Bira, goleador e grande ídolo azulino, morre aos 65 anos

Imagem

Quinto maior goleador da história do Remo, com 118 gols, o artilheiro Bira morreu na manhã desta segunda-feira (14), em Macapá, onde convalescia de câncer no fígado. Tinha 65 anos e foi um dos maiores ídolos da massa azulina, abaixo apenas do gigante Alcino.

O ex-centroavante estava doente há cerca de três anos, chegou a ser trazido para Belém em 2019, mas nos últimos meses ficou junto aos familiares na capital amapaense, sua cidade natal.

Imagem

Bira é recordista de gols numa só edição de Campeonato Paraense. Em excelente fase, marcou 32 gols no certame de 1979. Com a camisa azulina, conquistou três títulos estaduais e destacou-se nas campanhas de 77, 78 e 79 do Campeonato Brasileiro da Série A.

Contra o Guarani, em 28 de maio de 1978, no Mangueirão, Bira fez o que talvez seja a maior atuação de sua carreira: assinalou todos os gols da goleada remista de 5 a 1 sobre o time que viria a ser o campeão brasileiro da temporada, com jogadores do nível de Careca, Zenon e Renato. O gol de honra do Bugre naquele jogo foi marcado por Careca.

Participou do histórico Re-Pa de 1979 que teve a estreia de Dadá Maravilha com a camisa do maior rival (vídeo acima). Dario anunciou durante a semana que faria o gol “Sossega Leão”. O clássico terminou empatado no Mangueirão e Bira fez o gol azulino, que chamou de “Sossega Dario”. Após marcar, correu até o centro do campo para abraçar Dadá. Bons tempos.

Imagem

Recentemente, Bira foi eleito titular do ataque do “Remo de todos os tempos”, em enquete que mobilizou milhares de torcedores na internet.

Com o "time que nunca perdeu"

Com o nome em destaque pelas ótimas temporadas no Remo, Bira foi negociado com o Internacional, conquistando títulos e marcando seu nome na história do Colorado gaúcho. Jogou ao lado de craques como Falcão, Mauro Galvão, Jair e Mário Sérgio na campanha do tricampeonato colorado, em 1979.

Depois que pendurou as chuteiras, o ex-atacante trabalhou como técnico, dirigindo equipes do interior do Pará e do Amapá. Seu trabalho mas conhecido foi como treinador do Castanhal, em 1999.

Nas redes sociais, o Remo rendeu homenagens a Bira:

Imagem

O Internacional também tributou seu ex-centroavante:

Imagem

O corpo do Bira será velado na Assembleia Legislativa do Amapá durante a tarde de hoje, em Macapá. O sepultamento não tem horário confirmado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s