Em noite de muitos erros, Leão sofre pior derrota na Série C

Depois de um bom primeiro tempo, quando buscou o gol e criou algumas situações perigosas no ataque, o Remo acabou dominado amplamente na etapa final e perdeu por 3 a 0 para o Volta Redonda, nesta segunda-feira à noite, no estádio Raulino de Oliveira, pela 10ª rodada da Série C. O jogo foi equilibrado até o Remo perder o zagueiro Daniel Felipe, expulso aos 38 minutos, ao receber o segundo cartão amarelo.

Para surpresa geral, o técnico Paulo Bonamigo não quis substituir um jogador de frente e colocar um zagueiro (Igor Morais estava no banco). Ele optou por recuar Anderson Uchoa para recompor a zaga ao lado de Marlon. A ideia não funcionou, apesar dos esforços do volante. Pressionado o tempo todo pelo Voltaço, o setor defensivo começou a cometer erros seguidos devido à desarrumação da defesa.

Só depois que Pedrinho fez 1 a 0, aos 14 minutos do 2º tempo, o treinador resolveu fazer mudanças. O gol nasceu após cobrança de escanteio. A defesa rebateu para a frente e o meia acertou o pé. Aí, Bonamigo tirou Brenner, Bruno Alves e Erick Flores e botou em campo os meias Anderson Paraíba e Albano e o volante Paulinho Curuá. Manteve o time muito atrás e com Uchoa improvisado na linha de zaga. Aos 20′ e aos 28′, Wendson quase marcou, mas Vinícius fez defesas espetaculares.

Aos 36′, não teve jeito. Iran aproveitou nova falha da zaga, que deu rebote para o lado errado. Chute forte, cruzado, sem chance para Vinícius. Bonamigo ainda botou Vanilson no lugar de Fernandinho, que era um dos poucos que ainda tentava organizar o jogo em meio à balbúrdia tática. Todas as tentativas de ataque, com Albano deslocado pela direita, não deram em nada.

Com Marciel e Renan mal na marcação, o time todo recuado dentro da área, o Voltaço levava constante perigo nos avanços à área azulina, sem sofrer marcação efetiva. Aos 49′, em contra-ataque fulminante, Lelê pegou a zaga aberta, aplicou duas fintas, entrou na área e bateu rasteiro. Vinícius não conseguiu defender e a bola morreu no fundo das redes.

Com a derrota, o Leão caiu para a sétima posição, enquanto o Voltaço assumiu a sexta. Na próxima rodada, o Remo recebe o Altos-PI no Baenão.

4 comentários em “Em noite de muitos erros, Leão sofre pior derrota na Série C

  1. Sobre o jogo contra o Campinense, goleado pelo Remo, disse aqui, neste espaço, que eu não tinha me empolgado com o resultado, pois o adversário citado é muito fraco. Anteriormente, disse também que Bonamigo, como técnico do Remo, já deu. Mas, sempre após uma vitória, torcida e parte da mídia se empolgam e esquecem das agruras anteriores. A onzena do Remo é um bando sem rumo. Chamá-la de time e um exagero.

    1. Este jogo mostrou o quanto Bonamigo desconhece o grupo que tem. Inventando situações que nunca funcionam. Com todo respeito, o passado do Bonamigo não pode servir de justificativa para mantê-lo no comando, afinal o futebol evoluiu, mas parece que ele não.
      A tempo venho alertando a situação da zaga, mas parte da imprensa apoia o Marlon por ser paraense. Aí está a situação do time com uma campanha pífia com pouco mais de 50% de aproveitamento e ainda não pegou os melhores, com exceção do Volta e do Mirassol.

  2. Volto a dizer que a diretoria atual do Remo tendo a frente FB é a do século no clube. Administra com maestria as coisas do clube só que a parte esportiva aquela de formar um timaço sabe? Não, nesse quesito são amadores e deixam nas mãos de pessoas que pouco ou nada entendem. Precisamos de ex-jogadores ídolos do clube como o Arthur, Aguinaldo, Belterra, até mesmo o Charles Guerreiro, o ex-zagueiro Cametá e outros para estarem no dia a dia do clube aprovando ou não contratações e indicando jogadores da base e locais.

  3. Ontem levei duas bordoadas quase ao mesmo tempo. Fui vítima de dois professores pardais, sendo que o do Botafogo levou o time a uma derrota humilhante, dentro de seu próprio campo, com o gol do adversário sendo marcado por um ex-botafoguense, o péssimo Kevin. Aliás, foi um ex-Botafogo, o também péssimo Pedro Raul, que marcou os dois gols da vitória do Goiás sobre o alvinegro, também na casa deste. E o que tem a ver os dois times, Remo e Botafogo, em comum? São mal treinados e comandados por técnicos cuja recorrência em escalar mal e fazer substituições bizarras ultrapassa qualquer limite tolerável.

Deixe uma resposta