17 comentários em “A arte de Atorres

  1. Amigo dileto, desses que sabem que 2 e 2 (juntos) são 22 e que 2 + 2 é igual a quatro, diz-se inflexivelmente contrário à venda do Baenão, mas discorda das chacotas com relação a área onde o AK pretende construir o fututo estádio. Alertou-me sôbre o projeto Metropole e a ligação dessa área com a Alça Viária e os benefícios que poderão advir à area. Sem conhecer o. projeto e nunca ter visitado a àrea e não entender nada de lixão, não faço comentários, prefiro ouvir ou ler quem deles entende.

  2. \esse estádio lá no Lixão vai servir para o Ananindeua também.Aliás pro Ananindeua vai ficar melhor, muito mais perto. Agora peegunto QUANDO?

  3. Não vão construir estádio nenhum, vão comprar o terreno, estourar o resto do dinheiro que sobrar, e depois irão fazer novas dívidas, após isso, vão vender a sede de Názare, simplesmente, porque não há gestão no Clube do Remo. O maior patrimônio do time não é o estádio, não foi a sede campreste e não é a sede social, mas sim, os torcedores, que sempre foram maltratados, mas mesmo, assim, permaneceram fiéis, entretanto, acredito, que o o infiltrado do Paissandu, o Amaro, deu um dos maiores passos rumo a extinção do Clube do REmo, um presidente que tomba literalmente o símbolo do clube, um presidente que não apresenta nenhuma outra proposta que não seja a venda de bens do clube, demonstra o quê?

    1. Este é o maior risco que envolve essa transação, embora muitos no Remo não queiram admitir. Clubes de massa não podem se dar ao luxo de uma aventura tão radical. Se fosse a própria Tuna ou alguma agremiação emergente, vá lá. Mas Remo (ou Paissandu) não têm esse direito. Como a operação toda foi muito bem urdida por AK e seus aliados, o clube deve mesmo perder o estádio. E, como lembra o Everaldo, vai em seguida perder sede e ginásio também, até porque não haverá nenhum obstáculo ou argumento capaz de enfrentar “projetos” dessa natureza. O mais constrangedor é o posicionamento de ex-dirigentes do clube, querendo tirar o seu naco da transação. Tem um cabra que (incrível!) jura que tem direito a receber R$ 3 milhões como reembolso. E ainda há quem acredite que a iniciativa é saneadora. Te dizer…

  4. Tratar da localização da “ampla e moderna arena” do remo no lixão, vale como brincadeira. Mas, é a questão menor. A Lei 12.305, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos veda a utilização de lixões em todo o Brasil. Portanto, ali não existira lixão em breve. A Prefeitura terá que eliminá-lo.
    O ponto central da discussão está no que diz o Ronaldo Passarinho sobre a operação de venda do Baenão.
    Mas, eu não tenho nada com isso!.

    1. Meu caro Vicente a lei 12.305 ela criou o aterro sanitário que em outras palavras é LIXÃO mesmo, só mudou de nome

  5. TAVERNARD: Não é preciso nem conhecer a área, nem o projeto, nada. Antes de tudo temos que analisar a forma como foi levada à venda o Baenão. Muitos acharam ótimo, trocar o Baenão por uma arena para 24,500 torcedores, mais um centro de treinamento completo, inclusive com piscina. Esse estádio poderia ser até em Castanhal, não importaria até eu estaria calado. Acontece que esse projeto foi feito para enganar os conselheiros, pois nada disso vai ser feito, inclusive na última entrevista do Amaro, éle já ficaria feliz se fosse feito apenas o centro de treinamento. Os conselheiros foram tolos em aprovar a venda, pois não calcularam que o dinheiro, na realidade, não dá nem para o centro de treinamento, quanto mais uma arena, tanto que Amaro já dinminuiu de 24,500 para 15,ooo. E o terreno, para Arena ou CT vai ser pago em 10 meses. Outra coisa, o governo está dando, mais de 1 milhão por ano, o que daria para ir pagando todos os acordos, mas que Amaro preferiu não pagar, para forçar a justiça a leiloar o Baenão. Aliás essa tramóia iniciou desde RR, com a venda sa séde social. Está claro e evidente. Agora eu quero ver se a juíza só vai entregar o Baenão depois da Arena e o CT prontos, de acordo com o projeto. Se assim não for, ela estarás fazendo parte dessa negociata. E mais, se você consultar outra construtoras, com certeza darão mais de 40 milhões, embora o seu preço seja de 54 milhões. Por que vender por 33 milhões?

  6. Bom, então, se os Conselheiros foram enganados pelo projeto do AK, se foram tolos em aprovar a alienação do estádio, se não calcularam direito (e tudo isso apesar de improvável, não é impossível), eis que hoje, à noite, será o momento de reverter tudo isso. De aguardar!

  7. a Arena vale 54 milhões e está sendo vendida por 33 milhões.

    Se isso fosse verdade mesmo já teria havido propostas de outras empresas, ou até mesmo investidores interessados nesse negócio da china.
    sei não.

  8. Sabe, penso que quanto a aquisição de um terreno em Aurá, próximo a um lixão; a abrupta redução da capacidade da arena de 24.500 para 15.000 torcedores e mais a autodepredação de patrimônio (literalmente!); com muito exercício de imaginação e inocência dá até pra entender, em virtude de que por piores que sejam sempre foram apresentados argumentos para tais atos desastrosos.

    Mas, se o clube do Remo está tão desesperado por dinhero em função de dívidas que existem há decadas, por que então não extendeu o processo de negociação da venda do estádio por somente mais um mês, consultar outras empresas interessadas e fazer um negócio que renderia pelo menos uns 10 milhões a mais do que a atual negociação??

    Isto, definitivamente, não há exercício da imaginação que resolva.. por mais ópio que se tenha por ai…

    Só pra deixar claro, sou bicolor, mas a antítese do futebol em nosso estado é fundamental para a perpetuação de nossa paixão pelo futebol!

  9. Do jeito que o AK fala e uns e outros acreditam, seria ótimo pra qualquer clube fazer dívida e em troca ganhar uma moderna arena…tsc tsc.

  10. WALTER RODRIGUES: Se aparecer outra construtora que ofereça ao Amaro as mesmas que a Leal oferece, com certeza aceitaria. Acontece que a prposta da Leal foi aceita de cara pelo Amaro. Agora não me pergunte por quê. (mas é só pensar como agem os políticos que vc tem a resposta) Aqui é o maior negócio, onde os dois ganham, mas o Clube perde e muito. Quem não tem ideia, vende patrimônio.

Deixe uma resposta