E “operaram” o Huracán

O Vélez Sarsfield sagrou-se campeão argentino ao vencer o Huracán por 1 a 0 neste domingo, em Buenos Aires, e ultrapassar o rival na classificação do Torneio Clausura. O Vélez acabou com dois pontos a mais do que o Huracán na tabela (40 a 38), e o gol do título foi marcado por Morales aos 38 minutos do segundo tempo, após um lance em que o árbitro deveria ter apitado falta no goleiro Monzón. O Huracán amarga mais um ano de fila – o único título nacional do clube foi conquistado em 1973, quando era comandado por Cesar Luis Menotti.

Este é o sétimo título nacional do Vélez, que não levantava a taça desde 2005. O auge do clube foi em 1994, quando era comandado por Carlos Bianchi e conquistou a Copa Libertadores da América (em cima do São Paulo) e o Mundial interclubes (em cima do Milan). O jogo deste domingo, que acabou sendo literalmente a final do campeonato por um capricho da tabela, foi tumultuado desde o início. Uma forte chuva de granizo obrigou a interrupção da partida por quase meia hora. A curiosidade ficou por conta da imagens de muitos torcedores no campo usando máscaras, com medo da gripe suína que já toma grandes proporções em Buenos Aires.

Na tabela final do campeonato, os gigantes River Plate e Boca Juniors ficaram para trás. O River acabou em oitavo lugar, enquanto o Boca foi só o 14º. Para ir à Libertadores em 2010, esses times dependem do título do Apertura, que será disputado no segundo semestre.

Poucas vezes vi um time ser tão assaltado quanto o Huracán foi neste domingo. O gol foi escandalosamente irregular, com o goleiro sendo atingido por um carrinho no lance do gol. Como botafoguense, acostumado a aturar essas bandalheiras, fiquei solidário com o tradicional time portenho.

2 comentários em “E “operaram” o Huracán

Deixe uma resposta