Coluna: As lições de uma vitória

Para começo de conversa, uma constatação. Jogando para os lados e errando passes, Canindé não é reforço. Gian corre mais, lança melhor e até ajuda a marcar. A escalação do recém-contratado pareceu forçada. Giba, sob pressão, alterou o meio-de-campo e o time todo sentiu os efeitos. Vélber, acertadamente, recuou para fazer a armação, mas o ataque ficou capenga contra um time que botava até 9 jogadores atrás da linha da bola.
Os pais que chegaram com o jogo em andamento não perderam rigorosamente nada. Canindé, Gilsinho e Lima abusaram dos erros de passe e a defesa – principalmente Ênio – andou batendo cabeça contra o tímido ataque baré. O único lance forte do período foi um chute despretensioso de Fitti, que enganou Adriano e quase resultou no primeiro gol. No Remo, somente Marlon, Vélber e Júlio Bastos salvaram-se do desastre inicial.
Para o 2º tempo, Giba sensatamente tirou Canindé e pôs Gian em campo. Essa substituição simples deixou o time mais dinâmico. Diminuiu a confusão no meio-campo e as bolas começaram a chegar a Vélber e Zé Carlos. Só que a defesa cochilou e permitiu duas boas chances para o América. Na mais clara de todas, Felipe recebeu livre dentro da área e mandou a bola no travessão de Adriano.
Assustado com o lance, Giba trocou Zé Carlos por Héliton e Gilsinho por Betinho. Boas mexidas. O time passou a atacar em velocidade, às vezes com até quatro homens e forçou o América a recuar. Em escanteio cobrado por Gian, Héliton apareceu livre para tocar para as redes, mas refugou na hora do chute. Aos 25, finalmente, com participação de Vélber e Betinho, a bola chegou ao atacante, que se desmarcou com habilidade na área e chutou para abrir o placar – a coisa estava tão complicada para o Remo que a bola ainda resvalou num zagueiro antes de entrar.
A liderança do grupo é o benefício óbvio da vitória, mas existem outros. Giba, por exemplo, teve a chance de observar que Gian é titular incontestável, que Zé Carlos não pode jogar sozinho no ataque e que Héliton tem lugar no time.  


 
O Paissandu foi excessivamente respeitoso no jogo de sábado no Castelão. Nos primeiros minutos, a prudência era necessária. Mas, aos poucos, ficou visível a limitação técnica do Fortaleza. Mesmo assim, o bicampeão paraense levava quase uma semana para armar ataques e desperdiçava seguidos contra-ataques. Tiago Potiguar, mesmo bem marcado, criou situações perigosas e deixou Marquinhos e Bruno Rangel na cara do gol duas vezes. Mas a chance mais clara veio no cruzamento perfeito de Sandro para Bruno Rangel, que cabeceou errado. 
No segundo tempo, Rangel perdeu outro, na cara do gol, depois de passe caprichado de Tiago Potiguar. Cansado de ver seus companheiros perderem gols, Sandro foi lá e resolveu a parada. Bem ao seu estilo, apanhou a bola na intermediária, invadiu a área e bateu firme. Daí por diante, bastava controlar a correria cearense, mas a zaga dormiu no ponto e cedeu o empate. Jogo bom e movimentado que o Paissandu não soube vencer. (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola)

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 9)

27 comentários em “Coluna: As lições de uma vitória

  1. Gerson, foi um resultado justo em Fortaleza. Pois, por pouco não saimos com a vitória. Quanto ao problema do Moisés, achas que influenciará nos demais jogos sua ausência ?

  2. Estou evitando opinar sobre esse frágil time do Remo para não perder mais pontos com a torcida contrária e poupar os verdadeiros amigos remistas deste blog. Só não engulo as desculpas descabidas do Giba. Esta do Sol foi pra lá de Bagda. Outra sugestão: cada jogador entrar em campo com um guarda sol.

    1. Nessa linha de raciocínio Berlli, quero ver quando é que o argentino vai ter condição, e coragem, pra jogar…no parazão 2011? Tsc tsc, quero ver uns e outros defenderem o Giba após mais essa potoca.

    2. Não esqueça do protetor solar fator 50, é tem de se idratar bastante!KKKKKKKKKKKKKKK

      Isso o Giba, não alertou seus comandados, com tantos conhecimentos fisiológicos que possui!

    3. Outra idéia para atender o competitíssimo técnico GIBA. Instalar ar condionados nos estádios com cobertura de lonas de picadeiro (circo). Para facilitar o entendimento pelo clone que é muito fraquinho de grámatica.

  3. Gerson e amigos do Blog;
    Entendo que está faltando trabalho psicológico pros atacantes e meias do Bicolor Amazônico, eles estão muito afobados, esbaforidos mesmo, NA HORA DE FINALIZAR; talvez essa onda de ficar lembrando que hà tantos jogos/anos, sei lá, o BICOLOR não ganha fora em campeonatos nacionais, esteja sendo um estorvo prá esses profissionais que estão se sobrecarregando da responsabilidade de quebrar um tal tabú, que prá mim não existe. mas… atrapalha.

  4. À guisa de pura prosa. Andando hoje pela Pte. Vargas, abordado por alguns (remistas) , constatei a insatisfação com o trabalho do Giba. Uns chamaram-lhe de burro, outros, de azarado. Limitei-me a ouvir e repassar o aborrecimento dos azulinos. Houve até quem lembrasse da omissão do Giba naquele episódios dos jogadores que não queriam viajar para Sergipe, à epoca do Rphael Levy, lewmbram-se ?.
    Acho dificil a permanencia do Giba no Baenão. Outros treinadore, renomados, por aqui passaram e nenhum justificou seus insucessos ao clima da Mangueirosa.

  5. Agora não adianta trocar o Giba, pois esta competição é curta. Estamos a dois jogos do término desta fasee ai começará o mata-mata, ou seja, não tem jeito ou vai ocorrer como em 2008, quando tiraram o Arthur e deu no que deu.

    1. Com certeza amigo! A sentença já está dada, o Remo irá pagar caro, pelos próprios erros, em ter deixado o enganoso treinador a frente do time nesta 4º divisão. Te dizer…

  6. Eu vejo em alguns comentaristas, total falta de conhecimento sobre futebol, P-R-O-F-I-S-S-I-O-N-A-L, o que é uma pena. Imaginem, amigos, Giba mostra o porque de alguns jogadores, principalmente do meio campo, não estarem rendendo e, eles, por pura desinformação(não sabem mesmo), pensam que o Técnico está dando desculpas(justificativas) para o Insucesso do Remo. Te dizer. Essas pessoas, deveriam ligar para o Barbieri(que esses mesmos disseram que não era técnico nem para o Mixto. Lembram?) e perguntar a ele, porque que, quando do 1º jogo seu, em casa, às 16hs, quando empatou, e, alguns torcedores pediram sua cabeça, imediatamente ele pediu para seus jogos, como foi o de ontem, passarem para às 18hs. Poderiam perguntar ao João Galvão, porque o Águia só joga às 19hs. ……. . Sinceramente, amigos, mas é tanta incompetência, que alguns desses ditos comentaristas dizem que o time do América é fraco, pois está cheio de jogadores daqui, que não serviram para Remo e Paysandu, mas que não param de elogiar o Águia e o São Raimundo, que fazem a mesma coisa, não atentando que o problema não são os jogadores, mas vc ter um bom técnico e, isso esses times tem. Te dizer. O grande problema que vejo, que o Giba está enfrentando, é ter que ensinar o correto, pra quem sempre aprendeu o errado. Desculpe, mas é a minha opinião.

    1. Ensinar o que Cláudio é pra quem, quer dizer que agora o Giba, vai ensinar os jogadores a jogar futebol! Te contar amigo…Continuo, com meu ponto de vista em relação ao enganoso treinador remista, veja uma coisa, se o Remo tivesse vencido por 2×0 do America, mesmo não jogando bem, é não tomando sufoco amigo, ele já teria a resposta na ponta lingua, ele ia logo dizer, estamos no caminho certo, rumo a série C. Conta outra Cláudio, o giba so engana você amigo, a fixa dele já caiu a muito tempo, é so agora que a imprensa está ta batendo nele.
      Só você não consegue enxergar tal calhordice, desse treinador fuleira que não tem condições nenhuma de ser treinador de nenhuma equipe do futebol paraense…Giba neles, na próxima fase é que eu quero ver, quais serão as desculpas, é as suas também!

  7. Ensinar o certo para os jogadores que ele trouxe. Ah! então por que trouxe esses jogadores que jogam errado? Naõ entendi.

  8. Para ser melhor entendido. Quando aludi a dificil permanencia do Giba não disse que a dispensa ocorreria agora.
    Nunca passou-me a ideia de ser cartola nem intitular-me técnico, embora nesses anos todos tenho convivido de perto com dirigentes, jogadores e TECNICOS . Conheci alguns enganadores a exemplo de tantos em outras atividades.
    Sou, quando muito, um curioso. Curiosidade que impede-me de dizer besteira. Repito mais uma vez : respeitem as minhas ideias como tenho, silenciosamente, respeitado as impropriedades de uns quantos.

  9. Para ser mais claro. Nunca extrapolei nos meus comentários fazendo por antecipação juizo de valor ,seja lá de quem for. Conhecer jogador não é tão sòmente saber por onde o citado andou antes de aqui chegar. Dou tempo para emitir meu conceito modesto, sem precipitações. Não sou e não quero ser REALMENTE TECNICO. Só não quero passar por REALMENTE BURRO. Paro por aqui pois sinto sentimentos bem primitivos querendo dominar este despretensioso texto.

  10. É preciso cautela e calma nesse momento. Muitas vezes discordei aqui do Cláudio quanto à defesa radical de suas convicções, principalmente quanto à questão da venda do Baenão e a implicância com técnicos de fora. É fato, porém que muitos de seus argumentos são coerentes e marcados por uma racionalidade (exacerbada, às vezes). Penso que que parte da imprensa local e muitos torcedores remistas estão fazendo marola onde nem há vento e maresia. A Série D não é diferente da Série C e as equipes se equivalem. É só lembrar que a própria Série D é um desdobramento da Série C. O América pode ser até uma equipe com ranços de amadorismo, mas fraca a equipe não é. Do ponto de vista da organização tática e da disciplina é até superior ao Fortaleza. Toca a bola com objetividade e reconhece seus limites ofensivos, superando-os com um sistema de bloqueio de zaga seguro. O Águia e o São Raimundo não estão acima do nível do América, do Cristal e do Cametá. O Rio Branco, então, é um absurdo que ainda esteja disputando alguma coisa nesse brasileirão. O Remo teve problemas no 1º tempo, mas o técnico soube corrigir a equipe no 2º tempo, fez as substituições necessárias e mesmo comentaristas desfavoráveis ao trabalho do Giba, reconhecem que ele foi o grande vencedor da partida de domingo. O PSC que tem uma boa equipe teria as mesmas dificuldades se jogasse contra o América. O Remo é líder e se classificará de forma tranqüila. Agora, negar que o clima escaldante das 16h de Belém não afeta o rendimento de uma equipe é negar o óbvio. A própria jovem e rápida equipe do PSC, enfrenta dificuldades enormes nas primeiras etapas de qualquer jogo aqui em Belém e isso vem desde o campeonato paraense. A direção do Remo não deve cair nesse equívoco de tomar decisões baseadas em cornetas e rádios de pilhas. Como diria o Berlli durante sua juventude na Belle Epoque: “cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”.

  11. O América não é uma equipe fraca..Bem colocado, até considero nivelada ao Clubeo do Remo. Onde chagamos.

  12. Amigos,
    Não questiono a questão do forte calor associada a alta umidade relativa do ar. Realmente influência e muito o bom futebol. No entanto, entendo que esses fatores climáticos influenciam no decorrer do jogo, ou seja, o Remo deveria ser capaz de encurralar o América por pelo menos 30 minutos. Os 15 iniciais do primeiro e os 15 iniciais do segundo tempo.

    Isso não aconteceu no decorrer do jogo.

    Diante disso, digo que assistindo o clube de periçá jogar, percebi um time desorganizado taticamente e mal escalado (Giba deve ter cedido a pressões).

    Nesses aspectos, considero que Giba é o grande culpado, pois teve tempo suficiente para armar uma equipe competitiva, mas não conseguiu. Vale lembrar (mesmo que a contra-gosto para o Claudio) que o melhor momento futebolistico do Remo neste ano foi com Sinomar.

    Além disso, é preciso dizer que, diferentemente de Charles Guerreiro que escala os melhores jogadores, Giba escala os piores, pois apesar de velho, é óbvio que Jean não pode ser reserva nesse time, além de Helington, que merece vaga nesta fraca equipe.

    Sendo assim, entendo que o principal responsável para o fraco futebol apresentado pelo rival se encontra menos no forte calor e mais no banco de suplência.

  13. “O PSC que tem uma boa equipe teria as mesmas dificuldades se jogasse contra o América”.

    Cássio, considero que jogando em Belém não, pelo contrário, acredito que o PSC esmagaria o time do América. Lá… Bem… Lá não posso dizer o mesmo, pois meu time tem fama de recuar… INFELIZMENTE…

  14. Cara olha o que o colega cássio escreveu:
    “O América (…) Do ponto de vista da organização tática e da disciplina é até superior ao Fortaleza.”

    RSRSRSRSRS

    só rindo mesmo…

    1. Caro Carlos, vi as duas partidas e também não observei qualquer superioridade do Fortaleza. Pelo contrário. O meio-campo, então, é bem inferior ao dos amazonenses. Incrível, mas é fato.

  15. É tanto lamento de remistas, que até me lembro que há alguns anos atrás, um conhecido meu ,azulino doente, encontrava-se tão abatido, que deu piedade em um Gênio que lhe aparecera. O referido Gênio lhe deu direito a um único pedido. Ele então solicitou que sua mãe que morrera recentemente, ressussitasse. O bondoso Gênio ,depois de muito pensar, pediu-lhe que fizesse um outro apelo.Imediatamente ele revindicou que o seu querido Leão participasse de uma Libertadores. Assustado o Gênio perguntou-lhe “Meu filho, como é mesmo o nome de sua mãe”

  16. As discordâncias em alguns momentos são salutares e teem desviadas muitas decições positivas que não precessariam sucessos. Cabe a quem direciona ser respeitoso no trato para ser assim retribuído. Minha maneira de postar é desenibida, geralmente direcionada a clube rival e generalizadas para torcida e isso não é único neste blog, muitos usam deste expediente para ZOAR que é o que faço. Percebam que quanto extrapolo trata-se de retorno. O Clone é uma incógnito de tempos passados, destemperado fica numa busca incessante querendo chegar ao meu alcançe. Este o tratamento é ditado pela sua conduta, portanto, fora deste plano, respeito a todos na medida que sou considerado. Sem mais delongas, esportividade acima de tudo.

Deixe uma resposta