A volta do grande campeão

5a5e6e59-8fe0-3d31-b2e8-f7ad80eca2b3

Michael Schumacher é o substituto de Felipe Massa na Ferrari. A informação foi confirmada pelo próprio site da escuderia na tarde desta quarta-feira. O alemão ficará com o segundo carro da equipe e será companheiro do finlandês Kimi Räikkönen. “A coisa mais importante é que o Felipe está bem. Esta tarde, eu, Stefano Demenicali [chefe da Ferrari] e Luca di Montezemolo [presidente da escuderia] decidimos em conjunto [o retorno às pistas]”, disse o heptacampeão da categoria em seu portal. Schumacher já estará na pista no próximo dia 23 de agosto, no GP da Europa, que será disputado em Valência, na Espanha. O maior campeão da história da Fórmula 1 abandonou o circo da categoria no dia 22 de outubro de 2006, após correr a prova de Interlagos, no Brasil. No entanto, aos 40 anos, o ex-piloto seguia trabalhando pela Ferrari como consultor.

Foi a melhor notícia dos últimos tempos na F-1. Finalmente, a chance de ver, quase em igualdade de condições, um duelo entre Schumacher e Hamilton, o mais técnico e arrojado dos atuais pilotos. A volta do alemão, o maior campeão da história, mesmo por uma corrida apenas, pode salvar da mesmice esse insosso campeonato.

13 comentários em “A volta do grande campeão

  1. Putz o Galvão na transmissao domingo passado, disse em bom e alto som, que era boataria pura colegas da imprensa estarem afirmando que o Schummi voltaria a F 1…que o mesmo tinha que passar por um periodo de readaptação, etc etc ….e agora ? rs

    1. Ed,
      É muita garganta do Galvão, mas, convenhamos, será que um fora-de-série como Schumacher ainda precisa de adaptação???

  2. Esse aí eu “agarantio”!
    Certamente o maior piloto da história da F-1. E provavelmente um dos 10 maiores atletas de todos os tempos.
    Se o Shumacher começar a ganhar corridas, no que ainda resta dessa temporada… Sei não. Fominha do que jeito que ele é, não me surpreenderei com a permanência no ano que vem. O que seria excelente!

  3. De adapatação ele nao precisa realmente, é fera….Pô Gerson, galeria dos ”fora- de -serie” ? hum, tsc tsc…..rsrsrsrs

    1. Caro Ed,
      Em desacordo com as viúvas de Ayrton Senna do Brasiiiillll, considero Schumacher disparadamente o melhor piloto de todos os tempos. Com Piquet em segundo e Senna em terceiro.

  4. Só discordo em relação ao Piquet, Gérson, afinal o cara foi tri-campeão mundial, somente usando mais a técnica do que a sua escuderia. Foi vice-campeão em 1980 com uma equipe inexpressiva, chegando ao título de 1981 com a mesma técnica apurada. Guardadas as devidas proporções tecnológicas e de avanços do automobilismo, acho que Piquet foi mais piloto que o alemão. De fato, a F-1 agora volta a ter emoção com o “chucrute flash”.

    1. Também considero Piquet o melhor de todos no aspecto técnico (e há gente que menciona o retranqueiro Prost como top…), mas os números do alemão são incontestáveis e o credenciam ao título de maior de todos os tempos.

  5. O problema é que sou hiostoriador e sociólogo, Gerson. Temos mania de contextualizar tudo e relativizar. Números, é verdade, são números…

Deixe uma resposta