A hora da verdade para Lula e o PT

Por Ricardo Kotscho

“Por que o bloguista inexplicavelmente não conta nada sobre Rosemary e o possível envolvimento do ex-presidente Lula em algumas operações ilícitas? Aonde está a sua imparcialidade de jornalista?”, pergunta o leitor Fernando Aleador, em comentário enviado às 04h57 desta sexta-feira.

Tem toda razão o leitor.

Demorei para escrever e dar esta resposta porque, para mim, estes últimos foram os dias mais difíceis da minha já longa carreira, posto que os fatos envolvem não só velhos amigos meus, como é do conhecimento público, mas um projeto político ao qual dediquei boa parte da minha vida. Simplesmente, não sabia mais o que dizer. Ao mesmo tempo, não podia brigar com os fatos nem aderir à guerra de extermínio de reputações e de desmonte da imagem do ex-presidente Lula e do PT que está em curso nos últimos meses.

A propósito, escrevi no começo de novembro um texto que se mostrou premonitório sob o título “O alvo agora é Lula na guerra sem fim”, quando o STF consumou a condenação dos ex-dirigentes do PT José Dirceu, José Genoíno e Delúbio Soares. De uma hora para outra, a começar pelo julgamento do mensalão, até chegar às revelações da Operação Porto Seguro, o que era um projeto vitorioso de resgate da cidadania reconhecido em todo o mundo levou um tiro na testa e foi jogado na sarjeta das iniquidades.

“O que me intriga é saber por que agora, por que assim e por que tamanha insistência. É claro que o esforço para acabar com a corrupção é legítimo e louvável, mas não terminaram recentemente de sangrar o PT até a entrada do necrotério? Quem estaria sedento por mais?”, pergunta-se a colunista Barbara Gancia, na edição de hoje da Folha, e são exatamente estas as respostas que venho procurando para entender o que está acontecendo.

Talvez elas estejam na página A13 do mesmo jornal, em que se lê: “FHC acusa Lula de confundir interesses públicos e privados”. Em discurso num evento promovido pelo PSDB no Jóquei Clube de São Paulo, na quinta-feira, o ex-presidente pontificou, mesmo correndo o risco de falar de corda em casa de enforcado:

“Uma coisa é o governo, a coisa pública, outra coisa é a família. A confusão entre seu interesse de família ou seu interesse pessoal com o interesse público leva à corrupção e é o cupim da democracia”. Sem ter o que propor ao eleitorado, após sofrer três derrotas consecutivas nas eleições presidenciais, e perder até mesmo em São Paulo na última disputa municipal, o PSDB e seus alíados na mídia e em outras instituições nacionais agora partem para o vale-tudo na tentativa desesperada de eliminar por outros meios o adversário que não conseguem vencer nas urnas.

Nada disso, porém, exime o ex-presidente Lula e o PT de virem a público para dar explicações à sociedade porque não dá mais para fazer de conta que nada está acontecendo e tudo se resume a uma luta política, que é só dar tempo ao tempo.

A bonita história do partido, que foi fundamental na redemocratização do país, e a dos milhões de militantes que ajudaram a levar o PT ao poder merecem que seus líderes venham a público, não só para responder a FHC e às denúncias sobre a Operação Porto Seguro publicadas diariamente na imprensa, mas para reconhecer os erros cometidos e devolver a esperança a quem acreditou em seu projeto político original, baseado na ética e na igualdade de oportunidades para todos.

Chegou a hora da verdade para Lula e o PT. É preciso ter a grandeza de vir a público para tratar francamente tanto do caso do mensalão como do esquema de corrupção denunciado pela Operação Porto Seguro, a partir do escritório da Presidência da República em São Paulo, pois não podemos eternamente apenas culpar os adversários pelos males que nos afligem. Isso não resolve.

Mais do que tudo, é urgente apontar novos caminhos para o futuro, algo que a oposição não consegue, até porque não há alternativas ao PT no horizonte partidário, para uma juventude que começa a desacreditar da política e precisa de referências, como eu e minha geração tivemos, na época da luta contra a ditadura.

Conquistamos a democracia e agora precisamos todos zelar por ela.

28 comentários em “A hora da verdade para Lula e o PT

  1. Caiu a máscara do nove dedos. Ninguém, nem os mais ferrenhos defensores do PT, pode ignorar evidências tão claras que há tantos anos vêm sendo reveladas. Já foi desfeita há muito a imagem de imaculado defensor dos pobres que o ex-presidente ostentava. Rico, com patrimônio inexplicável de mais de um milhão de reais, ele simplesmente manda dizer pela assessoria que não comenta os escândalos, com a maior cara-de-pau do mundo, como se não fosse com ele. Todas as pessoas que o rodeiam aparecem, cedo ou tarde, envoltas em alguma trama escabrosa de corrupção, das quais ele milagrosamente sempre escapa ileso. Claro, é melhor passar a imagem de bobão, ingênuo que sempre age de boa fé, e é “apunhalado pelas costas”, a esta altura mais furadas do que tabua de pirulito. Não é diferente em nada de Paulo Maluf, a quem cumprimentou efusivamente, meses atrás, agradecendo o apoio à campanha para a prefeitura paulista. O pretenso pai dos pobres participou dos maiores esquemas de corrupção já formados no país e espera-se que não escapa impune de mais este…

  2. Uma vez escrevi neste espaço que o ex-presidente Lula teve toda a chance de mudar a história desse país tornando-o não apenas mais justo para seus cidadãos como também um país onde todos pudessem confiar na justiça e em seus políticos, onde todos pudessem ter esperança em diminuir a corrupção a níveis aceitáveis e onde os políticos corruptos fossem realmente punidos com privação de sua liberdade. Mas ele preferiu o caminho mais fácil do populismo barato como outros governantes também o fizeram, deixando de investir em educação e em uma justiça mais inflexível, o resultado é aquele que todos conhecemos, com o ex-presidente fugindo de de perguntas tão óbvias quanto embaraçosas para ele em relação a sua incestuosa ligação com os principais atores do mensalão. É triste o fim de um ícone da recente república desse país, um político que me fez ir as ruas bradar contra Collor e sua república das Alagoas, que me fez sair de Belém ainda estudante para ser fiscal pelo PT em Vigia nas eleições para o governo do estado e que me fez acreditar que podíamos enfim mudar o destino de nosso povo nortista tão sofrido. Eu me pergunto, será que para ele valeu apena diluir tantos sonhos em troca de poder?

  3. Análise resignada a de Kotscho. A margem de manobra do ex-presidente nos bastidores, o favorecimento a certos grupos alinhados com um partido que há muito abandonou bandeiras realmente populares e trabalhistas, bem como seu alinhamento ao que havia e ao que há de mais asqueroso em diversos setores de nossa sociedade (CBF, Ricardo Teixeira, Andres Sanchez, Paulo Maluf, Sarney e quejandos) deixam bastante claro que o Mensalão não foi um mero factóide; muito embora se discuta o clamor da mídia conservadora para com a apuração do mesmo e a condenação dos envolvidos, e sua postura tímida e condescendente quando se trata do envolvimento de contrários que contam com sua simpatia.

  4. Foi so dizer que o Lula iria concorrer ao governo de São Paulo nas proximas eleicoes, pronto, foi o suficiente para o FHC e o PSDB ficarem em pavorosas. Agora quem cometeu deslize que pague pelos seus erros, seja la quem for e doa a quem doer.

  5. Esqueçam FHC que este não pletéia mais nada na política. A preocupação agora é a turbulência que já se instaura com os 8 anos de atrasos e mascaramentos que tudo era lindo e maravilhoso e que agora começa a despencar.

  6. Caro Gerson,

    Acho que vc deveria republicar o post com a atualização feita pelo próprio Kotscho ainda ontem. O entendimento fica melhor.

    1. Ele faz referência logo no primeiro trecho do artigo à crítica que recebeu. Isto é suficiente para entender a razão do texto.

  7. Caro Gerson, tentando ser apartidário – nunca acreditei muito em qualquer tipo de extremismo, mas dessa vez não dá mais para seguir com aquela máxima do “não sei de nada…”. Entretanto, se Dilma for candidata à reeleição, pela primeira vez votarei no PT.
    Viva a democracia, entretanto, mais que isso, viva a política em prol da humanidade – que é o que deveria ser! Estamos cansados de sentirmo-nos elegendo aqueles que só faltam nos chamar de idiotas na cara.

  8. Caro Gerson,

    Só fiz o comentario porque o proprio kotscho, na atualização, reconhece que esqueceu de acrescentar algo no post original. No mais, acho que eh um post digno de Jornalistas com J maiúsculo, como eh o seu caso também.
    Um abraço.

    1. É verdade, amigo Carlos. O grande Kotscho sempre honrando e dignificando a classe. Belíssimo texto, principalmente pelas verdades dolorosas ali contidas.

  9. Lembrando em 2002 o assinato daquele prefeito de Campinas Celso Daniel, que está em evidência atual com possivel envovimento de pessoas ligadas ditretamente ao LULA, comecei ja naquele tempo a desconfiar desse possivel envolvimento do LULA ou de pessoas ligadas a ele. E a minha desconfiança tinha muitos motivos como a tranquilidade do LULA ao falar no caso na época e o pedido,dele meio sem vontade, de pedir todas as providências para a Polícia Federal desvendar o caso. Agora a casa ainda não caiu mas é uma questão de tempo.

  10. Acho que já está até passando da hora… Principalmente para a mídia petista.

    Mas, uma coisa é certa, a Dilma parece que pretende ao menos aproximar as coisas dos seus devidos lugares. Ela não fica botando panos quentes e nem fica dizendo que assina “cheque em branco” pra ninguém, tampouco que este ou aquele devem ser tratados de maneira diferenciada dos outros brasileiros.

Deixe uma resposta