Rádio Cultura se desculpa por comentários machistas sobre assédio na CBF; radialista faz retratação

O radialista Ivo Amaral, colaborador da Rádio Cultura do Pará, foi alvo de críticas nas redes sociais após fazer um comentário machista ao analisar o afastamento do presidente da CBF, Rogério Caboclo. O dirigente é acusado por uma funcionária da entidade de assédio moral e sexual. O apresentador do programa “Conexão Cultura”, Kelvys Ranieri, começou a analisar o tema fazendo piada com o afastamento de Caboclo.

“O nosso querido presidente da CBF afastado, o Caboclo, não só queria segurar o pepino como fazer outras coisas com ele. Um problema sério, Ivo Amaral. Mas é um assunto que o horário não permite a gente falar muito”, disse o apresentador da rádio estatal ensaiando uma brincadeira de duplo sentido com a situação. Então, Ivo Amaral responde o comentário com a declaração machista que repercutiu negativamente nas redes sociais.

“Pior que a gente não conheceu nem a cara da secretária para ver se valia tanto esforço do Caboclo.” Assim que Ivo fez o comentário, Kelvys rapidamente repreendeu o colega de atração. “Mas não pode! Isso ai é crime, Ivo Amaral, e qualquer abuso a gente tem que repudiar. Isso que essa secretária fez (denunciar) a gente não conheceu nem a cara da secretária para ver se valia tanto esforço do Caboclo.”

Assim que Ivo fez o comentário, Kelvys rapidamente repreendeu o colega de atração. “Mas não pode! Isso ai é crime, Ivo Amaral, e qualquer abuso a gente tem que repudiar. Isso que essa secretária fez (denunciar) a gente dá todo apoio. A gente dá apoio total a essas mulheres”, opinou Kelvys.

Rapidamente o áudio viralizou nas redes sociais e muitos internautas criticaram a posição do radialista, que também é comentarista de esporte da TV Liberal, afiliada à Globo no Pará, e pediram inclusive punição da emissora a ele. A Comissão de Mulheres do Sindicato dos Jornalistas do Pará, que reúne mais de 60 mulheres jornalistas que atuam no estado, emitiu nota repudiando a conduta, tanto do apresentador Kelves Raniery, como do comentarista Ivo Amaral. O grupo considerou que ambos comentaram o caso “de forma machista, jocosa e inapropriada”.

“É muito importante destacar que os comentários de cunho machista são um importante elo de fortalecimento e manutenção da dinâmica patriarcal, que determina uma realidade de assédio físico, psicológico, moral, sexual e patrimonial, num país que é o quinto do mundo em número de feminicídios. As expressões machistas andam lado a lado das ofensas, assédios, acusações e julgamentos que tentam ridicularizar e esvaziar de poder mais de 50% da população brasileira, uma forma de incentivar a cultura do estupro em um programa de rádio”, diz a nota.

RÁDIO SUSPENDE COMENTARISTA

O radialista se defendeu das críticas que recebeu e pediu desculpa aos ouvintes durante o programa de hoje.

“Tenho muitos anos de rádio e não foi o primeiro erro que eu cometi na minha vida e, provavelmente, não será o último. Ontem naquele diálogo que nós tivemos sobre aquela ação infeliz e totalmente reprovável do presidente Rogério Caboclo, naquele caso de assédio, eu não fui feliz em algumas palavras que emiti. Talvez, e eu me penitencio disso, peço desculpas, eu não tenha dado o peso da seriedade que o caso tinha”, declarou Ivo.

Ainda ao se desculpar, o radialista citou a longa carreira como jornalista e disse ter recebido uma “chuva de críticas” nas redes sociais. “Quem me conhece há muitos anos e sabe da minha vida profissional, sabe que eu seria incapaz de apoiar qualquer caso de assédio sexual ou casos como esse, de maneira alguma. O Rogério Caboclo teve uma atitude reprovável, já foi castigado por isso, deve ser castigado ainda mais, mas numa primeira instância já foi afastado da presidência da Confederação Brasileira de Futebol. Então, eu tenho a humildade de pedir desculpa aos ouvintes da Cultura, às mulheres de modo geral”.

Imagem

Já a Rádio Cultura emitiu uma nota oficial (acima) para se desculpar pelo ocorrido ressaltando que “lamenta e repudia veementemente o comportamento de seus colaboradores” e que “não existem justificativas possíveis para o ocorrido”.

“Como agentes de informação e transformação social, não permitiremos que a cultura do estupro seja negligenciada e naturalizada na nossa programação. Nesse sentido, o quadro esportivo do radialista Ivo Amaral ficará suspenso por tempo indeterminado. Ressaltamos que, combater esse comportamento implica estarmos atentos a toda e qualquer atitude cotidiana que agrida a dignidade feminina”, declarou em nota.

(Com informações do UOL, Rádio Cultura e Sinjor-PA)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s