CBF vai unificar títulos nacionais de 59 a 70

O Rei se prepara para assumir o trono também no Brasileirão. Pelé vai virar, ainda este mês, o “Senhor do Campeonato Brasileiro”. O anúncio será feito pela CBF, que vai oficializar a unificação dos títulos brasileiros de 1959 a 1970. Um velho pedido de Santos, Palmeiras, Fluminense, Bahia, Botafogo e Cruzeiro. Pelé será a grande atração da cerimônia que vai ser promovida pela entidade. Com a mudança de critérios, o Santos vai passar a ter mais seis títulos nacionais e Pelé vai superar Zinho e Andrade, que com cinco conquistas atualmente são os maiores vencedores da competição. Além do Rei, Coutinho, o volante Lima e o meia Mengálvio participaram das seis campanhas de 1961, 1962, 1963, 1964, 1965 e 1968.

O Peixe vai ser o maior beneficiado com a mudança da CBF. O Santos passará a ser o maior vencedor nacional com oito conquistas. O Palmeiras, que vai ter mais quatro títulos incorporados na história, também será octacampeão. Os dois rivais paulistas vão superar São Paulo e Flamengo, que atualmente são os maiores vencedores, com seis títulos cada.

O Bahia vai passar a ser considerado oficialmente o primeiro campeão brasileiro, mérito que atualmente pertence ao Atlético-MG, vencedor em 1971. Cruzeiro, Botafogo e Fluminense também vão passar a ter mais um título na coleção. Os títulos que a CBF vai passar a contar na lista de campeões nacionais:

Taça Brasil
1959 – Bahia
1960 – Palmeiras
1961 – Santos
1962 – Santos
1963 – Santos
1964 – Santos
1965 – Santos
1966 – Cruzeiro
1967 – Palmeiras
1968 – Botafogo

Torneio Roberto Gomes Pedrosa / Taça de Prata
1967 – Palmeiras
1968 – Santos
1969 – Palmeiras
1970 – Fluminense

(Com informações do bola Primeira Mão)

17 comentários em “CBF vai unificar títulos nacionais de 59 a 70

  1. JUSTO ,JUSTISSIMO… A NOPMENCLATURA ERA DIFERENTE ,MAS OS TITULOS TEM O MEMSO VALOR DOS DE A PARTIR DE 1970.tBM A COPA DO MUNDO SE CHAAVA JULES RIMET E O BRASIL TINHA TRES TITULOS.DEPOS ENTÃO QEUER IZER QUE O BRASIL NÃO TINHA MAIS NENHIMA COPA,SOMENTE AS DE 94E 2002/JUSTO…A ARGENTINA POR EXEMPLO É CONSIDERADA BI E SE FOSSE PELO ENTENDIMETO DA C B F ENTÃO A SELEÇÃO PORTENHA NÃO TERIA NENHUM TITULO?LEDO ENGANO AGORA QUERO VER AS DISCUSSÕES ,MAS A JUSTIÇA ESTÁ FEITA…BOTAFOGO TEM DPOIS TITULOS,PALMEIRAS TEM OITP MAIOR CMAPEÃO JUNTO COM O SANTOS DE PELÉ,E…FALAR DE PELÉ É COVARDIA…PORRRRRA O CARA ERA UM MONSTRO…EU VI ELE JOGAR….CARACA…MARADONA ,ZICO E OS RONALDOS SEQUER CHEGAM PERTO…

    1. A TAÇA BRASIL ERA DISPUTADA POR POUCOS TIMES E PRO SANTOS SER CAMPEÃO BASTAVA DISPUTAR APENAS 4 JOGOS CONTRA APENAS 2 TIMES

      VC ACHA QUE ESSA TAÇA BRASIL DE 4 JOGOS PODE SER COMPARADO A UM BRASILEIRÃO ATUAL ????????

      1. Respeito a opinião, caro Sérgio, mas você acha justo que a geração de Pelé e Ademir da Guia nunca tenha sido reconhecida como campeã brasileira, porque na época simplesmente não havia um campeonato brasileiro nos moldes atuais? Por outro lado, a alegação quanto ao número reduzido de jogos não pode servir para desqualificar as contas. Não esqueça que as primeiras Copas do Mundo realizadas na América do Sul praticamente não contaram com a participação das fortes seleções europeias. Foi assim em 30 e 50, por exemplo, ambas vencidas pelo Uruguai. Nem por isso se questiona o valor dessas conquistas. De minha parte, considero historicamente justa a unificação desses títulos – independentemente do fato de o meu Botafogo ser beneficiado pela medida.

  2. EM TODO PAIS SÉRIO É ASSIM SÓ NO BRASIL O CAMPEÃO COMEÇOU EM 1970 E ANTES?QUER DIZER QUE TITULOS DISPUTADOS A FERRO ,NA FORÇA E NA BOLA COM HABILIDADES FORA DO COMUM COM JOGADORES COMO EDU,RIVELINO,DIRCEU,GERSON,ADO,FELIX,CARLOS ALBERTO …. E OUTROS NÃO VELEU?SEM FALAR EM PELÉ QUE FAZIA TODO DOMINGO UM GOLAÇO NO MINIMO/SERIA COMO MUDAR O NOME DO CAMPEONATO PARAENSE E A PARTIR DE ENTÃO OS TITULOS DO PAPÃO ,DA DESBOTADA-AZULETE E DO TUNA NÃO VALESSEM…CERTO?

  3. Justiça feita. Agora tem time local que vai querer que seja reconhecida até os torneios caça níqueis em Suriname de 1914 a 1970. Te contar.

  4. Carlos Berlli está certo. daqui a pouco vão querer que a Copa Ferreirinha seja reconhecida nacionalmente. E com todo o mundo puxando a brasa pra sua sardinha podemos avaliar que o ranking da CBF é verdadeiramente um pandemônio.
    Até parece sensato usar a Taça Brasil como primeiro modelo de campeonato brasileiro, mas usar o Rio/São Paulo é forçar a barra em demasia para beneficiar alguns clubes. Fora, Ricardo!

  5. Calma Jorge Paz, eu não vou parar de comentar no blog…rs…rs…rs. Quanto ao seu comentário, gostaria de esclarecer que o Torneio Roberto Gomes Pedrosa não era um Rio-São Paulo, pelo contrário, ele foi o embrião do atual Campeonato brasileiro com as participações de Cruzeiro, Atlético MG, Internacional, Grêmio e Bahia. E o Santos é grande Campeão!

    1. Ricardo os times Paulistas e Cariocas nao disputavam o campeonato inteiro, ja entravam na disputa nas semifinais.

      Nunca o Robertão vai ter o peso de um Brasileirao, essa CBF…

    2. Sim amigo pode ate ser isso o que você descreve, mais cadê o resto dos clubes? Então para mim, não e parâmentro para unificar esse tipo de campeonato, que contava com apenas uma mei-duzia de clubes grandes de nosso País.
      A mesma coisa e da enfase, ao mundial conquistado pelo CU-rinthians, um torneiozinho michuruca, onde contou com o Real-Madrid e, Machester United, em faze de pre-temporada. Pra mim o titulo mundial, tem de ser aquele, conquistando a Libertadores da America e, consequentemente o mundial que hoje já mudou de formato, mais e bem melhor doque, o qual o time de parque São Jorge conquistou em 2000. Te dizer!!!!

      Fora Teixeira “Rei da Safadesa”…….

  6. Gerson mais uma cagada da CBF, nunca uma taça Brasil vai ter o mesmo peso de um Brasileirao

    Por exemplo os títulos da Taça Brasil do Santos, o time pauliksta enfrentava somente 2 times para ser campeão, foi assim em 1962 onde só venceu o Sport e Botafogo pois ja entrava nas semi finais, foi assim tb em 1963 onde só enfrentou 2 times e por aí vai

    O Robertão os times Paulistas e Cariocas só entravam tb nas semifinais

    Te dizer Gerson

  7. Favor não esquecer do único time do mundo a ser bicampeão mundial – 58 e 62 parabéns Botafogo.

    1. Ei sofredor zebrado! Muita calma nessa hora, seu timezinho no máximo conquista um carioquinha de merda e, se acha o compeão mundial. Te contar, quanto sofrimento…

      Por isso e, que chamam vocês de estrela solitária, porque so tem apenas uma coisa para se glóriar e nada mais que isso…

  8. De fato, a unificação serve para aaumentar a estima de botafoguenses, santistas e palmeirenses com suas idiossicrasias saudosistas. É fato que antes do Campeonato Brasileiro de 1971, poucas equipes disputavam os torneios de futebol que tinham mais um caráter regional, alguns restritos ao Rio de Janeiro e São Paulo, daí não se estranhar as hegemonias de Santos e Botafogo, celerios de craques à época do bom futebol romântico. Assim como a Copa de 70 marcou o fim dessa era, o campeonato brasileikro de 1971 também. Um exemplo é o nosso futebol. da era romântica até os anos 70, Remo e PSC formaram boas equipes, mais não saíam de Belém, nem eram reconhecidos nacionalmente. Faziam amistosos com as grandes equipes do Rio e São Paulo e se contentavam com isso, reforçados por algumas efemérides. A democratização do futebol brasileiro permitida pela ditadura militar, por mais paradoxal que isso possa representar (mas, o que seria do processo histórico sem paradoxos e contradições?), permitiu a Remo, PSC, Goías, Sport Recife, Santa Cruz, Náutico, Ceará, e muitos outros serem reconhecidos e terem lugar ao sol. É verdade que os campeonatos passaram a ser grandiosos e longos, mas a conquista de um campeonatom passou a ser muito mais trabalhosa, principalmente entre 1971 e 1979, quando não havia divisões. Foi o período de ouro do Clube do Remo com vitórias sobre Flamengo, Portuguesa, Corínthians, Fluminense, Cruzeiro, principalmente no Baenão. De qualquer forma, acho que os títulos antes de 71 devem ser considerados sim, pois representam a tradição do futebol daquele momento, ainda que de forma elitista e menos meritocrática. Nem que seja para alegrar os saudosos torcedores do Fogão. Rs. O problema é que tem torcedor de time centenário que é pífio de alegria antes e depois de 70. Diria que são torcedores quase “sem ter nada” a comemorar…

  9. Para todos. Unificar os campeões nacionais não significa comparar formas de disputa, pois até pouco tempo os ditos campeonatos brasileiros pós 70, tiveram várias formas de disputa e a comparação não cola, pois o título do Atlético Mineiro de 1971 nunca poderia ser comparado com o do Cruzeiro de 2003, devido as diferentes formas de disputa. O sistema de pontos corridos com turno e returno( com 38 jogos para cada participante) somente foi implantado em 2003. Unificar é reconhecer um processo histórico. Cara Andréia, desculpe-me, mas esse argumento não cola.

    1. Na mosca, camarada. De fato, quando se observa fórmulas de disputa e regulamento não há como comparar os títulos do passado aos atuais. Por outro lado, é indiscutível que campeonatos da era de ouro eram infinitamente mais difíceis pela abundância de craques em atividade. Tem neguinho titular de clube de ponta hoje que não arranjaria vaga nem como gandula naqueles timaços dos anos 60/70.

Deixe uma resposta