Obras do novo Mangueirão geram 900 postos de trabalho

A obra de reconstrução e modernização do Estádio Jornalista Edgar Proença (Mangueirão) segue acelerada. Além de oferecer mais segurança e conforto aos torcedores, o trabalho desde já gera oportunidades de emprego a centenas de profissionais. Com um investimento superior a R$ 146 milhões, a previsão de entrega é para o final de 2022. De acordo com o titular da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), pasta responsável pela execução do projeto, o engenheiro civil Ruy Cabral, a obra do novo Mangueirão vai gerar cerca de 900 novos postos de trabalho.

“Hoje nós temos 125 funcionários trabalhando na obra. Mais vagas serão abertas, de forma gradativa, na medida em que a obra for avançando e de acordo com as necessidades do serviço.” explicou o secretário, que visitou o estádio do Mangueirão na manhã desta segunda-feira (10) e acompanhou de perto a execução dos trabalhos no local.

Segundo o engenheiro Gilmar Mota, responsável pela fiscalização das obras no estádio, atualmente está sendo feita a cravação das estacas para a ampliação da área de cadeiras do estádio. Também são realizadas demolições nas áreas interna e externa, além da remoção do antigo gramado para que possam ser iniciados os trabalhos de drenagem do novo campo. Outras frentes atuam na recuperação estrutural do estádio. O engenheiro esclareceu ainda que já foi concluída a retirada dos antigos assentos, tanto das cadeiras cativas quanto das arquibancadas.

Para Ruy Cabral, o cronograma estipulado está sendo obedecido. “Esta obra já estava no planejamento do Governo do Estado desde o início desta gestão, dentro da previsão orçamentária, o que nos dá tranquilidade para trabalhar. Hoje estamos trabalhando para atender as normas da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e da Fifa, preparando o estádio para jogos da série A e até internacionais”, observou o secretário estadual.

Durante a visita às obras, o titular da Sedop também falou sobre a previsão de entrega do novo estádio. “Nosso esforço é para que o torcedor paraense tenha mais conforto e segurança. Vamos fazer uma reformulação no gramado, arquibancadas, cadeiras, cobertura e na iluminação. Sabemos que é duro ficar dois anos sem jogos no Mangueirão, mas esperamos que até o final do próximo ano estejamos com a obra concluída”, garantiu Ruy Cabral.

A obra do Mangueirão terá um investimento superior a R$ 146 milhões e garantirá a completa reestruturação do estádio, incluindo a renovação geral da pintura, reforma geral de banheiros e bares, substituição dos assentos das arquibancadas, substituição do gramado e piso da pista de atletismo, ampliação das áreas de circulação e adequação dos espaços atendendo as normas atuais da CBF e Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol). O estádio terá sua capacidade ampliada para 53.645 espectadores.

3 comentários em “Obras do novo Mangueirão geram 900 postos de trabalho

  1. Só espero que instalem vários banheiros, pruncipalmente na área superior das arquibancadas, pois sempre foi um problema em jogos lotados, ter que descer da arquibancada e procurar um banheiro alagado e sujo, especialmente para as mulheres, espero que isso seja incluso no novo projeto. Como o escriba já esteve em outros países, sabe como é a facilidade de ir a um banheiro, além claro inclui a educação do povo também.

    Curtir

  2. Antes de ter facilidades de ir a um banheiro, nosso escriba – mais ilustre por ser botafoguense, tem bastante expertise internacional para avalizar a importância de chegar a um estádio, como quem chega a um shopping ou teatro; sem atropelos, com disponibilidade de estacionamento, com segurança, com iluminação externa suficiente, sem precisar chegar 2 horas antes, ou ter seu veículo disputando as vias do entorno com o público e ambulantes, e, tão importante quanto, ter a certeza que ao final do jogo seu carro não terá sido roubado ou com acessórios a menos.
    O contrário de todas essas mínimas premissas de organização resume o que é chegar, atualmente, ao Mangueirão. Uma aventura digna de roteiro de Steven Spielberg.
    O chegar ao estádio, tanto pela Av. Augusto Montenegro como pela Av. Independência, se assemelha a uma prova de rallye, a exigir resistência e paciência. Ao adentrar a área do entorno do estádio, vc estará chegando a uma feira da Índia – um mix de caos e bagunça !!
    Nas duas últimas decisões do Paysandu, na Copa Verde, em Belém, experimentei duas decepções. Na primeira, adentrei ao estádio decorridos 25 min do 1° tempo. Na segunda, nem consegui chegar ao estádio, retornando após o Shopping Bosque.
    No projeto em execução, do pretendido “novo” Mangueirão – com padrão FIFA, não vislumbrei, pelo menos no até aqui divulgado, qualquer item que represente evolução de logística e mobilidade de público & trânsito, no seu entorno. Ainda há tempo para que os responsáveis pela obra avaliem esses importantes e necessários aspectos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s