Caso Moisés: Paissandu ganha causa na Justiça

Fim de papo. A juíza da 2ª Vara da Justiça do Trabalho, Vanilza Malcher, decidiu na noite desta quarta-feira que o atacante Moisés continua a ser jogador do Paissandu. Os pedidos de indenização por dívidas de INSS e FGTS foram julgados improcedentes. O jogador queria o rompimento do contrato de trabalho com o clube e mais uma indenização de R$ 2 milhões. A sentença deixa a diretoria do clube à vontade para negociar sua jovem revelação bicolor. Sites e emissoras de rádio do Sul dão como certa a contratação de Moisés pelo Internacional (RS).

39 comentários em “Caso Moisés: Paissandu ganha causa na Justiça

  1. O bocudo do LOP está rindo para as paredes. Ganhar da justila esportiva no Pará não é tarefa fácil, mesmo quando provas e contra provas sinalizam para isso. Agora é fechar com chave de ouro dando um bom destino ao rebelde.

    Curtir

  2. Lembro da boa notícia que divulgarei domingo que fará os meus clones e em geral os torcedores do Remo soltar foguetes, quem sabe, até fecharem a doca para comemorações, mas só revelo domingo. Faltam 3 dias para que isso aconteça. Aguardem

    Curtir

  3. Isto não seria litigância de má fé, dos advogados do Moisés?
    Dá a entender que eles suspeitaram, a partir de um histórico recente do clube, que algumas obrigações contratuais não vinham sendo cumpridas e resolveram ganhar dinheiro fácil.
    Quebraram a cara, é verdade, mas causaram um grande rebuliço dentro do clube dificultando até o aproveitamento de um jogador importante, que estava recuperando-se de cirurgia e tinha tudo para voltar a ser útil ao time.

    Curtir

  4. Seria interessante, se provada a litigância de má fé, que a JT impusesse uma punição pecuniária que certamente faria os futuros pseudo-reclamantes pensarem duas vezes.

    Curtir

  5. Há poucos dias vi uma entrevista do advogado do moisés na qual ele fala que o paysandu efetuou os depósitos referentes ao INSS e FGTS do Moisés um dia antes de o processo ser impetrado.
    Por isso que os advogados ao pesquisarem os sistemas do INSS e da CAIXA não detectaram os pagamentos, haja visto não terem caído no sistema.

    A partir desse fato presumo que a informação vazou e o LOP ficou sabendo e se antecipou aos advogados efetuando os recolhimentos. Talvez o próprio jogador pode ter comentado com um colega de rua, ou parente que informou, ou vendeu a informação ao Papão.

    Uma tacada de mestre.

    Acho que foi isso.

    Ou será que tou viajando? rsrsrsrsrs

    Curtir

  6. Berlli, quando eu digo que o LOP – com todos os problemas – dá de goleada nesse presidente-corretor que o Remo arranjou ainda há quem reclame. Taí mais uma prova.

    Curtir

  7. Caros amigos de blog, mesmo vendo aqui alguns defendendo o LOP, por ele te conseguido em tempo hábil, te sanado as pendencias com o Moises. Antes que a justiça, desse a causa favoravel ao reclamante. No meu entendimento, não podemos eximir da culpa pelo imbrolio LOP, é sua incompetente diretoria amadora, te dizer.

    Curtir

  8. André, me parece que isso que você afirma como fato consumado é apenas uma hipótese levantada pelo Carlos Junior. Como tal, pode ou não confirmar-se. Por achar pouco provável o vazamento, prefiro não tirar a razão de quem de fato a tem nesse momento, independente de eventuais descontentamentos que causam à torcida.
    Pra mim, a principal lição que fica é o ensinamento a respeito da relação civilizada de trabalho que deve sempre estar presente. Vamos ver se a diretoria bicolor mantém esse padrão.

    Curtir

  9. Uma acerto não justifica os erros passado, mas tirou 10 em outra matéria tem que se elegiado. Questão de justiça.

    Curtir

  10. Corretor ,diga-se de passagem fracasado, por que até agora tudo o que tem em mãos é uma certidão de comprometimento. Sabe lá se uma faisca não queima a dita cuja.

    Curtir

  11. Sugiro ao presidente LOP, o maior de todos os castigos a esse jogador e aos seus procuradores.Presidente empreste ele,sem onus para o falido que morava do outro lado da rua.

    Curtir

  12. Será que é a dispensa do Giba, em Berli? Essa tua notícia me preocupa, não pela dispensa, mas pelo resultado. Credo

    Curtir

  13. Espero que depois do roubo, seja fechada às portas! Digo isso me referindo aos erros, administrativos da diretoria bicolor sob os contratos dos jogadores, assim como os beneficios que todos tem o direito perante a CLT. Espero que agora, eles pelo menos se tornem não profissionais, é menos amadores como são.

    Curtir

  14. Eu também acho que é essa noticia que o Berlli quer dar no domingo, porém eu ache que isso, não será nenhum segredo se acontecer, pois o time do Remo a meu ver já está no limite, é está prestes a desandar na maionese.

    Curtir

  15. Deixa de estoria vidente paraguaio!
    Essa pretensa noticia não será dada, mesmo porque, ela está relacionada com o resultado do fronte.

    Curtir

  16. O que revelarei é uma realidade e não tem nada haver com o Gibatado, já deixei claro quanto a isto, portanto não é caso de advinhação e sim de fato documentado. Aguarde.

    Curtir

  17. Outra caso de justiça resolvido no Paissandu foi a sentença condenando o clube a pagar 300 mil ao jogador Jobson. Sem mais recurso. Agora só resta o caso Arinelson que faz tempo está em Brasilia com reclamação de um milhão de reais.

    Curtir

  18. Rsrs…é tanto suspense véio, que só pode ser uma bomba assim, foi mau. Vou estar ligado, que horas vai ser +/- esse anúncio?

    Curtir

  19. Tavernard: Na verdade, p Paysandu PERDEU o recurso no TST na causa do Jobson.
    A sentença de 1º grau (que condenou em cerca de 2 milhões) foi restabelecida pelo TST.
    No 2º grau (TRT-PA), o Paysandu havia conseguido sucesso em seu recurso, diminuindo a condenação para 300 mil.
    Contudo, o TST entendeu que o Paysandu não recolheu corretamente as custas do recurso aqui em Belém. Por isso, o TRT-PA não poderia sequer ter analisado o mérito do recurso. Assim, o TST restabeleceu a sentença de 1º grau (aquela de quase 2 milhões).
    Ainda, diferentemente do que vc falou, ainda cabe recurso.
    O Recurso de Revista foi julgado no TST em 1º de setembro. O acórdão ainda sequer foi publicado, por isso o prazo recursal ainda nem começou.
    Uma pena, pois o Paysandu havia conseguido mostrar que tinha razão. Mas, por falha no recolhimento das custas, não conseguiu fazer valer a sua posição.

    Curtir

  20. Fernando, obrg pelos reparos esclarecedores. Limito-me nesses casos ao tratamento jornalistico. Infelizmente as informaçõres a mim passadas levaram-me ao erro sem intenção .

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s