Quando a guitarra dita o ritmo

09296575

Por Thiago Ney

“É algo curioso: não sei por que, damos muito valor à guitarra, mas não falamos de clarinete, trompete ou outros instrumentos do tipo. A guitarra tornou-se muito popular. Mas achei o documentário interessante porque não é feito apenas de imagens de arquivo, mas traz guitarristas falando sobre guitarra.”

Este é Jack White em recente entrevista, a respeito de “A Todo Volume”, documentário em que se junta a The Edge (do U2) e Jimmy Page (Led Zeppelin) para comentar a relação estreitíssima que possuem com a guitarra. A princípio, “A Todo Volume” parece filme feito especialmente para músicos e amantes da guitarra. Talvez eles se interessem mais, mas o documentário é didático e curioso o suficiente para manter o interesse. Mas nada disso.

Davis Guggenheim costura as histórias do três músicos com cenas de apresentações e uma divertida sessão em que tocam músicas relacionadas a cada um deles (como “I Will Follow”, do U2). O diretor leva o trio para diversos locais que influenciaram suas músicas e que tiveram papel importante em suas vidas. The Edge, por exemplo, visita uma escola da infância e relembra como formou o U2.

Já Jimmy Page revisita o local onde foram realizadas grande parte das gravações do mítico disco “Led Zeppelin 4”. Guitarristas de três gerações distintas (Page, dos anos 1960/1970; The Edge dos 1980; White dos 2000), eles se reúnem para contar suas inspirações, o modo como compõem, as relações com a guitarra. (Da Folha de S. Paulo)

3 comentários em “Quando a guitarra dita o ritmo

    1. Ficou faltando o Eric Clapton, o Buddie Guy, tantos craques… mas aí não daria apenas para ser um filme, teria que ser uma série.

Deixe uma resposta