Câmara de João Pessoa repudia música de Chico César que critica bolsominions

O cantor e compositor Chico César recebeu voto de repúdio da Câmara Municipal de João Pessoa por causa da letra da música ‘Bolsominions’. O requerimento partiu da vereadora Eliza Virgínia (Progressistas), contumaz defensora do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Eliza sugeriu a nota de repúdio devido ao trecho da letra: ‘Bolsominions são demônios, saíram do culto para brincar de amigo oculto com Satã no condomínio”. “Bolsominions” é a forma como algumas pessoas chamam os apoiadores do presidente.

A vereadora justificou que a canção pratica intolerância religiosa. “Nunca, jamais, vou me furtar das minhas prerrogativas, que eu seja descriminada, e termos nossos símbolos vilipendiadas por quem quer que seja”, declarou na sessão.

O requerimento foi votado em bloco e teve aprovação unânime, em sessão remota, nesta quinta-feira (13). Como de costume, interrompida o tempo todo na tentativa de justificar o seu posicionamento, a única a se abster ao voto de repúdio foi a vereadora Sandra Marrocos (PT). 

Alguns vereadores(as) tentaram se justificar. O vereador Thiago Lucena (PRTB) afirmou que a letra é “de extremo mau gosto” mas não acha que é papel da Casa Legislativa repudiar um artista paraibano. O vereador Bispo José Luiz (Republicanos) afirmou que não se pode criticar o trabalho de um artista da terra com renome internacional por causa de uma letra “de péssimo gosto”.

Resistência

Desde o início da carreira, Chico César é um compositor de posicionamento crítico sobre a realidade brasileira, as contradições do capital e contra o racismo. Sem dúvidas, após a posse de Bolsonaro, o artista vem criando músicas que contestam a sua política e a condução do país que, com ajuda do presidente, já levou mais de 100 mil pessoas à óbito pela covid-19.

A música ‘Inumeráveis’ (14/05), feita a partir de um poema de Bráulio Bessa, lamenta a banalização das mortes pelo presidente e seus seguidores: “Se números frios não tocam a gente / Espero que nomes possam”. A música humaniza os – agora – mais de 100 mil mortos pela covid-19″.

‘Pedrada’, do novo álbum “O Amor É Um Ato Revolucionário”, critica o neofascismo no Brasil: “Cães danados do fascismo / Babam e arreganham os dentes/ Sai do ovo a serpente / Fruto podre do cinismo. Com refrão: Mas nós temos a pedrada pra jogar / A bola incendiária está no ar / Fogo nos fascistas/ Fogo, Jah”

O disco ‘Estado de Poesia’ venceu a 29ª edição do Prêmio da Música Brasileira 2018 na categoria melhor álbum de “Pop / Rock / Reggae / Hiphop / Funk”. No álbum, a faixa 14, ‘Reis do Agronégocio’, com 11 minutos de duração, faz um raio-x dos abutres do agronegócio no país: “Ó donos do agrobiz, ó reis do agronegócio / Ó produtores de alimento com veneno / Vocês que aumentam todo ano sua posse / E que poluem cada palmo de terreno / E que possuem cada qual um latifúndio / E que destratam e destroem o ambiente / De cada mente de vocês olhei no fundo / E vi o quanto cada um, no fundo, mente”.

A música do voto de repúdio na Câmara de João Pessoa está disponível no Instagram do cantor: @oficialchicocesar/

(Transcrito de Brasil de Fato)

2 comentários em “Câmara de João Pessoa repudia música de Chico César que critica bolsominions

  1. Prezado Gerson
    Boa tarde.
    Meu apoio total e irrestrito ao Chico César, porque está muito claro e evidente: “Bolsominions são demônios, saíram do culto para brincar de amigo oculto com Satã no condomínio”.
    Abraços,
    Heraldo

Deixe uma resposta