Moro vai atrás de roqueiro e porteiro, mas não incomoda miliciano

Leonardo Sakamoto e Sérgio Moro.

“Não deixa de causar espanto a seletividade do Ministério da Justiça sob o comando do ex-juiz federal Sérgio Moro, escreve o jornalista Leonardo Sakamoto. “A pasta pediu abertura de inquérito para investigar roqueiros paraenses que organizam um festival de punk e hardcore chamado ‘Facada Fest'”, afirma. 

O colunista reforça que “o evento usou cartazes de divulgação que o governo federal considerou ofensivos à honra do presidente da República”. “O mesmo ministério, contudo, deixou de incluir Adriano da Nóbrega, chefe do Escritório do Crime e ligado a Flávio Bolsonaro, na lista dos mais procurados, quando divulgou essa relação em janeiro. O líder miliciano, ligado ao antigo gabinete do filho 01, foi morto no último dia 9”, continua.

“O ministro Sergio Moro fez sua carreira tentando construir a imagem de lutador contra o crime organizado. Ironicamente, tem feito muito pouco para combater o crime organizado de madeireiros, garimpeiros, grileiros e pecuaristas que formam quadrilhas e montam milícias para invadir e manter terras indígenas, levando embora suas riquezas. A Funai, vale lembrar, segue sob sua responsabilidade”, acrescenta.

De acordo com o jornalista, “Moro precisa tomar cuidado para não confundir defesa da honra com culto à personalidade de um líder máximo, porque é isso o que governos autoritários fazem”. “E, no caminho, fazer uma autocrítica”.

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s