O critério é financeiro

O anúncio formal da Fifa, direto das Bahamas, foi apenas protocolar. A coluna de Ancelmo Góis matou a charada ainda na sexta-feira, obviamente a partir de informações oriundas da própria CBF. Não há dúvida quanto ao peso do lobby, das articulações de bastidores e do interesse financeiro envolvido no processo. Ficou claro que pouco importa à Fifa (e a CBF) o aspecto técnico da coisa. Quem tem estádio ou não, quem gosta de futebol ou boi-bumbá. O que vale é a grandiosidade dos projetos, o volume de dinheiro a ser gasto.

Fontes não autorizadas revelam que o estádio futurista que Manaus vai construir terá o acompanhamento direto de uma firma ligada a Blatter. Claro que, na hora de contabilizar o lucro, é mais sedutor apostar num projeto caro (R$ 600 milhões) do que na reforma prevista para o Mangueirão, que não ultrapassaria a casa dos R$ 200 milhões. Cifras, cifras e nada mais. Fiquei vendo a divulgação das capitais escolhidas e parecia que, ao fundo, ouvia-se o tilintar frenético das moedas.

Belém, sabemos todos, tinha tudo para sediar jogos da Copa. Estádio, acessibilidade, tradição futebolística e experiência em grandes eventos. Manaus tem hotelaria e o apelo do ecoturismo. Não foi isso que decidiu a parada. Não nos iludamos: aquele que era o nosso grande trunfo foi também nosso maior calo. Ter um estádio pronto, sem possibilidades de grandes gastos, desinteressou os senhores da bola. Para eles, é mais lucrativo investir numa praça em que tudo está por fazer e onde a dinheirama será farta e generosa.

Podem dizer o que disserem, podem levantar mil hipóteses, mas no fundo prevaleceu mesmo a velha questão. A Fifa (e a CBF do sr. Ricardo Teixeira) só pensa naquilo: grana. Manaus tinha o projeto mais caro (e tentador) de todos. Prevaleceu a ganância. E ninguém vai poder fazer nada quanto a isso. O futebol tem seus donos. Eles mandam e desmandam. O resto que se dane.

22 comentários em “O critério é financeiro

  1. Gerson, vale a pena ler de novo.
    Abraços

    Copa do Mundo em Manaus: O pior se confirmou
    Estava escrito nas estrelas.

    Em 27 de março de 2008, portanto, antes de Juca Kfoury e Ancelmo Góis, o Blog do Estado, embora não tenha varinha de condão, antecipou de certo modo a decisão de hoje do comitê da FIFA.

    Quinta-feira, 27 de Março de 2008
    Amazonas na dianteira da Copa de 2014
    Este site já havia alertado que o Pará não vinha sendo páreo para o Amazonas na briga para transformar uma das capitais do norte em sede da copa do mundo de 2014, ao comentar cenas registradas em Zurique, sede da FIFA, por o acasião do anúncio do mundial de futebol no Brasil.
    Naquela ocasião, o governador Eduardo Braga e outros pesos pesados industrais da Zona Franca de Manaus monopolizavam as entrevistas concedidas às principais redes de televisão do mundo, todos afinados com o discurso de promoção de uma copa do mundo ‘sustentável em Manaus.
    A delegação paraense ficou escondida num canto do auditório da FIFA.
    Hoje, o Repórter Diário volta ao assunto, com a nota Devagar:
    “O Amazonas começa a se distanciar do Pará na briga para sediar a Copa do Mundo em 2014. Em agressivo lance de marketing, Manaus reúne, no final de semana, a seis anos do maior evento futebolístico do planeta, cronistas esportivos de todo o país para mostrar vantagens de logística e turismo da cidade aos profissionais da imprensa que influenciam em decisões da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Patinhando, o Pará padece da falta de comitê organizador e de simples site para tentar se credenciar.”

  2. Disso tudoE e não foi isso que aconteceu na Copa passada, nem a seleção importa! Agora não devemos aceitar migalhas!

  3. Disse tudo! E não foi isso que aconteceu na Copa passada, nem a seleção importa! Agora não devemos aceitar migalhas!!!

  4. Caro Gerson,

    Hoje é um dia de rever nosso conceito de brasileiro, em especial os cidadão nortistas, os paraenses e os belemenses, Infelizmente, hoje ficou claro que nós não somos brasileiros de fato, podemos ser de direito, mais de fato estamos longe disso. A escolha de uma única sede no Norte indica claramente o descaso do Brasil com a nossa região. Isto pode ser visto de outras formas, mas essa exclusão doeu na alma.

    Amigo, não foi Manaus que ganhou, pelo contrário foi o Norte que perdeu e provou ser o quintal do Brasil, nínguém se engane, a presença de Manuas é mera fachada para dizer que todas as regiões estão representadas na copa, mas no fundo o desejo dos sulistas era escolher todas as sedes entre o nordeste, sul e sudeste. Assim, termos somente uma sede indica claramente que não representamos o Brasil.

    Outro aspecto (posso até ser crucificado por isso), a culpa não é do governo A ou B. A culpa é exclusivamente do eleitor paraense que elegeu por anos e contiua a eleger, em sua maioria, incapazes que só pensam nos seus bolsos,em suas famílias e nas cores de seus partidos.

    Por fim, comparando os problemas no Pará e no Amazonas, mais exclusivamente a questão de Belém e Manaus. Nós somos um estado com uma grande arrecadação tendo pouquíssimos investimentos do governo federal e com várias cidades de médio porte com diferentes problemas sociais. O Amazonas,pelo contrário só tem Manaus. O que isso significa, no Pará quem elege os representantes políticos são os eleitores do estado, no caso de Manaus são apenas os cidadãos da cidade.

    Bem,como disse o presidente o PSC na clube, está na hora do governo investir em Remo e PSC (verdadeiros patrimônios do Pará e do Norte) para que um dia (quem sabe breve) possamos mostrar a força que vem do norte sem pedir esmolas.

    Sinceramente, não precisamos da copa, na verdade creio que nínguém, com bom senso queria ver trindad e tobago, o que queremos e precisamos é a execução dos projetos de melhoria nas vias públicas.
    Façam isso e 2014 ficará para trás como uma perda e u momento de ressurgimento da nova Belém, da nova cidade cabana.
    Carlos Lira
    Mestre em educação em ciências

  5. Não bastasse a força financeira de Manaus, houve também a nossa pobreza. A prefeitura de Belém não está propriamente nadando em dinheiro e o governo do Pará é outro que mergulha a cada dia na insolvência. As duas entidades não são muito de honrar compromissos financeiros… Se tem uma coisa que nos falta é dinheiro. Aí afloram ressentimentos regionais, picuinhas, o eterno sentimento de vira-lata, a mania de perseguição, “todos nos odeiam”, “ninguém gosta de nós”… O Pará nunca teve cacife para uma briga desta magnitude, senhores.

  6. *

    A “DERROTA DELIQUENTE”

    O povo belenense sofreu um porrada segura, nao foi um nocaute dentro das regras verdaeiras de luta. Nao estamos sendo respeitados pelo adversario o que prova que a luta foi deliquente, estao batendo por bater.

    O belenense ja tem marcas por todo o corpo de lutas covardes e na maioria das vezes os socos foram desferidos com ajuda de gente que era para nos defender. Gente essa que nos segura, nos atrapalha, impede de caminharmos rumo ao sonho comum. a A de termos uma Cidade limpa, com seg. , Escolas apropiadas para nossas filhos e uma estrada limpa, de Futuro!

    Quando falo de derrotas lembro das de meu time, a Tuna Luso, mas pera ai! Agora estou falando de tragedia! e e’ esse o sentimento do Belenense nesta manha, a tragedia veio atraves de um falso nocaute tecnico em uma luta na qual nao havia regras para serem respeitadas. Belem precisa ser colocada no colo por todos nos, ser acaraciada neste momento, precisamos curar esta ferida com medicamentos novos e afastarmos de vez a falsa ajuda de gente com maos infectadas.

    Precisamos nos preparar melhor para a chuva ja que ela sempre vem na hora marcada, nos ordernamos nas filas de onibus, brigarmos por Pcs nas escolas,saude, saneamento etc…..essaa profundas reformas tem que iniciar JA’.

    A gente precisa parar de acreditar na Estoria que sempre a emprenhada foi causada pelo Boto.

    Chegou a hora de nos inspirarmos de vez no ideal CABANO e transformarmos nossas vidas.

    A hora realmente de valorizarmos aquele titulo de eleitor. pq por hora o titulo de”bobocas” esta estampado no rosto de todos.

    * Inspirado em Faça Seu Coração Parar De Chorar “OASIS” O tempo nao para “CAZUZA”

  7. Se realmentea gente quizer que mude tudo o que esta ai, a gente tem que comecar por tal Coronel Nunes. Esse tem que ser pressionado a pedir demissao.

    Embora ache que nao tenha a honestidade necessaria para tal.

    caso contrario melhor nem pensar em uma vida melhor, o processo em termos de melhorias no Futebol profissional tem inicio nele.

    se fosse em um Pais serio em que pessoas publicas se envergonhassem de DERROTAS o Coronel teria esse caminho.

    Fico realmente torcendo para que sua atitude irresponsavel seja o seu propio suicidio.

    Tai um que pode se mudar para a ZONA!

  8. Todo mundo fala da Cabanagem. Eu lamento! Lamento que a Revolução Cabana tenha perdido a guerra contra o Império de D. Pedro. Se tivéssemos vencido honje seríamos uma nação independente e talvez a mais improtante da América do Sul pelo fat de sermos o Estado mais rico desse país hipócrita e corrupto chamado Brasil. Com certeza jamis seríamos discriminados e sim respeitados como nação independente e rica. Infezmente a Cabanagem Perdeu a guerra mais uma vez.

  9. Nunca, em momento algum “engoli” a propaganda que o Governo do Estado tentava vender, de que tínhamos estádio pronto, um povo apaixonado por futebol……
    En certos momentos sentia que eu era até antipática pois sempre achei que Belém seria preterida.

    Não adianta ter tudo isso e não ter prestígio político para viabilizar os projetos.

    Mesmo assim, parei tudo o que estava fazendo para ouvir o anúncio das cidades escolhidas, mesmo que isso significasse olhar para a cara do Sr. Blatter e do …. agh!!! ….. Ricardo Teixeira.
    Eu me incluo entre os paraenses apaixonados por futebol.
    Sabe como é, somos brasileiros e temos mania de dizer que “A esperança é a última que morre”

    Não foi surpresa Belém não ser uma das escolhidas, foi sim, ver que ao ser pronunciado o nome de certas cidades, havia na platéia comemoração. Pergunto, mandamos algum representante, ou o que foi previamente anunciado pelo Juca Kfouri e Anselmo Góis já havia sido aceito pelos nossos representantes???

    A tarde de hoje só serviu para confirmar que a realidade emaga a esperança.

  10. a vitória de Manaus reforça a certeza da importancia da consrução de marca. A capital do Amazonas desde os anos 80 fortacele seu conceito de cidade sintese amazônica e associou de forma indiscutivel seu nome a maca mais forte do planeta: floresta Amazônica. Se lá fosse só um povoado, ainda assim seriam feitos todos os investimentos para a Copa ser lá. Belém sempre esteve mais para pretensáo cafona de ser São Paulo ou Rio do que ser uma cidade com traços, alma, orgulho e caboclice amazônica

  11. Fiquei triste, mas não com a vitória de Manaus, e sim com a derrota de Belém!
    Belém já não é a única metrópole da Amazônia há muito tempo, mas temos o problema de achar qu ainda sim!!
    resultado: achamos que as coisas vem ao nossos encontro, enquantro outros estados nortistas correm atrás de seus lugares ao sol!
    falta amarmos mais o estado do Pará e, principalmente Belém.O porque? Ora! A capital do estado espelha a situação do mesmo!!
    Se, Belém fosse desenvolvida como deveria, jamais levaríamos esse tapa na cara! Jamais precisaríamos receber migalhas! E, finalmente, jámas as idéias separatistas vingariam no sul, sudeste e oeste do Pará.
    Enquanto no Pará, ouvimos o engodo da “terra de direitos” no estdo vizinho cantam em Voz alta : “EU TENHO ORGULHO, DE SER AMAZONENSE.
    E DESSA FORÇA QUE CORRE NESSA GENTE….”
    É populismo? Sim! Mas, nesse momento, em Belém “pane-at-circensi (desculpem se está escrito errado)”cairía muito bem com tucupí !!

  12. POH Miguel!! ta afim de arrumar uma boquinha por la??? corre que da tempo. Nao nos enche com babaquices.

    A perda esta consumada e isto nao e’ o teor principal do post.

    Quer Miguelar??? veio na taberna errada.

  13. Caro Gerson

    Os critérios da Fifa e da CBF podem ser questionados. Contudo, acho mais relevante neste momento avaliar motivos práticos que certamente pesaram contra a candidatura de Belém. Nos últimos anos, Manaus cresceu melhor estruturada e equiparou-se a Belém como grande capital da Amazônia. Com a implantação da Zona Franca, os setores de infraestrutura e serviços foram fortalecidos. Mesmo assim, a cidade ainda enfrenta problemas parecidos com os de Belém quanto ao transporte público, por exemplo. Só que em menor grau.

    Deve-se destacar a importância do governador do Amazonas, Eduardo Braga, nessa disputa. Muito mais midiático e visionário do que Ana Júlia Carepa, o belemense Braga esteve na Suíça junto à comitiva nacional, em outubro de 2007, quando a Fifa anunciou que o Brasil sediaria a Copa de 2014. Ele até discursou durante a cerimônia e explanou seus projetos de preservação ambiental e combate às emissões de carbono. Enquanto Braga tomou a frente da candidatura de Manaus, Ana Júlia limitou-se a delegar a função à Lúcia Penedo, que havia sido preterida na Seel. O lobby político-econômico faz parte do jogo. Manaus soube usá-lo.

    Outro ponto preponderante é o lado simbólico que circunda os dois estados. O Amazonas conta com estrutura de ecoturismo internacional, tem floresta densa nas proximidades da capital e assumiu a bandeira da preservação ecológica como mote da campanha para tornar-se subsede. É este o sentido que a Fifa quer passar com os jogos na Amazônia. A imagem internacional do Pará é fortemente marcada por desrespeito aos direitos humanos, injustiça social e ação predatória do homem contra o meio ambiente.

    Tais contradições estão relacionadas com o processo de ocupação do território amazônico, muito mais desordenado e devastador no Pará. Mas também com a inércia do poder público, que permite o avanço dos conflitos agrários e cultiva a impunidade.

    1. é exatamente por isso que já há um movimento se iniciando.

      EU QUERO A ZONA FRANCA DE BELÉM!!
      Pois, se ninguém nos ajuda, porque temos que aceitar as coisas que nos impõem?
      Ora, se o discurso no Amazonas é que a ZFM “ajuda a natureza”, nada mais justo que ter Zona Ranca no estado que mais desmata!!
      Por isso:
      EU QUERO A ZONA FRANCA DE BELÉM!!
      http://zonafrancadebelem.blogspot.com/

      Agora temos que espalhar e gritar aos 4 ventos!! e gostaríamos da ajuda dos senhores jornalistas!!

    2. E se não formos atendido, estamos tendo carta branca pra desmatar!!
      Ora! se não podemos usar a amazônia a nosso favor, usaremos a madeira dela!!!

  14. Olha podem falar o que for, só não podem falar que aqui em Manaus não se gosta de futebol. Estão corretos de dizer que os times daqui são fracos, mas estão errados de achar que amazonense não liga pra futebol. Liga sim, são fanáticos por times de fora em sua maioria. Eu que sou paulista me impressiono a cada final de campeonato. O povo aqui, como todo brasileiro, é DOIDO por futebol.

  15. Que discursão mais tola, é meio cafuna, meio paraense, ficar acusando os outros, pelos danos que causamos em nós mesmo.
    Como bom amazonense! Sugiro um momento de reflexão ao irmãos parenses”parem de olhar os outros de cima” pois,quen olha muito de cima, esqueçe de subir!
    “Eu tenho orgulho de ser amazonense”

  16. Agora com o término da Copa de 2010, tô pagando pra Manaus fazer o seu estádio com 500 e poucos milhões de reais, a Africa do Sul foi a prova do que poderemos esperar em erros nos custos dos estádios.

Deixe uma resposta