Leão quebra jejum e vira líder

whatsapp-image-2019-05-26-at-18.33.00

POR GERSON NOGUEIRA

Bastou uma atuação objetiva e com capricho nas finalizações para o Remo derrotar o Atlético-AC e assumir a liderança isolada do grupo B da Série C, depois de três anos sem alcançar essa posição dentro da competição.

Com boa produção no setor de criação, com Carlos Alberto em destaque, o time marcou duas vezes, se tranquilizou em campo e assegurou o triunfo mesmo caindo de rendimento na etapa final.

O plano de jogo armado por Márcio Fernandes foi tão bem executado nos primeiros 45 minutos que até o questionado Emerson Carioca mostrou desenvoltura, contribuindo para a movimentação ofensiva, apesar de não marcar gols.

Os gols surgiram naturalmente, em função da superioridade demonstrada pelo Remo em todos os setores. Pressionado, o Atlético começou a apresentar falhas no miolo da zaga. O primeiro gol veio logo aos 17 minutos, depois de duas boas chances perdidas, Ronaell cruzou com perfeição para a testada de Marcão no centro da área.

Trocando passes em velocidade, o Remo cercava o Atlético, que passou a cuidar exclusivamente da defesa. Mesmo com a retranca, os azulinos tocavam bem a bola e o segundo gol surgiu naturalmente, aos 27’: Yuri cruzou rasteiro e Gustavo Ramos se antecipou para tocar no canto esquerdo. Vinícius só foi incomodado aos 33’, com um cabeceio de Stênio.

Na segunda etapa, o Remo desacelerou visivelmente e permitiu ao Atlético  investidas de relativo perigo, principalmente em cruzamentos para a área. Garré entrou na partida, substituindo a Douglas Packer, criou boas alternativas em avanços na diagonal, mas o ataque não teve a mesma perícia do primeiro tempo.

O melhor momento, quase ao final da partida, teve Alex Sandro roubando bola na entrada da área e finalizando em cima do goleiro. Carlos Alberto fechava pelo centro, inteiramente livre, pronto para finalizar.

Os principais destaques do Remo foram o zagueiro Marcão, o volante Yuri, o meia Carlos Alberto e o atacante Gustavo Ramos, finalmente voltando a marcar desde o Campeonato Estadual.

—————————————————————————————-

Papão erra muito e perde o rumo em Varginha

Quem esperava um Papão mais aguerrido e bem ajustado no confronto com o Boa Esporte, após o empate em Volta Redonda no último domingo, viu um time intranquilo desde os primeiros minutos da partida. O placar final de 2 a 0 evidenciou a instabilidade do setor defensivo, onde Vítor Oliveira e Micael pareciam estar jogando juntos pela primeira vez, tamanho foi o desentrosamento entre os dois.

Mesmo sob sufoco, o PSC conseguiu sobreviver à pressão. Mota fez três grandes defesas e o ataque mineiro ainda desperdiçou outras chances. Com dois jogadores essencialmente criativos, Tiago Luís e Tiago Primão, a equipe não mostrava força para o combate direto no meio-campo.

É importante notar que a forte presença ofensiva do Boa deveu-se muito à habilidade de seus jogadores mais avançados, Gindre e Kaio Cristian, com a participação de Pedrinho na criação. Ao mesmo tempo, esse desempenho teve a ver com as facilidades permitidas pelas linhas de marcação do PSC.

Para o segundo tempo, Léo Condé trocou Diego Rosa por Pimentinha, com o objetivo de abrir as linhas de marcação do Boa, melhorando a produção ofensiva. Logo de cara, o atacante conseguiu participar de duas jogadas agudas. Renan Rocha salvou na primeira tentativa e depois Pimentinha arriscou até um cabeceio.

Aos 20’, Condé criou coragem e finalmente trocou o improdutivo Jheimy por Nicolas. Não deu muito tempo para perceber evolução, pois aos 30’ surgiu o primeiro gol. Tsunami tocou para Gustavo desviar para as redes. Cinco minutos depois, Nonoca invadiu a área, chutou forte e Mota defendeu parcialmente. No desespero, Vítor Oliveira tentou cortar e tocou para as redes.

Com 2 a 0 no placar, o Papão sucumbiu de vez. Não conseguiu ameaçar o Boa Esporte e ainda teve Tiago Primão expulso por jogo violento. Mota ainda evitou o terceiro gol após boa chegada de Nonoca.

Vítor Oliveira foi o jogador de pior rendimento, mas de maneira geral o PSC atuou sem arrumação no meio e com o ataque inteiramente inoperante.

(Coluna publicada no Bola desta segunda-feira, 27)

3 comentários em “Leão quebra jejum e vira líder

  1. Resumo da ópera de terror: Léo Condé, os Paulos – Rangel e Henrique, Jheymi, Diego Rosa, Anderson Uchoa, os T(h)iagos – Primão e Luiz, e o Presidente Ricardo GP, continuam prestigiadíssimos !

    Curtir

  2. O treinador do Remo segue encorpando o esquadrão remista. O time evolui bem a cada jogo, troca de passes de forma inteligente e de acordo com a sua proposta de jogo. Só não pode desperdiçar tantas chances de gol. Valeu demais essa Vitória!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s