, tenha sido alijado – mais uma vez – de um grande projeto nacional. O recém-lançado Movimento por Futebol Melhor (nome meio esquisito) inclui, além dos clubes da Série A, equipes de porte médio e conhecidas pela pujança de suas torcidas. Estão lá Fortaleza, Sport, Ceará, Santa Cruz, Vitória e Goiás.

Remo e Paissandu têm o mesmo tamanho e nível, lembra Ronaldo, que é mineiro de nascimento, mas paraense de coração. Lembra, ainda, que a Chevrolet está patrocinando 20 campeonatos regionais (até do Piauí e Tocantins), mas o Pará está fora. Embora, neste último caso, a ausência se deva a uma estratégia misteriosa do presidente da FPF, coronel Antonio Carlos Nunes. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola)

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quinta-feira, 17)

22 comentários em “A vitória da objetividade

  1. Gerson, tirando o lindo gol do joão, o time da curau assusta pela sua ruindade. Não sei se só o Iarley vai resolver. Esse Eduardo ramos não diz nada. Espero que o vandick tenha olhos de jogador pra ver isso. Triste. Totalmente desmotivador. O azulinos são com certeza favoritos no clássico.

  2. Gerson, na verdade penso que não foram alijados, apenas não se interessaram ou são desinformados sobre tal.
    Mais uma vez percebemos a qualidade dos nossos dirigentes.

  3. Sinceramente, penso que o paysandu tem que melhorar, e muito.. PFC conseguiu ser pior no jogo de ontem.. O Paysandu, sobrevive de 3 jogadores: João Neto, Alex Gaibú e Yago, que jogam pelo time e pelo técnico…É como disse a Coluna, hoje, não fosse pelo belo gol do João Neto, não teríamos muito o que comentar no 1º tempo.. 2 jogos e o Lecheva fez as mesmas modificações do último jogo(e só não fez as 3 iguais, ontem, pelo Vanderson ter sido expulso).. Parece que os mesmos erros de domingo, apareceram ontem, de novo, e com os mesmos jogadores… Te dizer..

    – Sinceramente, mas a impressão que passa e pela entrevista do Iarley, ontem, o Paysandu vem em 2013, com os seguintes objetivos: 1- Participar, apenas, do Parazão 2013.. se der p/ beliscar… 2 – Montar um time, pra permanecer na série B em 2014, ou seja, pra não cair… É isso.

    É a minha opinião.

  4. Remo, escalado: Fabiano, Zé Antônio, Carlinho Rech e Henrique. Endy, Nata, Tony, Edilsinho e Berg. Branco e Fábio Paulista

    Banco de reservas do Remo: Nailson, Maurão, Diego Ratinho, Biro, Thiago Galhardo, Leandro Cearense e Val Barreto.

    Meia Josy foi sacado até do banco.. Sentiu demais o jogo passado, precisa ser mais preparado

    Taí, amigo Rodrigo..

  5. Gerson, a impressão que tive do jogo de ontem à noite é muito próxima da imagem que você estampa na sua Coluna. Valendo destaque a dificuldade de arrematar dos atletas do Paragominas, inclusive de curta distância. Quando o jogo ainda estava um a zero para o rival, um atacante do Jacaré esteve livre, cara a cara, na pequena área ou muito próximo, com o Zé Carlos, e conseguiu bater meio que de calcanhar na orelha da bola, deixando-a fácil para o goleiro. Dentre outros, este lance ajudou a consolidar o resultado, o qual, aliás, foi muito favorável, ao Leão.

    De todos os interioranos, até agora, o melhor que achei foi o São Francisco da segunda etapa do jogo contra o rival.

    Sore a Copinha, vou assistir com redobrada atenção o lance do segundo gol do São Paulo para ver se identifico a irregularidade que você refere, eis que nas vezes que assisti ontem não a vi, não. Pelo menos não vi o jogador do time paulista se atirando contra o goleiro. Achei que na jogada pelo alto o goleiro subiu meio cego e deixou a bola escorregar-lhe antes de colidir com o adversário; e que os três caíram meio que enroscados, o goleiro, o atacante e a bola, e esta, por um toque que talvez tenha sido do próprio goleiro, acabou indo pro fundo das redes. Lance um tanto confuso na sua conclusão, mas que me pareceu que o árbitro acertou. Foi o que pensei ter visto. Bom, mas deixa eu procurar o VT para reapreciar.

    Quanto ao clássico, é lembrar que a Tuna é sempre muito complicada para o Remo. Mas, o time azulino precisa se impor. Afinal, já basta a renda que, de direito, a Águia vai levar na totalidade. A íntegra dos pontos, O Leão bem que poderia abiscoitar. Resta torcer.

  6. Claúdio, a Tuna tem histórico de endurecer com o Remo e afrouxar contra o PSC. Pelo retrospecto e pelom que vi do jogo contra o Cuiagrana, não acho que o Remo terá facilidade. Vamos ver. O resultado de ontem, mais justos, seria o empate.

  7. Realmente ontem o Paysandu enfrentou mais dificuldades do que no domingo. Talvez pelo fato do Jacaré vir de uma boa vitória em Cametá e estar estreando na divisao principal diante de sua torcida.

    O Paysandu ressente-se de uma melhor marcação na entrada da área. Domingo, nos dois gols, os avantes santarenos tiveram liberdade de chute. O mesmo aconteceu ontem. Onde está o Capanema? Por que o Billy esquenta o banco se da posição é o que melhor marca e sai jogando? Talvez o Esdras, como o Eduardo e o Iarley, ainda não estivesse preparado para a titularidade.

    Falta muita coisa ao Paysandu, como falta a muitos times que estão começando a temporada. Se alguém souber de um que esteja a 100%, por favor, mostre-me. Não há porque se desesperar.

    Acho que o time de hobbits do São Francisco vai aprontar lá dentro de Cuiarana.

  8. Acácio acho que o Capanema estava entregue ao DM, parece que volta no domingo e acredito que Capanema e Billy deveriam ser a dupla de volantes, precisamos urgente de um atacante, ontem RO foi completamente atordoado em campo, até no momento que fez o gol….

    sem falar na lateral esquerda que precisa de um especialista e um zagueiro que mais calmo (melhor)…

    Falta muito, mas o time tem qualidades.

    Concordo com o Cláudio quando fala que Picachú, Gaibú e J.Neto estão jogando muito.

  9. Acácio, perguntaste: “Por que o Billy esquenta o banco se da posição é o que melhor marca e sai jogando?”

    Resposta: Simplesmente porque o Lecheva é um técnico ruim.

  10. Sinceramente, não vi irregularidade assim tão acintosa no segundo gol do São Paulo. Vou olhar à exaustão esse lance na net, mas pelo que vi na imagem da tv, observei erro do goleiro.

  11. A grande palhaçada da semana, e a troca de datas do Re x Pa, que sai do domingo 27/01, para o sabado 26/01 , e essa troca se dá por causa do carnaval. Agora eu quero que me digam, onde é que existe carnaval em Belém do Pará ? Agora a pouco na Clube, o Valdo Souza responsabilizava também a diretória do Remo, pela falta de organização na venda de ingressos para o jogo de hoje. Discordo plenamente, pois se a Tuna não fez acordo com o Remo, que daria a ela, cinquenta mil reais livres de despesas da renda do jogo, e ainda por cima segundo o Rui Guimarães, um funesto diretor da Tuna, alegou não confiar na diretoria do Remo, por isso não fechou acordo. Então se a equipe dos portugas, não quer acordo, como então o Remo iria dispor toda a sua estrutura, para os lusos ganharem dinheiro a custa do trabalho e da torcida azulina. A poucos dias, se debateu sobre a simpátia que desfruta a Tuna no seio da torcida paraense. Se depender de mim essa simpátia não existe, pois todas as vezes que essa Tuna enfrenta o Remo, os diretores cruzmaltinos, botam sempre alguma coisa para atrapalhar. Agora quanto a essa opinião de que a Tuna dentro de campo,é um entrave na vida do mais querido eu discordo, e somente para se ter uma ideia jogamos contra Tuna 457 vezes, ganhamos 205 e perdemos 129, o resto empatamos ou seja, ganhamos mais ou menos quarenta e cinco por cento dos jogos. Já o Paisandu, enfrentou a Tuna 308 vezes, ganhou 131 vezes e perdeu 109, o restante dos jogos terminaram empatados. Ou seja o Paisandu ganhou mais ou menos quarenta e três por cento dos jogos. Portanto essa logica de que a Tuna sempre atrapalha o mais querido matematicamente cai por terra. Na verdade ela é a equipe que na história do futebol paraense, mais faz frente tanto a Remo quanto a Paisandu.

  12. Cláudio, viste que o Fran Costa só colocou o arisco Buiú quando faltavam apenas 15 min para o fim do 2o tempo ?! Preferiu deixar o inoperante “Não-sei-o-quê-“-Love no ataque do PFC. E que “delegado” e “fominha” o Aleílson, hein ?! Para a sorte do Papão, houve essas no jogo de ontem. O resultado de ontem apenas encobriu a sujeira, para o Papão. O time é limitado e mal armado tecnicamente.

  13. Yago, Diego, Gaibu e talvez o Esdras, o resto não está a altura do PSC hoje. O Eduardo Ramos ainda vai dar caldo, agora, o Lecheva já está enchendo o saco mantendo o Thiago Costa e Djalma no time, quando for dispesado, por estar míope, vai ficar chorando.

  14. Também minha paciência acabou com a lerdeza do Lecheva, acho que a insistência com Thiago Costa! Espero que a diretoria já esteja a procura de um técnico com mais experiência para o resto do Parazão e se tudo der certo para a série B!

Deixe uma resposta