4 comentários em “Rock na madrugada – The Who, See Me Feel Me

  1. É verdade Gerson. Os solos de bateria não seriam o que são hoje (apesar de um tanto enfadonhos, mais por falta de técnica e carisma dos bateristas) sem as performances visionárias de Keith Moon. Os Mods, apesar de posudos, eram bons e represantavam o que tinha de mais “pesado” na Inglaterra nos anos 60. Gosto do The Kinks também. Massa!

    1. Daniel,
      Kinks eram excelentes também. Acho que o The Who acabou ficando em segundo plano na cena inglesa dos anos 60, que juntava centenas de bandas interessantes. Foram vítimas, principalmente, da excepcional arrancada dos Stones, na trilha dos Beatles. Mas deixaram um legado maravilhoso, como a ambiciosa ópera-rock Tommy, que rendeu até filme.

  2. Gerson, gostas do The Zombies? Acho uma banda sensacional. Alguns críticos de rock da Inglaterra e dos EUA diziam (e dizem) que os Zombies eram tão bons quanto os Beatles, e só eram menos famosos por não serem “bonitinhos” como os FabFour.
    O dico “Odissey and Oracle” de 1968 é uma obra-prima do rock psicodélico britânico. Acho que vc, como fã de rock sessentista, já conheça.

    Abraços!

Deixe uma resposta