Ainda estão rolando os dados

POR GERSON NOGUEIRA

Não foi tudo aquilo que muitos receavam. O começo indicou um domínio dos donos da casa que, na prática, não se consumou. É verdade que a vitória por 3 a 1 poderia ter sido mais ampla, caso os gaúchos aproveitassem as chances criadas e a superioridade técnica, mas o Papão se apresentou com dignidade, sem recorrer à retranca bovina e saindo para o ataque em vários momentos da partida.

Apesar do começo meio confuso, com erros seguidos na transição e pouca mobilidade ofensiva, o PSC só se abalava quando o Inter abria o jogo pelas pontas, com Nico Lopez e Edenilson. Quando D’Alessandro e Nonato afunilavam as jogadas, a zaga bicolor prevalecia. Encolhido para explorar o contra-ataque, aos 5 minutos o Papão chegou bem organizado à frente e Tiago Primão acertou um chute sobre o travessão.

Sem acelerar o ritmo, o Inter parecia acreditar que o gol viria naturalmente. O susto inicial para a zaga paraense veio aos 18 minutos. Em cobrança de falta, D’Alessandro mandou no poste direito de Mota. A bola ainda bateu nas costas do goleiro antes de sair.

Guerreiro ameaçava, mas era bem acompanhado por Micael. No único vacilo da linha de zaga, D’Alessandro tabelou com Nico Lopez e a bola foi tocada em velocidade para o camisa 9 tocar para as redes, aos 25’, sem defesa para o goleiro Mota.

Dois gols, de Iago e Diego Rosa, foram anulados corretamente, por impedimento. O jogo caiu numa certa monotonia no final da primeira etapa. O Inter parecia feliz com a vantagem mínima e o Papão não demonstrava desespero.

Foi começar a segunda parte e o PSC partiu com tudo para o ataque, conseguindo um escanteio. Logo em seguida, aos 2’, Bruno Collaço cruzou da esquerda para o cabeceio certeiro de Micael, que saltou mais que toda a zaga colorada. O gol deu vivacidade à partida, entusiasmando o PSC e deixando o Inter atrapalhado no setor defensivo.

Aos poucos, porém, o Inter foi se reconectando ao jogo e entendendo a importância de construir um bom resultado. Passou a explorar os lados do ataque, com os laterais Zeca e Iago e o uruguaio Nico Lopez. Na primeira boa chegada, Guerrero bateu forte para excelente defesa de Mota.

Aos 11’, uma bola despretensiosa desviada por Emerson Santos dentro da área encontrou o volante Rodrigo Lindoso desmarcado. Quase caindo, ele completa para as redes com um leve toque, fazendo a bola rolar lentamente. O Inter voltava a mandar no jogo.

Para dar mais qualidade ao meio-campo, Léo Condé substituiu Primão por Tiago Luís, aos 15 minutos. Sem muita mobilidade, Tiago passou a fazer lançamentos e cobrou uma falta com perigo, mas sua presença tornou o time pouco ágil nas saídas para o ataque. A entrada de Vinícius Leite no lugar de Diego Rosa melhorou a movimentação do ataque, mas sem chegar a incomodar a defesa adversária.

Mais aplicado nas manobras de ataque, já com Tiago Sóbis em campo (substituiu D’Alessandro), o Inter intensificou a pressão pelos lados e também na faixa central, com Guerrero tendo duas excelentes oportunidades diante da trave do PSC.

Aos 33’, porém, o peruano subiu mais que os zagueiros e cabeceou para o gol vazio, marcando o terceiro gol. Os minutos finais foram de apreensão na zaga do PSC, constantemente fustigada pelas jogadas de Guerrero, Sóbis e Sarrafiore (que entrou no lugar de Nico Lopez). Felizmente, para Condé e seus comandados, os atacantes colorados não acertaram mais o pé e o jogo ficou em 3 a 1 mesmo.

Para quem foi a Porto Alegre buscar um resultado que permitisse esperanças para o jogo da volta, o PSC pode se considerar razoavelmente bem sucedido. A tarefa de golear o Inter por três gols de diferença no Mangueirão (quarta-feira, 29) é das mais desafiadoras, mas um escore por dois gols não é impossível de ocorrer, o que levaria a disputa para os penais.

O fato é que, mesmo sem fazer uma apresentação brilhante, o PSC se comportou relativamente bem, mantendo-se vivo na competição.

Os melhores do time, pela ordem, foram o goleiro Mota, novamente em destaque, fazendo três grandes intervenções; o atacante Nicolas, enquanto conseguiu se movimentar na frente; e o lateral Bruno Collaço, muito participativo nas tentativas ofensivas.

————————————————————————————–

Conmebol não perde a chance de complicar

Parece que virou prática corrente nas instituições a mania de complicar as coisas, gerando balbúrdia e depois levando a um envergonhado recuo em certas decisões. A Conmebol, useira e vezeira em aprontar trapalhadas, divulgou um documento proibindo que, a partir de 2020, a Libertadores e a Sul-Americana tivessem a participação clubes que estão fora da primeira divisão de seus países.

A acintosa e inaceitável discriminação sofreu tantas críticas que a entidade reformulou a tosca ideia, através de um constrangido comunicado divulgado na quarta-feira, 22. O torneio mais afetado pela medida seria a Copa do Brasil, que conta com a presença de clubes da Série C, como o PSC, o Sampaio Corrêa e o Juventude.

Reconhecer erros é uma atitude nobre, mas o histórico de lambanças da Conmebol passa a incluir em posição de destaque essa descabida tentativa de enfraquecer ainda mais os clubes emergentes do continente.

(Coluna publicada no Bola desta sexta-feira, 24)

Um comentário em “Ainda estão rolando os dados

  1. Gerson, vc é bondoso ao dizer que o Paysandú não jogou na retranca. Foi uma reprise do jogo contra o Volta Redonda; ataque contra defesa. Se já não bastassem no elenco os inúteis Tiago Primão, Paulo Rangel e Paulo Henrique, agora mais dois – Anderson Uchoa e Diego Rosa, são candidatíssimos aos postos de pescadas brancas. Com esse ataque cardíaco, gastar dinheiro para ir ao Mangueirão, na próxima semana, nem pensar !!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s