Justiça suspende a eleição da FPF pela 2ª vez

A eleição para a presidência da Federação Paraense de Futebol (FPF) foi suspensa novamente pelo Tribunal de Justiça do Pará (TJ-PA). A decisão saiu nesta terça-feira, dia 12, aumentando as incertezas quanto ao processo eleitoral na entidade. Logo depois da notícia sobre a suspensão, o candidato Ricardo Gluck Paul (RGP) e o advogado David Merabet, ligado à chapa de Paulo Romano, discutiram e trocaram ofensas na sede da FPF. Depois, foram à Polícia fazer B.O. um contra o outro.

O entrevero surgiu em função de diferenças na avaliação sobre a decisão do TJ. O advogado foi contra e o ex-presidente do PSC mostrou-se favorável. Da troca de ofensas, a coisa evoluiu para ameaças.

“Fui agredido pelo advogado do Paulo Romano, por isso fomos fazer um Boletim de Ocorrência. Ele, quando viu a decisão do desembargador, contrariando a vontade dele, tirou a máscara, começou a me ofender e depois veio para cima de mim. Ele pediu ainda para o colega dele filmar, falando ‘filma aí, que eu vou dar um pau (soco) na cara dele agora’. Ele continuou me ofendendo, ameaçando a minha integridade física e eu tive que chamar a polícia para sair do prédio da Federação”, disse Ricardo.

O advogado dá uma outra versão, alegando que teria sido ameaçado por Ricardo. “Não agredi, foi uma discussão calorosa. Fiz um comentário sobre a decisão, falando ‘esse cara está viajando, ele deve ter se equivocado novamente, dando uma de doido’, mas me retratando ao desembargador. Ele (RGP) falou ‘doido é tu, que foi no processo falar que eu estou mentindo’. Ele se levantou para me dar uma porrada e o Paulo Romano teve que intervir, ficando n minha frente, que eu sou bem menor que ele. Eu disse ‘Não brinca assim comigo, que eu não sou de brincar, vou até o final’. Ele se sentiu ofendido, ameaçado, coagido e chamou a polícia”, afirmou Merabet.

Ricardo e Romano foram os candidatos que conseguiram se inscrever para disputar a eleição. Adelcio Torres, ex-presidente, também iria concorrer, mas acabou se aliando a Romano, com quem já havia se desentendido anteriormente.

DECISÃO – O Tribunal de Justiça do Pará suspendeu as eleições que iriam ocorrer no dia 20 de abril. Uma nova data deve ser marcada no prazo máximo de 30 dias. O TJPA acatou recurso do candidato Ricardo Gluck Paul, que denunciou erros na publicação do edital de convocação do novo pleito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s