Assalto à mão desarmada

Por Jota Ninos (*), no Facebook

Estou em Belém desde ontem, na reta final da recuperação de minha cirurgia realizada em 26/02. Ontem vivi uma experiência surreal, dentro de um ônibus, que passo a relatar.

Depois de andar de um lado para o outro de Uber, por conta da fama de “cidade violenta”, resolvi fazer o caminho entre dois shoppings usando um coletivo urbano.

Tudo ia bem no trajeto, até o momento que dois rapazes entraram no ônibus e um deles começou a falar em voz alta para os passageiros. Imaginei logo que era um daqueles “pedintes de ônibus”, coisa tão comum em Belém.

Só que ao invés do famoso discurso “eu poderia estar roubando…”, o jovem grita em voz alta – e de certa forma, assustadora – que precisava que os passageiros lhe dessem qualquer dinheiro, “pode ser um real, dois reais, cinco reais…”, dizia ele aos berros e eu esperando ele falar os motivos do pedido, enquanto seu comparsa passava olhando ameaçador para cada passageiro.

Eu fiquei ouvindo de cabeça baixa, mas de repente uma frase me chamou a atenção: “estamos pedindo a ajuda de vocês porque acabamos de sair da penitenciária e queremos uma vida nova, porque aquilo é um inferno!”.

Foi a deixa para que os passageiros começassem a dar dinheiro aos dois. Vi várias mãos trêmulas se estendendo no corredor e entregando moedas de um real ou notas de dois e até de cinco reais para os rapazes. Eu fiquei quieto, mas assustado, achando que estava começando um assalto e não dei dinheiro.

Olhei pro cobrador à minha frente que guardava uma expressão de desconforto, mas com um leve sorriso pendurado na boca como quem soubesse o que estava acontecendo. Terminada a “coleta”, os dois agradeceram e desceram do ônibus. Ouvi um burburinho com gente dizendo “Ufa!” ou rindo de forma nervosa da situação.

Foi aí que o cobrador falou pra todos, em voz alta, que havíamos acabado de presenciar uma nova modalidade de violência psicológica da Cidade das Mangueiras: o assalto à mão desarmada!

Segundo o cobrador, essa prática começou recentemente e os jovens geralmente são drogados e se aproveitam do medo das pessoas de assaltos e se apresentam nos ônibus como ex-internos de penitenciárias, conseguindo que as pessoas acabem dando suas “doações espontâneas”…

Quando será que teremos de volta nossa Belém de outrora???

(*) Jornalista santareno

Um comentário em “Assalto à mão desarmada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s