WhatsApp tenta evitar na Índia ação orquestrada que favoreceu Bolsonaro

DzIkYjhX0AEbzdo

O WhatsApp tenta evitar na eleição geral na Índia, que ocorre entre abril e maio, a mesma ação orquestrada de disparo em massa de mensagens políticas e fake news que, aqui no Brasil, favoreceu a eleição de Jair Bolsonaro. A informação é da Reuters.

Segundo a publicação, o WhatsApp na Índia admitiu o uso, por partidos políticos, de softwares que facilitam o disparo de mensagem em volume massivo.

O uso de sistemas automatizados, financiado pelo empresariado anti-PT em favor de Bolsonaro (sendo que a doação de empresas a campanhas e candidatos é proibida no Brasil) foi denunciado pela Folha de S. Paulo ainda durante o segundo turno da eleição, mas as autoridades brasileiras não tomaram nenhuma medida contra a ação a tempo de reparar desequilíbrios.

No Brasil, o WhatsApp não quis detalhar o plano de combate a este tipo de ação orquestrada durante eleições.

Na Índia, de acordo com a reportagem, o aplicativo de conversação é uma das principais armas de campanha do partido BJP, do atual primeiro-ministro Narendra Modi. Mas a oposição, capitaneada pelo partido Congresso, também tem usado o WhatsApp para disparar notícias faltas e influenciar eleitores.

O País que elegerá 543 deputados da Câmara – e, de lá, sairá o novo primeiro-ministro – tem 900 milhões de eleitores. É a maior eleição no mundo, sendo que 500 milhões de indicados usam a internet, e 250 milhões têm Facebook. Outros 210 milhões estão no WhatsApp. No Brasil, são 127 milhões de usuários da plataforma.

De acordo com a Reuters, em comunicado recente, o WhatsApp afirmou que deletou “2 milhões de contas por mês no mundo, nos últimos três meses, por envios em massa ou uso de sistemas automatizados, para coibir o uso do aplicativo para espalhar desinformação.”

“Enviar mensagens em massa de um telefone celular é trabalhoso; por isso, as pessoas que querem fazer isso usam software ou equipamentos para automatizar o processo. Nossa tecnologia visa a identificar contas usando sistema automatizado”, afirma o relatório.

A Índia já tem histórico de problemas sérios com a disseminação de fake news via WhatsApp. O ápice foi a onda de linchamentos, que deixou 20 pessoas mortas, em decorrência de notícias falsas sobre sequestros de crianças.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s