Caso Marielle: menção a condomínio de Bolsonaro está nas mãos da polícia há um ano

A Polícia Civil do Rio de Janeiro possui há um ano as planilhas com os registros de entrada de visitantes do condomínio onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa e morou até se mudar para o Palácio do Planalto, de acordo com documentos revelados pela Folha, em matéria desta terça-feira (5).

Os papéis contradizem recente versão do Ministério Público do Rio, segundo a qual o órgão só teve acesso aos documentos em 5 de outubro passado, quando afirma ter apreendido o material na portaria do condomínio no curso da investigação sobre o mandante do assassinato da vereadora.

A promotora que primeiro informou que a planilha não havia sido apreendida anteriormente foi Carmen Carvalho, afastada do caso por aparecer em foto com a camiseta de campanha de Jair Bolsonaro.

Os documentos foram obtidos durante a investigação do caso, porque o policial militar aposentado Ronnie Lessa, acusado de ser o executor do crime, também mora no condomínio Vivendas da Barra, o mesmo de Bolsonaro.

A Promotoria foi informada em março deste ano sobre a apreensão das planilhas e a Divisão de Homicídios da polícia está em poder dos papéis ao menos desde novembro de 2018.

Procurados pela Folha e informados sobre o teor da reportagem, o Ministério Público disse que só irá se manifestar no processo e a Polícia Civil não quis falar.

Como revelado na semana passada pelo Jornal Nacional, uma das planilhas manuscritas indicava que o ex-PM Élcio tinha como destino a casa 58, a de Bolsonaro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s