Vinícius, o melhor do Parazão

remo2x0independente-7

POR GERSON NOGUEIRA

A minha seleção dos melhores do Parazão 2019 ficou assim: Vinícius (CR); Michel (Paragominas), Kevem (CR), Dedé (Independente) e Mocajuba (Independente); Capanema (Bragantino), Djalma (CR), Marco Goiano (Bragantino) e Nicolas (PSC); Gustavo (CR) e Fidélis (Bragantino). Técnico: Charles Guerreiro (Independente). Craque do campeonato: Vinícius. Revelação: Kevem.

A grande unanimidade da lista é o goleiro do Remo, melhor jogador da competição. Vinícius, que até falhou no segundo Re-Pa, teve desempenho quase irretocável. Com defesas miraculosas, ajudou a corrigir (e ocultar) erros graves de seu time, alguns causados pela má qualidade de certos jogadores e outros de responsabilidade dos técnicos.

O fato é que Vinícius, com sua perícia para defesas difíceis e sem estardalhaço, quebrou o galho de muita gente ao longo de três temporadas no Remo. Em 2018, ganhou todos os prêmios no futebol paraense, repetindo a performance no certamente estadual deste ano.

As laterais ficam com Michel, grande figura do Paragominas e artilheiro da competição, e Mocajuba, experiente defensor e ala do Independente.

O centro da defesa tem Kevem e Dedé, uma dupla improvável, mas que deslumbrou a torcida com atuações seguras. A dupla deu conta de suas tarefas defensivas e ainda foram autores de gols importantíssimos. Kevem fez um golaço de bicicleta contra o Paragominas. Dedé eliminou o PSC com duas certeiras cabeçadas.

Os volantes são Ricardo Capanema e Djalma. Mais experiente, Capanema jogou muito, superando a velha imagem de carniceiro. Djalma foi o melhor distribuidor de bolas do Remo, e ainda foi útil como ala pelo lado direito.

Marco Goiano honrou a camisa 10 na condição de organizador do Bragantino. Além de articular as jogadas mais criativas, assumiu muitas vezes o papel de finalizador, como nos jogos recentes pela Copa do Brasil.

No ataque, o trio Gustavo Ramos, Nicolas e Fidélis confirma a ausência neste Parazão da figura do centroavante de referência. Ninguém brilhou com a camisa 9. Nicolas foi o melhor do PSC na competição, Gustavo foi o mais regular atacante do Remo e Fidélis se consolidou como o mais habilidoso atacante em atividade no Pará.

Charles, pela maneira tranquila e eficiente como montou o Independente, enfrentando todo tipo de dificuldade, é o melhor técnico. Agnaldo de Jesus, pela passagem proveitosa no Braga, leva a menção honrosa.

——————————————————————————————

Luxa fala sobre o que sabe: tendências e táticas

Vi ontem à noite uma entrevista de Vanderlei Luxemburgo, bem mais humilde, a um canal a cabo. Sem treinar times há mais de dois anos, ele parece disposto a rever alguns conceitos, como aquela legião de auxiliares que carregava para todos os clubes que o contratavam, gerando uma despesa substancial. Já admite levar apenas um auxiliar com ele.

Como tarimbado conhecedor das entranhas do jogo, Luxa tem alguns comentários interessantes sobre o futebol atual. Considera que Neymar deu um passo atrás ao optar pelo PSG e que o melhor caminho para ele seria jogar no Manchester City de Pep Guardiola.

Certeiro, avalia que a discrepância técnica vista entre o futebol brasileiro e o europeu tem a ver com o abandono (pelos nossos times) de princípios inegociáveis, como o drible, a inventividade e a capacidade de surpreender.

Há três anos, Guardiola disse quase isso, ao ser indagado sobre a inspiração para formular o conceito do tiki-taka, que tanto sucesso fez no Barcelona e na própria seleção espanhola.

Muito criticado pelo tom excessivamente arrogante que adotou após treinar o Real Madri galáctico, o conhecimento de Luxa sobre sistemas de jogo não pode ser subestimado. Deu uma dica sobre como Paulo Henrique Ganso, hoje no Fluminense, pode voltar a brilhar: jogar como segundo atacante: “Com o talento que tem, não pode ser obrigado a percorrer grandes distâncias. Tem que estar próximo ao gol”.

——————————————————————————————

Dado surpreende ao assumir time de aspirantes

Uma notícia causou surpresa ontem. O time sub-23 do Bahia vai ter Dado Cavalcanti como novo técnico no Brasileiro de Aspirantes. Figura carimbada na Série B e campeão estadual e da Copa Verde pelo PSC, Dado vinha treinando o Paraná, mas caiu após eliminação na Copa do Brasil. É uma opção para um técnico identificado com as divisões de base. E a prova de que o Bahia leva a sério a formação de atletas.

——————————————————————————————-

Os 91 anos da “Voz que fala e canta para a Planície”

Quando o pioneiro Edgar Proença bolou o slogan citado no título acima estava definindo, para sempre, o papel e a responsabilidade da Rádio Clube do Pará, a eterna PRC-5, 4ª emissora do país. Foi sob seu comando que a Clube ganhou respeitabilidade e musculatura para reinar ao longo destas nove décadas. É orgulho dos paraenses e daqueles que, como eu, têm a honra de integrar suas fileiras. Ave, PRC-5!

(Coluna publicada no Bola desta terça-feira, 23)

7 comentários em “Vinícius, o melhor do Parazão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s