Adiada audiência do caso Moisés

Tudo na mesma, por ora. O atacante Moisés continua no Paissandu e está impedido de assinar contrato com outro clube. A audiência desta quinta-feira, na Justiça do Trabalho, não foi conclusiva e foi marcada uma nova, para o dia 2 de setembro. O jogador alega falta de recolhimento de encargos trabalhistas, como FGTS e INSS, reivindicando rompimento de contrato e indenização de R$ 2,6 milhões. Os advogados do Paissandu apresentaram documentação tentando provar o contrário. Ficou faltando, contudo, comprovação de depósito dos encargos trabalhistas do jogador correspondentes ao período entre 2006 e 2008, época em que Moisés, além do Paissandu, defendeu Pinheirense, Time Negra e clubes do interior de São Paulo.

Os defensores do atleta irão analisar os papéis apresentados pelo Paissandu e irão se manifestar ainda nesta sexta-feira, 27. Já os advogados do clube garantem que todos os compromissos foram respeitados e que o Paissandu nada deve ao jogador. (Foto: TARSO SARRAF/Bola. Com informações da Rádio Clube e de Gustavo Pêna/Diário Online)

19 comentários em “Adiada audiência do caso Moisés

  1. Gerson o Paissadú comprovou que está em dia de 2009 até hoje, faltando o período de 2006 a 2008. Caso isso não tnha ocorrido o paissandú simplesmte regulariza a situação ou o jogador sai benefiaciado? E os advogados do Moisés, ficam só na espera da comprovação ou teem que comprovar que o clube está em débito?

    1. No meu entendimento, Berlli, eles têm que comprovar que os encargos não foram recolhidos. Afinal, o ônus da prova é de quem acusa – ou não?

      1. Concordo. Por isso pergunte,i já que seu texto diz que os advogados examinarão a documentação para se manifestarem na 6a feira.

  2. Gerson, me tire, por favor, essa dúvida.
    Veja a seguinte situação: O charles conversou com o Moisés e resolveu não convocá-lo para os jogos pq ele tá com a cabeça no santos.
    ou seja, o paysandu não pode contar com ele pq ele não está com vontade de jogar no clube.
    Então eu lhe pergunto:
    1) o Paysandu tá pagando o salário desse cara?
    2) se o cara se recusa a trabalhar o clube é obrigado a pagar o seu salário?

    Obrigado

    1. Carlos, o Paissandu está cumprindo o contrato com Moisés, o que significa que está pagando o salário normalmente. A opção de não escalar o jogador é do técnico Charles. Moisés, pelo que sei, não se recusou a jogar.

  3. Berlli, não se aplica ao caso o onus da prova. Tanto é que os procuradores do Paissandu fizeram prova apresentando comprovantes de recolhimento da obrigação. Resta saber se no outro periodo reclamado o clube tinha vinculo com o jogador.

  4. Barbas de molho, alguns conselheiros do Paissandu querem explicações sôbre o montante da dívida do clube. É bom que assim seja. Pelo menos alguns preocupam-se com o clube numa dimensão maior.

    1. E assim deve ser quem realmente quer trabalhar pelo clube, deixar a esmo pode acabar como no Remo, quando abriram os olhos era tarde, apeasr de que lá as reuniões serem sempre para bate papo sem maiores consequências.

  5. Caro blogueiro, quando se trata de documentos obrigatórios (comprovantes de recolhimento do FGTS, INSS, recibos de salários, etc), o encargo de provar é do empregador, a uma, pelo dito acima, serem documentos de posse obrigatória pelo que contrata, e, a duas, e no geral, pois ninguém é obrigado a fazer prova negativa, no Direito do Trabalho, mas sim provar fato positivo, no caso, o jogador-empregado, que trabalhou – o que desde o início não se nega, por óbvio – cabendo ao clube, por sua vez e sucessivamente, provar com documentos, na situação em questão, que procedeu aos recolhimentos (prova positiva).
    Anotou aí? Depois eu mando a continha pela consulta grátis, rsrs.

      1. Taí um anônimo que sabe o que diz e por isso merece todos os elogios. Agora é bom que seja remetida a nota de despesa da consulta para não gerar pocesso judicial no futuro.

  6. De nada, blogueiro. Fica tranquilo que essa é de graça, caro Berlli bicolor. O que precisa ser avaliado, a meu ver, é a relação custo-benefício – e aí eu deixo para os entendidos futebolisticamente – de manter o jogador ou emprestá-lo e faturar mais depois. Vejam o caso do Avaí, que faz isso através de uma bem-sucedida parceria, que já dura quase 3 anos, e pelo jeito vai se manter mais um ano na série A.

  7. O moiése é um dos jogadores locais, que talves ganhe um dos maioeres salários dos times regionais e nunca mais ganhará menos de 10 mil reais. Ora que querem esse procuradores do jogador, salário de jogador da seleção brasileira. Ora me compre um bode….

  8. A Juiza deu seu parecer a pouco e indeferiu o pedido do jogador que por esta razão permanece sendo jogador do clube. Agora LOP pode negociar o atleta com tranquilidade.

Deixe uma resposta