Ofensas da Lava Jato a Lula não ganham espaço na velha mídia, mas bombam na web

EC-mU5kWsAA2XRt

Não ocuparam o espaço que deveria nos grandes jornais da mídia de papel as novas revelações do Intercept Brasil sobre a Vaza Jato. Aquelas em que os membros da Força Tarefa fazem comentários desumanos sobre as mortes dos familiares de Lula, Marisa, o neto Artur e Vavá, o irmão. Certamente o calor das revelações influenciaram as decisões sobre Aldemir Bendine. Estas, no entanto, relatadas pelos jornais.

Não apareceram também nas páginas a indignação do ministro Gilmar Mendes.

As ofensas foram imensas, a ponto de uma procurador pedir desculpas a Lula. A rede explodiu desde ontem com o que pode ser considerado um índice 100 de uma imaginária escala Bolsonaro de insultos.

No Twitter, uma procuradora assim se manifestou:

“Errei”.

Jerusa B. Vieceli.

“Errei. E minha consciência me leva a fazer o correto: pedir desculpas à pessoa diretamente afetada, o ex-presidente Lula”.

Em seguida, alertada que estava autenticando o vazamento, tentou amenizar:

“Lembrar de uma mensagem não autentica todo o conjunto. A existência de mensagens verdadeiras não afasta o fato de que as mensagens são fruto de crime e têm sido descontextualizadas ou deturpadas para fazer falsas acusações”.

“Os procuradores da Lava Jato nunca negaram que há mensagens verdadeiras, exatamente porque foram efetivamente hackeados. Contudo, não é possível saber exatamente o quanto está correto, porque é impossível recordar de detalhes de 1 milhão de mensagens em 5 anos intensos”.

Único registro nos jornais:

A Coluna de Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo informa que, na terça (27), mensagens reveladas pelo UOL e o site The Intercept Brasil mostraram procuradores da Lava Jato ironizando a morte da ex-primeira-dama e o luto de Lula, tanto no velório dela quanto no do neto Arthur, 7.

A reportagem gerou um desabafo de Marlene Silva, nora de Lula e mãe de Arthur. “Esses senhores [procuradores] não são humanos, não é possível, deu náusea, nojo, tristeza, perplexidade, indignação, raiva, muita raiva, choro… o que estão fazendo conosco!”, disse ela em uma rede social fechada aos amigos. “Nos deixem em paz”, completa Marlene.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s