As estripulias do secretário-geral da Fifa

Por Juca Kfouri

Jérôme Valcke, o secretário geral da Fifa que agora admite ter escrito num e-mail que o Qatar “comprou” a Copa do Mundo de 2022, é o mesmo que, por litigância de má fé, levou a Fifa a pagar na Justiça uma multa de mais de 100 milhões de reais. Ele, que era diretor de marketing da Fifa, mentiu no tribunal suíço que apurava a lambança que foi feita para tirar a Mastercard como patrocinadora da entidade e trocá-la pela Visa. Então, em 2006, Valcke foi demitido. Para voltar, em seguida, num cargo muito mais importante.

E por quê? Porque ele sabe de coisas que até Zeus duvida.

Ele é também o mesmo que ontem, em entrevista na Fifa, garantiu que Ricardo Teixeira, de quem é íntimo a ponto de passarem férias juntos nas casas do chefão da CBF em Miami e no Rio, “está limpo”. E o mesmo que agora diz que seu e-mail para Jack Warner, da Concacaf, era “privado”.

Não é uma gracinha?

2 comentários em “As estripulias do secretário-geral da Fifa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s